Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

Qua | 24.11.21

Os Pássaros da Ria Formosa

Estendendo-se ao longo da costa algarvia por aproximadamente 55 quilómetros, o Parque Natural da Ria Formosa é uma das 7 maravilhas naturais de Portugal e uma importante zona migratória para aves aquáticas da Europa Central e Setentrional. Tem uma biodiversidade imensa e paisagens maravilhosas. Dá gosto descobrir e conhecer!

fullsizeoutput_6172Fotos: Travellight e H.Borges

Não sabia exatamente o que esperar quando o barco movido a energia solar começou a deslizar, silencioso, pelas águas do Parque Natural da Ria Formosa, mas rapidamente percebi que o passeio não ia dececionar...

Abrangendo uma área com cerca de 18.000 hectares, a Ria é uma das zonas protegidas mais importantes de Portugal e está classificada desde 1980 como zona húmida de importância internacional.

Protegida da força do mar por um cordão de bonitas penínsulas e ilhas barreira, a Ria Formosa é composta por caniçais, sapais, salinas, zonas de vaza e pinhais, e especialmente no período compreendido entre a maré baixa e a meia maré, é possível observar aqui uma grande variedade de aves aquáticas.

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_11be6UNADJUSTEDNONRAW_thumb_11c36fullsizeoutput_6163

De facto, à medida que o barco avançava tranquilamente por entre canais, bancos de areia e pântanos, a natureza começou a revelar-se: primeiro apareceu um ostraceiro, pouco depois maçaricos, mais à frente pilritos, borrelhos e garajaus. 

Também observei aves de maior porte, como a garça branca, a solitária garça real, cegonhas, corvos marinhos e flamingos.

fullsizeoutput_616cfullsizeoutput_616dfullsizeoutput_6168fullsizeoutput_6171UNADJUSTEDNONRAW_thumb_11bd2fullsizeoutput_6175fullsizeoutput_616f

Durante o outono e inverno, a Ria Formosa é uma área de concentração de milhares de aves como o pilrito-de-bico-comprido, a seixoeira, alfaiates, ostraceiros, pilritos-de-peito-preto e pilritos-pequenos, entre outros. Outras espécies interessantes de aves invernantes são o flamingo, a íbis-preta, o colhereiro, o peneireiro-cinzento, o garajau-grande, o pisco-de-peito-azul ou o mais raro chapim-de-mascarilha. Nos últimos anos, a gaivota-de-bico-fino também tem sido avistada na zona.

As aves nidificantes incluem o camão, o garçote (para estas recomenda-se a observação a partir do observatório da Quinta do Lago), a garça-vermelha, a perdiz-do-mar e a gaivota-de-audouin.

As ilhas-barreira albergam grandes colónias de chilretas, aves que podem ser vistas regularmente a pescar nos baixios, e também uma pequena população de alcaravão. 

Nos pinhais situados na zona envolvente, podem ser encontradas espécies como o pica-pau-malhado-grande, o picanço-barreteiro ou o papa-figos.*

fullsizeoutput_6176

Vi apenas uma pequena fração das espécies que por aqui habita e que por aqui passa. O tempo foi infelizmente muito curto e a observação de pássaros, já se sabe, exige calma e paciência. Não se pode ficar prisioneiro da ditadura do relógio. 

Ainda assim foi um passeio maravilhoso, que me recordou como é belo o lado mais natural do Algarve e me deixou cheia de vontade de regressar 😃

Para mais inspiração, ideias para escapadinhas de fim de semana e passeios em Portugal, sigam-me  no Instagram

Tchau!

Travellight

 

* Fonte: SPEA (Sociedade Portuguesa Para o Estudo das Aves)

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.