Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

MURANO I A ILHA DO VIDRO

fullsizeoutput_1db4.jpeg

 

Murano, é uma ilha que fica a cerca de 1 km do centro de Veneza.


Para ser exacta, apesar de ser conhecida como uma ilha, Murano é na verdade um arquipélago de sete ilhas menores, unidas entre si por pontes.

 

fullsizeoutput_1d8d.jpeg

 

É um lugar bem mais calmo que Veneza. Não há tantos turistas e conseguimos andar mais à vontade. A maioria nem chega a vir até aqui e os que vem é para ver aquilo pelo qual a ilha é mais famosa: O vidro.

 

Murano é reconhecido internacionalmente pelas maravilhosas e delicadas obras em vidro que são produzidas pelos seus artificies locais.

 

fullsizeoutput_1da0.jpeg

MURANO 1.jpg

P3191072.JPG

 

O fabrico de vidro na ilha de Murano remonta a 1291, quando os fabricantes instalados no centro de Veneza foram forçados a mudar-se para lá como medida preventiva para evitar que um incêndio de grandes proporções e potencialmente devastador ocorresse em Veneza. A maioria das pontes e casas eram na altura construídas em madeira por isso o perigo de incêndio era bem real. Começou então aí a longa história de Murano como um dos centros mais proeminentes de fabricação de vidro no mundo.

 

fullsizeoutput_1da2.jpeg

fullsizeoutput_1dad (1).jpeg

 

Apesar de ao longo dos últimos anos muitas fabricas terem fechado, ainda hoje é possível ver os artesãos a fabricar vidro nas várias fundições da Ilha. Muitas delas tem salas de exposição e locais onde os turistas podem assistir a todo o processo de fabrico das diferentes peças decorativas e candeeiros.

 

A fundição onde estive tinha uma sala de exposição muito bonita e foi muito interessante ver os vários componentes do vidro e assistir à forma como é moldado até se transformar em belas e espantosas peças de arte.

 

P3191147 (1).JPG

MURANO 3.jpgmurano 2.jpg

 

Quem quiser saber mais detalhes sobre a história do vidro pode ainda visitar o Museu que lhe é dedicado e aprender que em Murano inicialmente eram produzidos espelhos depois evoluiu-se para a produção de jóias, depois para candeeiros e candelabros e finalmente para peças decorativas e artísticas.

 

fullsizeoutput_1da9.jpeg

fullsizeoutput_1dac.jpeg

fullsizeoutput_1db3.jpeg

 

Mas o fabrico de vidro, não é a única coisa que há para ver em Murano.

 

A ilha tem uma atmosfera relaxada e é muito agradável passear por ali, ver e fotografar pequenos detalhes...

 

fullsizeoutput_1d92.jpeg

MURANO 4.jpg

MURANO 6.jpg

fullsizeoutput_1d94.jpeg 

fullsizeoutput_1da8.jpegP3180066.JPG

fullsizeoutput_1db1.jpeg

 

Há algumas igrejas interessantes que também vale a pena visitar como por exemplo a Basílica de Santa Maria e San Donato que data do início do século XII e tem um piso de mosaico em mármore e vidro que se assemelha ao da Basílica de San Marcos. E a igreja de San Pietro Martire, que foi construída no século XV, e contém algumas telas feitas por Bellini.

 

Outro lugar muito popular na ilha é o Campo Santo Stefano, onde se destaca uma torre do relógio que data do século XIX e uma escultura enorme toda em vidro que embeleza ou, segundo alguns, enfeia a praça (eu pessoalmente não gostei). 

 

O Campo Santo Stefano está localizado do outro lado do canal da Igreja de San Pietro Martire e é um ponto de encontro para os locais e para turistas porque tem à volta cafés e restaurantes.

 

P3191205.JPG

 

P3191193.JPG

 

Por toda a ilha encontramos também lojas que vendem todo o tipo de peças em vidro. Desde pequenas lembranças até peças de design moderno.

 

fullsizeoutput_1d96.jpeg

MURANO 7.jpg

fullsizeoutput_1d9e.jpeg

fullsizeoutput_1db0.jpeg

 

Para chegar a Murano a partir de Veneza basta apanhar um vaporetto na paragem Fondamenta Nuove. A travessia leva cerca de 10 minutos. 

 

fullsizeoutput_1dae.jpeg

fullsizeoutput_1d9b.jpeg

 

Tchau!

