Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

Ter | 05.04.22

Celebre a Páscoa descobrindo Portugal

easter_easter_eggs_funny_hare_rabbit_ears_ears_face_fun-816830.jpg!d

Celebrada de norte a sul do país, a Páscoa é sempre um bom pretexto para uma escapadinha a dois ou em família e uma boa oportunidade para descobrir as tradições, história, hotelaria e gastronomia das diferentes regiões de Portugal.

A pensar nisso, sugiro quatro destinos:

BRAGA

fullsizeoutput_2d23.jpeg Crédito: The Travellight World

Parta à descoberta do centro histórico de Braga e deixe-se encantar pelas suas ruas estreitas, bonitas praças e jardins floridos. 

As atrações maiores como o Arco da Porta Nova, a Torre e a Sé Catedral, são fáceis de alcançar a pé e as mais recentes como o Museu da Fotografia ou a livraria Centésima Página, também.

Desde sempre ligada ao Catolicismo e às ordens religiosas, Braga é uma cidade onde abundam os doces conventuais que, cheios de ovos e açúcar, nos deixam inevitavelmente com água na boca. Por isso esqueça a dieta e perca a cabeça com os deliciosos doces e bolos servidos nos cafés e restaurantes da cidade.

Experimente as Tíbias, um Pudim Abade de Priscos ou os Fidalguinhos (pequenos biscoitos crocantes, com um toque de canela, que são presença obrigatória nas mesas da Páscoa bracarense). 

A Semana Santa em Braga é, sem qualquer dúvida, uma das mais importantes de Portugal. As suas origens exatas são desconhecidas, mas acredita-se que as tradições venham, pelo menos, desde o século XVI.


Durante a Quaresma há procissões, via-sacra, concertos, espetáculos e exposições e na noite de Sexta-Feira Santa decorre a imponente Procissão do Enterro do Senhor, cujos protagonistas são os Farricocos — homens descalços, com túnicas que desfilam pela cidade levando o esquife do Senhor morto. Quem assiste, não esquece a experiência!

fullsizeoutput_3279   Crédito: Infocul.pt

Nenhuma visita a Braga, principalmente na Páscoa, fica completa sem uma paragem no magnífico santuário do Bom Jesus do Monte. Suba a impressionante escadaria e aprecie a beleza deste conjunto arquitetónico-paisagístico que integra uma igreja e uma área de mata — o Parque do Bom Jesus.

"Primeiro o dever, depois o lazer", já diz o ditado popular, por isso porque não aproveitar as várias celebrações e eventos da Semana Santa para unir o útil ao agradável e hospedar-se num hotel maravilhoso como o Vila Galé Collection Braga e aproveitar todas as modernas comodidades oferecidas por esta unidade hoteleira de luxo, nomeadamente o SPA e as piscinas interior e exterior. Descubra mais sobre o Vila Galé Braga aqui.

fullsizeoutput_3278   Crédito: Booking.com

Graças à sua proximidade ao Parque Nacional da Serra do Gerês, Braga é também uma excelente base para explorar a natureza fantástica desta área. Instale-se na Pousada Mosteiro de Amares, um edifício classificado como património nacional e descubra aqui porque os seus hóspedes atribuem-lhe uma das mais altas pontuações do booking.com.

fullsizeoutput_327a  Crédito: Booking.com

AVEIRO

Conhecida como a "Veneza Portuguesa" por causa dos seus belos canais, Aveiro é sem dúvida uma das mais bonitas e charmosas cidades do país.

O seu património histórico, cultural e natural oferece atrativos suficientes para manter interessado o visitante, e a gastronomia local convence qualquer um a voltar uma e outra vez.

fullsizeoutput_3280  

Um passeio pela cidade pode começar pela Praça da República, onde encontramos edifícios monumentais como a Igreja da Misericórdia, o Teatro Municipal e os Paços do Concelho. Daí até ao Rossio são cinco minutos, passando a ria e parando obrigatoriamente na Confeitaria Peixinho. Aberta desde 1856, é a casa mais antiga de ovos-moles de Aveiro.

Ali perto, com vista para a Ria e para os famosos Moliceiros, fica o Hotel Aveiro Palace — um hotel instalado num edifício histórico, que pode ser a base perfeita para explorar todas as atrações da cidade.

Descubra aqui mais sobre este hotel.

fullsizeoutput_327b  Crédito: Booking.com

Enquanto passeia pelo centro da cidade preste atenção aos bonitos edifícios Art Nouveau e não deixe de visitar a Casa Major Pessoa que alberga um museu dedicado a este estilo arquitetónico. O Museu de Arte Nova possui também uma encantadora casa de chá, onde poderá fazer uma pausa refrescante.

