Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

Sex | 29.12.17

UM BRINDE A 2018

shampanskoe-bokaly-noch-elka-new-year-2018-chasy-novyi-god-1.jpg

 

À meia-noite de 01 de Janeiro, o dia muda de Domingo para Segunda, uma transição normal e habitualmente sem importância nenhuma, a não ser a chatice do fim de semana estar mais perto de acabar. Porém para aqueles que como nós seguem o calendário Gregoriano isso não  é bem assim.

 

Algures num passado distante foi decidido que esse momento termina o Ano Velho e começa o Novo Ano.

 

É um segundo revestido de um simbolismo muito especial se tivermos em conta toda a energia e recursos que geralmente investimos na sua celebração. É o momento em que paramos, olhamos para trás, fazemos balanços e estabelecemos um novo conjunto de resoluções.

 

Porquê fazemos tudo isso?

 

Em tempos li um artigo que dizia que essa necessidade resultava de algo muito enraizado em nós, a nossa motivação para sobreviver. E se pensar bem, isso faz todo o sentido.

 

Esta celebração (a par do nosso aniversário) proporciona-nos a chance de celebrar mais 365 dias vividos, de erguer os nossos copos em brinde e dizer “mais um ano, e ainda aqui estamos!”

 

E as resoluções de Ano Novo? Nada mais são que um exemplo do desejo humano universal de controlar aquilo que está por vir. Para nós é difícil aceitar que o futuro é algo incerto e imprevisível. Daí planeamos comer melhor, fazer dieta, mais exercício físico, parar de fumar, passar mais tempo com aqueles que amamos, poupar mais, viajar…

 

Tudo aquilo que achamos que nos vai ajudar a (sobre)viver mais tempo nesta Terra.

 

Os rituais de boa sorte são outro bom exemplo. Cada país e cultura tem os seus. Em Portugal comemos 12 passas e pedimos 12 desejos, em Espanha comem uvas, os Holandeses comem rosquinhas porque para eles o circulo é um símbolo de sucesso, no Rio de Janeiro vestem-se de branco e entregam flores ao mar para dar sorte … enfim, fazemos o que podemos para sentir que vamos ficar mais seguros e prosperar na vida. É fascinante!

 

Os U2 tem uma canção intitulada“New Year’s Day” em que dizem “ nada muda no dia de Ano Novo” e eles até podem ter razão, mas a verdade é que mesmo que muitos objectivos e resoluções fiquem pelo caminho e não se concretizem ao longo do ano, ainda assim eu acho positivo fazer o balanço e traçar metas para que o nosso futuro seja melhor. Pode ser um mecanismo de sobrevivência mas comigo tem resultado bem.

 

As minhas prioridades e alguns dos objectivos pessoais que pus na lista de Ano Novo do último ano (e que a equipa do Sapo, que desde já agradeço, teve para minha surpresa, a bondade de destacar no topo do meu blog) concretizaram-se e Deus sabe que depois de mudar de vida eu bem precisava de sentir alguma segurança (imaginária ou não), por isso venham de lá essas passas, os nossos desejos e o champanhe e vamos todos brindar a 2018!

 

Que este seja o melhor ano das nossas vidas! (até aqui é claro!) 😀


Tchau!
Travellight

2 comentários

  • Olá Sandra!! Que bom receber os teus votos de Feliz Ano Novo, obrigada pelo carinho.
    Para mim também foi muito especial ajudar um pouquinho na festa de aniversário da tua filha e foi pena não ter dado para vos ir conhecer pessoalmente mas com toda a certeza não faltará oportunidade. Obrigada por estares sempre desse lado a acompanhar as minhas aventuras, são pessoas como tu que fazem com que tenha muita vontade de continuar a escrever sobre as minhas viagens e aventuras.
    Um excelente Ano de 2018 para ti e para a Débora, que tudo aquilo com que sonham se concretize.
    Beijinhos 😘
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.