Travellight

O SANTUÁRIO DOS PORTÕES VERMELHOS

Estava em Quioto há 2 dias quando decidi visitar uma das maiores atracções da região - O santuário Fushimi Inari Taisha.

 

Apanhei o comboio na estação central de Quioto e passados 5 minutos estava na estação de Inari, mesmo em frente ao santuário.

 

fullsizeoutput_1ca8.jpeg

 

Cheguei pouco depois do amanhecer porque já sabia que aquele lugar, apesar de estar aberto 24 horas por dia, enchia muito rapidamente. Eu queria ter a oportunidade de o explorar com alguma paz e sossego.

 

Fiz bem porque assim pude percorrer todo o recinto em cerca de 2 horas e meia com toda a tranquilidade.

 

fullsizeoutput_1ca7.jpeg

fullsizeoutput_1c9e.jpeg

 

Há medida que a manhã avançava, cada vez mais gente aparecia para visitar o santuário. Muitos vinham vestidos com roupas tradicionais da região e davam um colorido ainda mais interessante ao lugar.

 

fullsizeoutput_1c6f.jpeg

 

red gates 1.jpg

red gates 2.jpg

 

Para subir até ao topo dos 233 metros da montanha Inari atravessei mais de quatro mil Torii (portões) vermelhos e alaranjados, visitei vários templos que fazem parte do complexo e assisti a algumas cerimónias sagradas que ali tem lugar. 

 

fullsizeoutput_1ca9.jpeg

red gates 5.jpg 

P6102247.JPG

fullsizeoutput_1ca6.jpeg

fullsizeoutput_1c8a.jpeg

 

Em alguns lugares, os portões eram tão próximos que até a luz do sol tinha dificuldade de passar. Uns eram mais altos, outros um pouco mais baixos mas juntos eles formavam um túnel encantado que serpenteava até ao cimo da montanha verdejante e criava bonitos jogos de luz.

 

P6102315.JPG

fullsizeoutput_1c74.jpeg

 

Fushimi Inari Taisha é o templo central e situa-se na base do monte. É o mais importante santuário de Xintoísmo de Quioto e uma das suas atracções principais.
O santuário é dedicado a Inari, o deus Japonês do arroz.

 

fullsizeoutput_1c91.jpeg

fullsizeoutput_1c97.jpeg

 

Diz a crença popular que é ele o responsável pelo bem estar e pela prosperidade dos comerciantes.
É tido como o patrono dos negócios e isso explica o porquê do santuário ser tão extenso - ocupando cerca de 4 quilómetros da base até ao topo da montanha - cada um dos portões foi doado por um indivíduo ou um negócio japonês na esperança de receber boa sorte e fortuna.

 

O nome do doador é inscrito em tinta preta na parte de trás de cada portão para que todos saibam que foi ele que fez a doação.

 

fullsizeoutput_1c77.jpeg

fullsizeoutput_1c81.jpeg

 

O santuário foi fundado em 711 e tem uma história interessante associada à sua origem. Segundo a lenda, um bolo de arroz foi atirado ao ar e transformou-se num cisne, voando para longe e aterrando no pico de uma montanha onde arroz começou a crescer - um presságio auspicioso no Japão - Isso levou à decisão de construir ali um santuário dedicado a Inari, o Deus do Arroz.

 

Pelo santuário é comum encontrarmos raposas de pedra. A raposa é considerada o mensageiro de Inari. Algumas tem uma chave na boca que representa a chave do celeiro onde se guardava o arroz.

 

fullsizeoutput_1c93.jpeg

red gates 3.jpg

 

Pessoas de todas as idades reúnem-se neste santuário para rezar por colheitas abundantes e para pedir sucesso nos seus negócios.

 

É um lugar abençoado, um mundo próprio e simplesmente uma das vistas mais impressionantes e memoráveis ​​de todo o Japão.

 

fullsizeoutput_1c72 (1).jpeg

Sigam-me no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

 

DICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA UMA VIAGEM A SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

 

fullsizeoutput_1c55.jpeg

  

Quando comecei a preparar a viagem a São Tomé e Príncipe pareceu-me que, ao contrário da maioria dos destinos que visitei, não havia ainda muita informação on-line sobre o país. 

 

Resolvi por isso fazer um post com algumas dicas e informações básicas para quem está a pensar visitar estas ilhas:

 

1 - Visto: Para visitar São Tomé e Príncipe é necessário passaporte com uma validade mínima de 6 meses. Os cidadãos Portugueses, assim como os cidadãos nacionais de outros estados-membros da União Europeia (espaço Schengen), estão isentos de visto para permanências inferiores a 15 dias.