Merece também atenção o Mercado do Peixe — exemplar único da arquitetura de ferro em Aveiro, e outras atrações mais recentes como o Zeca Aveiro — cafetaria e loja cujo nome homenageia o cantor Zeca Afonso, filho da terra. Neste local encontramos petiscos regionais como ovas de bacalhau ou o tradicional licor do bairro da Beira-Mar (o Licor do Alguidar). 

E, porque estamos na na época da Páscoa, não deixe de provar o Folar de Vale de Ílhavo — pão doce, típico da região, de fabrico caseiro artesanal.

fullsizeoutput_328a   Crédito: cm-ilhavo.pt

Entre um lugar e outro, pode apreciar a arte urbana de Fábio Carneiro na rua dos Marnotos, e tirar uma fotografia na Ponte de Carcavelos, no canal de São Roque, conhecida como “Ponte dos Namorados”, por atrair muitos casais que por ali param a apreciar o pôr do sol.

fullsizeoutput_327f   Crédito: wikimedia

Outra atração interessante é o Museu de Aveiro. Ele não é muito grande, mas guarda algumas preciosidades, como o belíssimo túmulo da princesa Santa Joana.

O Mercado Negro, uma associação cultural que ocupa um edifício com mais de 200 anos em frente à ria, também merece uma visita. Tem um bar, um salão de jogos e uma sala de exposições e lá dentro ouve-se muita música de dança latino-americana dos anos 50.

Quem gosta de andar de bicicleta pode usar as BUGA — bicicletas de utilização pública e gratuita de Aveiro que podem ser levantadas em pontos estratégicos da cidade.

Fora do centro existem mais atrações, como as salinas e a praia da Costa Nova. É lá que encontramos as famosas casinhas de riscas coloridas. Este é também um bom local para se hospedar se está interessado em explorar a região.

fullsizeoutput_327c

O Hotel Montebelo Vista Alegre Ílhavo é uma excelente opção. Situado a apenas 8 quilómetros do mar e a 8 quilómetros do centro de Aveiro, este hotel — que se orgulha de promover o património histórico da Vista Alegre —  está integrado num projeto de recuperação de todo o antigo espaço fabril,  que inclui ainda, o Palácio, a Capela de Nossa Senhora da Penha de França (Monumento Nacional), o Bairro Operário, o Teatro e um Museu.

Mas não é só de história que vive este hotel. Luxos como um SPA, uma piscina exterior e interior, sauna, banho turco e jacuzzi, também estão incluídos no pacote. Ficou interessado? Saiba mais aqui.

fullsizeoutput_327e  Crédito: Booking.com

ELVAS

Classificada pela UNESCO como Património Mundial devido às suas fortificações do séc. XVII e XVIII, Elvas é uma cidade que pela sua localização estratégica teve sempre uma história marcada pela guerra. A provar isto, estão as Muralhas Seiscentistas, os Fortes da Graça e de Santa Luzia, os Fortins de São Mamede, São Domingo e São Pedro, as Cercas Medievais, edifícios militares e o Centro Histórico da antiga praça-forte.

fullsizeoutput_3286  Crédito: cm-elvas.pt

Pelas suas ruas respira-se história. Não há lugar sem um palacete, sem uma casa histórica, sem um monumento. Cada esquina tem uma igreja ou convento e um estilo arquitetónico novo: desde o românico e o gótico ao rococó, passando pelo manuelino e pelo esplendor do barroco. Assim que entramos deparamo-nos com um grandioso aqueduto, construído pelo arquiteto Francisco de Arruda, o autor da Torre de Belém.

No coração de Elvas, está a zona do Castelo, a parte mais antiga da cidade. Daí até à Praça da República, onde fica a antiga Sé (agora Igreja de Nossa Senhora da Assunção) passamos pela Igreja das Domínicas, com a sua original planta octogonal, pelo Pelourinho manuelino e pela Torre Fernandina. 

fullsizeoutput_3287   Crédito: PxHere

Dignos de visita são também, o Museu de Arte Contemporânea de Elvas e o Museu Municipal da Fotografia.

A gastronomia é outro ponto alto de uma visita a Elvas. É impossível não provar a sericaia ou as ameixas de Elvas e na Páscoa é comum, como aliás no resto do Alentejo, cozinhar-se o borrego, as queijadas, os bolos fintos e, claro, o folar. Em Elvas, o típico doce pascal é feito por vezes em forma de animais, como lagartos, borregos, pintainhos ou pombos, sendo depois decorados com amêndoas brancas e ovos cozidos.

Quem quiser explorar um pouco mais os arredores pode ainda visitar as ruínas da velha Ponte da Ajuda (que ligava Elvas a Olivença) e a fortaleza de Juromenha.

Tanto dentro da cidade como nos arredores existem hotéis maravilhosos onde pode relaxar.

