Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

UMA CASA DE LOUCO(S)

“Só há uma diferença entre um louco e eu. O louco pensa que é são, mas eu sei que sou louco” - Salvador Dali

 

dali-museum.jpg

 

A primeira vez que vi uma reprodução das pinturas de Salvador Dali, era bem novinha e fiquei profundamente impressionada pelo universo estranho que ele conseguia criar. Era tão diferente dos quadros que tinha visto até então…

 

Fiquei perdida a olhar para os relógios meio derretidos pendurados em ramos no deserto e ovos donde nasciam seres humanos.

 

fullsizeoutput_1abc.jpeg

3-surreal-paintings-by-salvador-dali.jpg

 

salvador-dali_galatea-of-the-spheres_thirddime.jpg

 

Dali usava os sonhos (pesadelos?) como inspiração e os quadros, dizia ele, eram uma manifestação do seu subconsciente.

 

Tudo aquilo fascinou-me e até hoje Dali é um dos meus pintores preferidos.

 

É natural portanto que tivesse curiosidade em conhecer Figueres, a cidade onde nasceu.

 

Figueres é uma pequena localidade, situada a cerca de uma hora de Barcelona e por ser a cidade natal de Salvador Dali alberga um Museu com o seu nome que é considerado o maior objecto surrealista do mundo.

 

13060033.JPG

 

Dali era uma pessoa excêntrica, com uma imaginação fértil e este museu espelha bem a sua personalidade e a pessoa que ele era.

 

O edifício, um antigo teatro, é no mínimo original. Conseguimos ver de longe a sua fachada colorida com ovos no topo - ovos? 😲 sim leram bem - ovos! 😃

 

fullsizeoutput_1432.jpeg

 

O que uma visita a este (louco) museu tem de interessante é que permite observar o crescimento de Dali enquanto artista, As suas pinturas iniciais incluem naturezas-mortas, paisagens e retratos mas os corredores tem muitos esboços e desenhos onde podemos começar a ver o surrealismo a emergir.

 

13060019.JPG

 

13060047.JPG

13060050.JPG


Alguns quartos, como o quarto Mae West representam já o ponto alto da arte surrealista de Dali. O quarto, suas mobílias e cortinas foram desenhados para, de longe, criar a ilusão do rosto da conhecida actriz Americana.

 

cat_41-960x600.jpg

 

Na casa-museu encontramos também esculturas, hologramas, cenários de filmes e jóias incomuns.

 

13060035.JPG

 

Uma peça de que gostei muito foi uma jóia que imitava um pequeno coração a bater. O coração, incrustado de rubis, tinha um mecanismo que realmente parecia fazer o coração palpitar. Era estranho mas ao mesmo tempo bonito e delicado.

 

 

Mas há tantas obras de arte neste espaço que é difícil saber para onde olhar. Em cada canto descobres alguma coisa nova. 

 

fullsizeoutput_1ac1.jpeg

13060034.JPG

 

13060046JPG.jpg

13060041.JPG

 

É fácil de perceber porque Salvador Dalí é considerado um dos expoentes máximos do movimento surrealista. Além de criar cerca de 1500 pinturas e milhares de obras de arte, colaborou com grandes realizadores de cinema como Luís Buñuel e Alfred Hitchcock, escreveu livros e fez uma fortuna com cartazes comerciais e publicidade (sabiam que foi ele que desenhou o logotipo do Chupa Chups, por exemplo?).

 

logo_chupa_chups.jpg

  

Dalí foi um dos mais irreverentes e inovadores artistas do século XX e uma visita a Figueres e à sua casa-museu é uma óptima oportunidade de conhecer e perceber melhor a sua obra. 

 

fullsizeoutput_1433.jpeg

 

DICAS:

  • O museu é muito popular e há o risco de não conseguir bilhetes para visitar no próprio dia por isso é preferível, e mais confortável, comprar os bilhetes on-line

 

  • É possível comprar bilhetes para visitar o museu de noite.

 

  • Figueres tem duas estações de comboio: Fugueres Vilafant e Figueres, esta última fica no centro da cidade e é a mais próxima do Museu.

 

Sigam-me no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

 

 

UM MUSEU TÃO BOM, TÃO BOM, QUE ATÉ DEIXA-TE CAÇAR POKÉMONS LÁ DENTRO

Olá amigos viajantes!

Se são loucos por viagens e pelo Pokémon Go e se por acaso até vão visitar Nova Iorque nos próximos tempos, fiquem a saber que uma das atracções imperdíveis da cidade - O Metropolitan Museum of Art - agora também oferece um tour que nos permite transformar uma viagem, já de si fascinante, por este impressionante museu, em um Pokéwalk cheia de adrenalina! (pelo menos é o que diz o panfleto do tour 😜)

 

2017_06_museumhack.jpg

 

O tour é organizado pelo Museum Hack, e oferece ao visitante do MET a oportunidade de apanhar um Pikachu, enquanto vagueia pelas várias salas de exposição.

O tour pode ser marcado aqui: Museum Hack , custa 39 US Dolars e  incluí o bilhete de admissão ao Museu. 

 

Dirigido por um guia, este tour está planeado de forma a que os visitantes possam observar, aprender e apreciar as obras de arte expostas ao mesmo tempo que caçam Pokémons.

 

Mas como é que isso é possível? perguntam vocês. Isso parece um desrespeito pela arte dirão muitos..

 

Pois bem, O MET  que percebe como é importante acompanhar as tendências e manter o museu dinâmico e a arte uma experiência divertida e excitante, conseguiu com algum engenho e de forma simples conciliar as duas coisas. 

 

Criou PokéStops com a duração de cinco minutos cada que permitem aos visitantes divertirem-se a caçar monstrinhos e depois, acabado esse tempo, guardarem os seus telemóveis e apreciarem, com a ajuda de um guia que explica, os objectos de arte que os circundam. 

O tour também inclui jogos, visitas a exposições cujo tema são os animais e uma batalha final pelo domínio de uma das áreas do museu 😄

 

Se eu já achava que este era o melhor Museu do mundo agora ainda fiquei mais convencida.

Devo confessar que não sou grande conhecedora do Pokémon, já era crescidinha quando a série de animação passou na tv Portuguesa, mas mesmo assim, porque sempre fui (e continuo a ser) grande fã da animação japonesa, assisti a alguns episódios e achei-lhes piada.

 

Posso ter alguma dificuldade em compreender a dimensão que o fenómeno Pokémon Go atingiu, mas adoro a ideia deste museu, que ao longo dos anos tem sabido manter-se actual e relevante para diferentes gerações. Lembro-me que foi um dos primeiros museus a ter uma aplicação para smartphone que podíamos descarregar para aceder a um guia áudio gratuito.

 

Como não estou por dentro dos eventos Pokémon não sei se algum museu aqui em Portugal se lembrou de fazer isto, mas se não fez, fica aqui a ideia, acho que ia ter adesão, não concordam? 😊 

 

IMG_2145.jpg

Tchau!

Travellight