 

2 - Vacinas: Não há vacinas obrigatórias, mas é sempre bom ir à consulta do viajante para saber que cuidados devemos ter. A profilaxia da malária é quase sempre recomendada. Podem fazer a consulta do viajante on-line aqui ou marcar no Instituto de Higiene e Medicina Tropical (Lisboa). telf:213 652 600 / 213 627 553 ou ainda no Centro Regional de Saúde Publica do Norte (Porto). telf: 222 002 540.

 

PA033476.JPG

 

3 - Comida e bebida: A água canalizada não é toda potável por isso bebam só água engarrafada e não aceitem gelo nas bebidas. Há sempre muita oferta de peixe fresco e fruta. Quanto a restaurantes, A Dona Teté é um espaço simples (praticamente é o pátio de uma casa de família) mas tem comida típica deliciosa e vale a pena conhecer. Vão de táxi porque é complicado lá chegar para quem não conhece. Outro restaurante que recomendo é o 5 sentidos, tem preços mais altos, mas a comida é muito boa, preparada com sofisticação e o empratamento é cuidado. Nas Rolas não percam um almoço na praia Café. É preparado pelo pessoal da aldeia depois da pesca, é do melhor que há!

No Príncipe recomendo o restaurante do resort Bom Bom.

 

PA044095 (1).JPG

 

Quem é viciada em chocolate como eu 😋, não pode deixar de visitar a fábrica de chocolate do Claudio Corallo, apesar de não se aprender (ou ver) nada sobre a produção do chocolate em si, o que é uma decepção para quem vai ver uma “fábrica”, a visita vale pela prova dos diferentes produtos ali fabricados. Quando fui não estava muita gente, mas já ouvi pessoas queixarem-se que por vezes o espaço, que é pequeno enche muito e torna-se inconfortável. Só recomendo se gostam muito, mas muito de chocolate, se não correm o risco de ficar desapontados.

 

fullsizeoutput_1c3e.jpeg

 

4 - Dinheiro: Os Euros são aceites em todo o lado por isso não vale a pena trocar dinheiro para Dobras (a moeda local). Atenção que não há maquinas de ATM para fazer levantamentos, por isso devem levar dinheiro para despesas. Levem várias notas de valor pequeno (5 e 10 euros) e moedas para poder acertar as contas, porque apesar de aceitarem Euros, se não tiverem a quantia certa, o troco pode ser-vos dado em Dobras (esta dica deu-me o Triptofano - obrigada trip!).


Os Hotéis do grupo Pestana (São Tomé, Miramar e Equador) e HBD STP (Bom Bom Resort e Omali) aceitam pagamento em cartão de crédito (visa e mastercard), alguns outros hotéis também aceitam este tipo de pagamento. Fora os hotéis não são aceites, em regra, pagamentos em cartão. Alguns estabelecimentos também não aceitam pagamento em moedas de euro (só aceitam notas).

 

5 - Internet: Os hotéis (do grupo Pestana e HBD STP) tem Internet mas nem sempre funciona bem.

 

6 - Clima: é muito quente e húmido. Levem roupa fresca e um bom par de ténis se quiserem fazer alguns trilhos a pé. Viajei em Outubro que é época de chuvas mas só apanhei um pouquinho na ilha do Príncipe, nos outros dias esteve sempre muito bom tempo. Levem sapatos para andar dentro de água porque em São Tomé algumas praias tem muitas pedrinhas e é difícil entrar na água sem sapatos apropriados (no Príncipe não tive esse problema). É importante não esquecer do protector solar e do repelente para mosquitos.

 

7 - Crianças: Estão por todo o lado 😃. Se conseguirem levem canetas, lápis de cor, mochilas, escovas de dentes, livros, cadernos ou outro material escolar e entreguem numa das várias instituições. Evitem dar doces às crianças. Elas pedem sempre que vêem um turista, mas foi-me dito que esse hábito está a arruinar a saúde dentaria dos miúdos e o país não tem condições de fazer face a este problema.

 

8 - Criminalidade: Achei São Tomé e Príncipe um dos países mais seguros que já visitei. Em todo o caso, e como em qualquer lugar do mundo, deve imperar o bom senso e evitar comportamentos de risco.