Experimente ficar no Hotel Rural Monte da Provença para se desligar de tudo e voltar um pouco ao passado sem ter de abdicar do conforto do mundo moderno. Descubra mais aqui.

fullsizeoutput_3281   Crédito: Booking.com

Ou opte por uma estadia no Hotel São João De Deus, um edifício que já foi convento, hospital militar e está integrado nas muralhas que fazem a fama de Elvas. Saiba mais e reserve aqui.

fullsizeoutput_3282  Crédito: Booking.com

OLHÃO

O Algarve é habitualmente o destino preferido por milhares de portugueses para gozarem as mini-férias da Páscoa. Se esse é o seu caso que tal este ano visitar Olhão, a cidade piscatória, que já foi a capital nacional da indústria conserveira e que hoje também é conhecida como a cidade “cubista”.

Pode começar por fazer o Caminho das Lendas — um percurso pedonal que liga cinco dos principais largos da zona histórica de Olhão. Cada largo está associado a uma lenda original de Olhão, perpetuando dessa forma, a memória coletiva desse lugar e das suas gentes.

Existem no concelho, monumentos e locais que, pela sua importância histórica e arquitetura singular se destacam. É o caso da Igreja Matriz de Olhão, também conhecida como Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja de Nossa Senhora da Soledade, o Museu da Cidade de Olhão e a Zona histórica.

fullsizeoutput_3288   Crédito: PxHere

Olhão é terra de pescadores e gente simples, tradição que se reflete nos edifícios pelos quais passamos na zona histórica.

Há um bairro em particular que chama a atenção — o Bairro da Barreta — cujas casas parecem cubos, efeito que valeu à cidade o título de "cubista".

fullsizeoutput_3284 Crédito: algarv-e-ventos.com

O modelo das casas, apesar de inspirado na arquitetura árabe, não é um legado da sua presença no Algarve. Foram os próprios olhanenses que construíram um bairro 'mouro'... cinco séculos depois de aquele povo ter sido expulso da região.

O que as distingue das típicas casas algarvias é que enquanto estas têm apenas um terraço as habitações cubistas têm mais do que isso: em cima do terraço têm uma segunda divisão (o mirante) e por vezes uma terceira (contramirante ou púlpito). 

Outro ex-libris da cidade são os Mercados de Olhão, que encontramos mesmo junto à Ria Formosa. Estas grandes estruturas em tijolo, ferro e vidro, recebem diariamente centenas de visitantes e oferecem o peixe, o marisco, os frutos e as verduras mais frescos de toda a região.

fullsizeoutput_328b   Crédito: algarv-e-ventos.com

Os jardins Pescador Olhanense e Patrão Joaquim Lopes, que ficam junto aos Mercados são  espaços onde pode parar um pouco para descansar e depois talvez fazer uma visita ao Museu João Lúcio, a dez minutos dali. É um bonito edifício de grande riqueza arquitetónica, que se dedica à promoção de eventos culturais e musicais.

Mas falar de Olhão é falar de marisco, afinal é aqui que em agosto se celebra o Festival do Marisco, maior festival nacional relacionado com o tema e um dos maiores eventos gastronómicos do país.

O peixe também tem especial destaque pela sua presença nas variadíssimas receitas que outrora eram dos pescadores e que hoje são pratos inesquecíveis dos restaurantes locais, pratos como safio guisado, chocos com favas, lulas abafadas, arroz de lingueirão ou xarém com conquilhas.

fullsizeoutput_3289 Crédito: algarv-e-ventos.com

Os doces também não devem ser esquecidos. Não deixe de provar os tradicionais bolos regionais à base de amêndoa ou de figo ou as deliciosas "trutas”. Na Páscoa, brilha o folar de Olhão, também conhecido por folar de folhas — uma especialidade que junta canela e açúcar amarelo, limão e manteiga como principais ingredientes.

Problemas de hospedagem não vai ter, opções das mais simples às mais luxuosas não faltam, mas não se atrase, reserve com antecedência, já sabe como é o Algarve...

Com uma localização central que permite aproveitar o que de melhor existe na cidade, como a Ria Formosa, a Ilha da Armona e a Ilha do Farol, o Hotel Cidade de Olhão oferece um alojamento de alta qualidade a preços acessíveis. Pode saber mais aqui.

118032711 Crédito: Booking.com

Já o luxuoso Real Marina Hotel e SPA permite usufruir de todas as comodidades habitualmente disponibilizadas por unidades hoteleiras 5 estrelas, como vários restaurantes, piscina, SPA; sauna,  banho turco e tudo quanto possa precisar para umas mini-férias de sonho.

Saiba tudo aqui.

fullsizeoutput_3285 Crédito: Booking.com

 

Artigo Patrocinado pelo Booking.com e originalmente publicado no SAPO Viagens

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.