 

9 - Excursões: Em São Tomé há dois tours principais: o que faz a Rota Sul, percorre as melhores praias e inclui almoço na roça São João e a Rota Norte/Centro que visita as roças principais, como a Agostinho Neto e a cascata de São Nicolau. Quem não fica hospedado no Hotel Pestana Equador pode ainda visitar o Ilhéu das Rolas num passeio que dura um dia. Quem fica hospedado nos outros hotéis do Grupo (Pestana São Tomé e Pestana Miramar) se visitar o ilhéu tem direito a usufruir gratuitamente da piscina. Também é possível fazer passeios a pé a partir de Bom Sucesso até à Lagoa Amélia passando pelo Parque nacional do Obó.
No Príncipe podem visitar Santo António, a capital da ilha e aproveitar as praias paradisíacas do ilhéu Bom Bom.

 

PA054256.JPG


10 -Transporte: Em São Tomé, existem táxis mas outro tipo de transporte público é praticamente inexistente. Algumas carrinhas funcionam como autocarros e são muito baratas mas não me apercebi de terem horário fixo. A melhor opção é alugar um automóvel para fazer a volta à ilha ou recrutar os serviços de um guia. As excursões são caras (de 60 Euros para cima p/pessoa) mas com um guia tens sempre mais informação sobre o país. Quando chegas ao aeroporto há logo uma série deles que vem ter contigo para tentar marcar passeios.

 

Podem ler um pouco mais sobre São Tomé e Príncipe aqui e aqui 😃

 

Tchau!

Travellight

A LINHA DO EQUADOR

fullsizeoutput_1c37.jpeg

 

O equador é a linha imaginária que separa o hemisfério norte do hemisfério sul e atravessa o centro da Terra a uma latitude de exactamente zero graus. Na África, o equador percorre 4.020 quilómetros e atravessa sete países da África Ocidental, Central e Oriental: Gabão, República do Congo, República Democrática do Congo, Uganda, Quénia, Somália e São Tomé e Príncipe.

 

No passado, viajantes aventureiros, faziam a sua caminhada por África seguindo essa linha que atravessa alguns dos ambientes mais extremos da Terra - incluindo as selvas remotas do Congo, as montanhas enevoadas do Uganda e as águas profundas do maior lago de África, o Lago Victoria.

 

Eu adorava um dia seguir os passos desses grandes aventureiros mas África não é propriamente um dos Continentes mais fáceis de explorar 😳


Por isso, e por enquanto, dou-me bem por satisfeita de ter visitado o ilhéu das Rolas em São Tomé e Príncipe e ter visto ao vivo e a cores (e que cores 😊!) um dos mais belos marcadores equatoriais do Mundo.

 

fullsizeoutput_1c3a.jpeg

fullsizeoutput_1c3b (1).jpeg

 

O Padrão do Equador - erigido em 1936, a partir dos trabalhos geodésicos e astronómicos realizados por Gago Coutinho entre 1916 e 1918 em São Tomé - é um pequeno monumento que assinala a passagem da linha equatorial pelo Ilhéu das Rolas.


Estando no Ilhéu das Rolas é fácil de chegar até aqui, apesar de não haver (que eu visse) qualquer placa ou outra indicação. O trilho, de terra batida, começa perto da aldeia local e vai sempre a subir. Se tiverem dificuldades em encontrar o caminho basta perguntar a qualquer pessoa que esteja perto do cais ou da aldeia e eles gentilmente indicam ou acompanham-nos até lá acima.

 

 

PA012720.JPG

 

Se forem com um dos aldeões o percurso é bem mais divertido porque no caminho de certeza que ele vai falar-te sobre o seu modo de vida e mostrar-te as várias plantas locais e as suas aplicações medicinais.

 

Passados uns 25 minutos chegas ao Padrão que está a precisar de algum restauro mas continua muito bonito.

 

No chão está um mosaico que desenha o mapa mundo e mostra a linha que separa os dois hemisférios. No centro um pequeno pedestal homenageia o oficial da Marinha, navegante e historiador Português, Gago Coutinho, responsável pela determinação exacta daquele ponto.

 

PA012771 (1).JPG

 

As vistas a partir do Padrão também são maravilhosas, conseguimos ver a ilha de São Tomé à nossa frente e em baixo grande parte do Ilhéu das Rolas.

 

fullsizeoutput_1c3c.jpegPA012768.JPG

 

A posição do equador está directamente relacionada ao eixo rotativo da Terra, que se move ligeiramente ao longo do ano.

 

Portanto, o equador não é estático - o que significa que a linha desenhada no chão em alguns marcadores equatoriais nem sempre é inteiramente precisa. Isso pode explicar porque alguns turistas, usando a moderna tecnologia do GPS, dependendo da altura do ano em que fazem a visita, “queixam-se” que o local certo é um pouco mais à direita ou um pouco mais à esquerda, ao passo que outros verificam que é exactamente ali. No entanto, este é um detalhe técnico, e estes marcadores ainda são o mais próximo que temos do “meio” da Terra. E depois, é divertido dizer aos amigos que atravessamos o Equador e ficamos com um pé em cada hemisfério 😃.

 

fullsizeoutput_1c34.jpeg


“Percorrendo de lés a lés a ilha, Gago Coutinho conseguiu fixar em mapa, a que o tempo ainda não roubou valor, a fisionomia da ilha de S. Tomé; a exactidão com que trabalhou e a existência providencial de um ilhéu permitiram-lhe trazer, nesses anos recuados, contribuição valiosa para a ciência, de grande repercussão no estrangeiro ; é quando no ilhéu das Rolas e através de cálculos minuciosos determina a passagem «exacta» do equador. “- Francisco José Vasques Tenreiro

 

 

fullsizeoutput_1c35.jpeg

 

Tchau!

Travellight

POVO QUE LAVAS NO RIO

Olá amigos viajantes!

 

Estou de volta e completamente apaixonada pelo último destino que visitei: São Tomé e Príncipe.

 

Quem aqui vai sabe que mesmo depois do nosso regresso, estas Ilhas ficam para sempre no nosso coração 😍


Situadas ao longo da costa ocidental de África, estas antigas colónias Portuguesas, permanecem intocadas pelo turismo de massas, o que as transforma no lugar perfeito para umas férias descansadas e relaxantes.

 

Aqui podemos explorar florestas, trilhas e quedas de água, aproveitar praias desertas de areia branca e visitar antigas roças de cacau. Podemos provar o melhor chocolate do mundo e beber o delicioso e aromático café de São Tomé... Ahhh...ainda agora cheguei e já estou com saudades.

 

Mas melhor ainda, podemos mergulhar na cultura local e cumprimentar toda a gente com um “bom dia” para retribuir aqueles sorrisos imensos que nos abraçam com simpatia e calor.


Para além da boa disposição geral das pessoas, uma das coisas que mais chamou a minha atenção em São Tomé foi a maneira como a vida quotidiana parecia girar à volta dos rios.

 

Estes cursos de água são lugares divertidos, barulhentos e cheios de cor. As mulheres lavam ali a roupa, estendem-na ao milhar nas pedras, na relva, na terra, conversam, riem, partilham novidades.

 

 

fullsizeoutput_1c24.jpeg

 

Parece uma versão a cores do filme “Aldeia da roupa branca”. Quase que oiço a Beatriz Costa a cantar: 🎶 três corpetes, um avental, sete fronhas e um lençol, três camisas um enxoval que a freguesa deu ao rol 🎶 😃

 

fullsizeoutput_1c1d.jpegfullsizeoutput_1c0f.jpeg

 

Junto com as mulheres temos os miúdos que brincam, tomam banho, nadam, mergulham. É uma festa!

 

fullsizeoutput_1c17.jpeg

 

Um dos lugares que visitei e que melhor ilustra isto que vos digo, foi a praia da Pescada (penso que era este o nome, se não for peço a quem saiba que me corrija).

 

Maravilha da natureza este local consegue juntar no mesmo espaço (por esta ordem) cascatas, um rio e uma praia.

Toda a comunidade que vive ali à volta junta-se aqui. Uns lavam, outros brincam, outros vão pescar… É tão lindo, é mesmo um lugar incrível!

 

fullsizeoutput_1c23.jpeg

fullsizeoutput_1c18.jpeg

fullsizeoutput_1c14.jpeg

fullsizeoutput_1c13.jpeg

fullsizeoutput_1c15.jpeg

fullsizeoutput_1c16.jpeg

Por hoje fico por aqui. 

Amanhã há mais 😃

 

Tchau!

Travellight

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Olá amigos viajantes!

 

Estou por terras de São Tomé e Príncipe 😃

 

Se quiserem acompanhar a minha viagem sigam-me no Instagram 

 

 

"With the possible exception of the equator, everything begins somewhere."- C. S. Lewis #equadorline #saotome #visitsaotomeeprincipe

Uma publicação partilhada por Travellight (@thetravellightworld) a

 

Tchau!

Travellight

ESTIVE DENTRO DE UM VULCÃO!

Antes de chegar ao Algar do Carvão eu já tinha visto fotos do local, mas garanto-vos que nada me preparou para o que encontrei ao atravessar o túnel que conduz ao interior da cratera.

 

Só me lembro de pensar: Wow! Que lugar fantástico!!!

 

fullsizeoutput_1bc9.jpegAlgar do Carvão 1.jpgfullsizeoutput_1bc8 (1).jpeg

 

É como entrar num jardim secreto sabem? Parece saído directamente de um conto de fadas.

 

Este vulcão extinto é um dos poucos no mundo que podemos visitar e uma das mais interessantes maravilhas naturais da Ilha Terceira.

 

fullsizeoutput_1bbd.jpeg

fullsizeoutput_1bda.jpeg


É difícil as fotos fazerem jus à beleza do local. O sol, que entra pela abertura da cratera, ilumina-o de uma forma muito peculiar.

 

fullsizeoutput_1bd4.jpeg

 

Os feixes de luz produzem efeitos especiais na vegetação e nas paredes transformando aquela caverna húmida num cenário espantoso e cheio de cor.

 

Algar do Carvão 2.jpg

 

A parte superior da chaminé vulcânica é particularmente bela porque está coberta de vegetação. À medida que descemos pelo cone a biodiversidade vai baixando mas a beleza não.

 

fullsizeoutput_1bd5.jpeg

Algar do Carvão 3.jpg

fullsizeoutput_1bd7.jpeg

 

No fundo da cratera existe uma lagoa. Leva uns 30 minutos a descer e subir todos os degrau, mas vale bem a pena o esforço!

 

Afinal não é todos os dias que podes dizer: Estive dentro de um vulcão! 😃

 

fullsizeoutput_1bdd.jpeg

 


HORÁRIOS DE VISITA

* 1 junho a 15 outubro - Todos os dias - 14:00h às 18:00h
* 17 outubro a 23 março 2018 - Terças, quartas, sextas e sábados -  14:30h às 17:15h
   As grutas encerram a: 1 dezembro 2017 e a 13 fevereiro 2018


 
PREÇÁRIO  

* Bilhete Normal: 6,00€
* Bilhete Normal c/desconto: 5,00€ (portadores do cartão jovem regularizado)

 

- Os degraus estão molhados e podem ser escorregadios por isso se visitarem levem sapatos apropriados. 

- No interior é um pouco frio por isso não é má ideia levar um casaco.

- Cuidado com máquinas fotográficas e outro equipamento eletrónico porque pode molhar-se

 

 Para mais informações consultem Os Montanheiros 

 

P9090290 (1).JPG

 

Tchau!

Travellight

 

INDIA

Olá amigos viajantes!

 

Estou em viagem pela Índia, quando voltar conto-vos tudinho 😃.

 

Até lá acompanhem-me no Instagram e no Facebook!

 

 

Hello India! It's nice to be back here 😊 #delhi #india

Uma publicação partilhada por Travellight (@thetravellightworld) a

MY TRAVEL WISH LIST I HOTEL JUVET LANDSCAPE

IMG_3921_DxO_raw.jpg

 

A série Norueguesa “Absolvição” (Frikjent) que passa na SIC Radical, está a dar-me uma vontade imensa de regressar à Noruega e revisitar aquelas paisagens incríveis.


Motivos não faltam mas se faltassem o Hotel Juvet Landscape resolvia.

 

Alguns hotéis conseguem ser um destino por si só e esse parece ser o caso deste hotel situado numa quinta da pequena aldeia de Alstad.


O Hotel Juvet Landscape pretende ser uma síntese da natureza Norueguesa com a sua história, cultura e arquitectura. Mostrando que o moderno e o inovador podem andar de mãos dadas com a tradição de construção local e o artesanato.

 

juvet-landscape-hotel-20.jpg

tumblr_mrlpw63xl41r5nhm8o6_1280.jpg

fullsizeoutput_1acd.jpeg

 

O hotel é composto por nove quartos independentes localizados separadamente, cada um com uma perspectiva única sobre a paisagem circundante. Além disso, há a oportunidade de ficar nos edifícios antigos da quinta, como a casa do moinho ou o celeiro.

 

Juvet-26.jpg

The-Juvet-Hotel-Valldal-Norway-Europe-0004.jpg

 

tumblr_mrlpw63xl41r5nhm8o4_1280.jpg

 

Do que vi, uma noite custa a partir de 178,00€ (1.650 NOK) por pessoa.

 

Vai definitivamente para a minha travel wish list 😊