Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

DICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA UMA VIAGEM A SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

 

fullsizeoutput_1c55.jpeg

  

Quando comecei a preparar a viagem a São Tomé e Príncipe pareceu-me que, ao contrário da maioria dos destinos que visitei, não havia ainda muita informação on-line sobre o país. 

 

Resolvi por isso fazer um post com algumas dicas e informações básicas para quem está a pensar visitar estas ilhas:

 

1 - Visto: Para visitar São Tomé e Príncipe é necessário passaporte com uma validade mínima de 6 meses. Os cidadãos Portugueses, assim como os cidadãos nacionais de outros estados-membros da União Europeia (espaço Schengen), estão isentos de visto para permanências inferiores a 15 dias.

 

2 - Vacinas: Não há vacinas obrigatórias, mas é sempre bom ir à consulta do viajante para saber que cuidados devemos ter. A profilaxia da malária é quase sempre recomendada. Podem fazer a consulta do viajante on-line aqui ou marcar no Instituto de Higiene e Medicina Tropical (Lisboa). telf:213 652 600 / 213 627 553 ou ainda no Centro Regional de Saúde Publica do Norte (Porto). telf: 222 002 540.

 

PA033476.JPG

 

3 - Comida e bebida: A água canalizada não é toda potável por isso bebam só água engarrafada e não aceitem gelo nas bebidas. Há sempre muita oferta de peixe fresco e fruta. Quanto a restaurantes, A Dona Teté é um espaço simples (praticamente é o pátio de uma casa de família) mas tem comida típica deliciosa e vale a pena conhecer. Vão de táxi porque é complicado lá chegar para quem não conhece. Outro restaurante que recomendo é o 5 sentidos, tem preços mais altos, mas a comida é muito boa, preparada com sofisticação e o empratamento é cuidado. Nas Rolas não percam um almoço na praia Café. É preparado pelo pessoal da aldeia depois da pesca, é do melhor que há!

No Príncipe recomendo o restaurante do resort Bom Bom.

 

PA044095 (1).JPG

 

Quem é viciada em chocolate como eu 😋, não pode deixar de visitar a fábrica de chocolate do Claudio Corallo, apesar de não se aprender (ou ver) nada sobre a produção do chocolate em si, o que é uma decepção para quem vai ver uma “fábrica”, a visita vale pela prova dos diferentes produtos ali fabricados. Quando fui não estava muita gente, mas já ouvi pessoas queixarem-se que por vezes o espaço, que é pequeno enche muito e torna-se inconfortável. Só recomendo se gostam muito, mas muito de chocolate, se não correm o risco de ficar desapontados.

 

fullsizeoutput_1c3e.jpeg

 

4 - Dinheiro: Os Euros são aceites em todo o lado por isso não vale a pena trocar dinheiro para Dobras (a moeda local). Atenção que não há maquinas de ATM para fazer levantamentos, por isso devem levar dinheiro para despesas. Levem várias notas de valor pequeno (5 e 10 euros) e moedas para poder acertar as contas, porque apesar de aceitarem Euros, se não tiverem a quantia certa, o troco pode ser-vos dado em Dobras (esta dica deu-me o Triptofano - obrigada trip!).


Os Hotéis do grupo Pestana (São Tomé, Miramar e Equador) e HBD STP (Bom Bom Resort e Omali) aceitam pagamento em cartão de crédito (visa e mastercard), alguns outros hotéis também aceitam este tipo de pagamento. Fora os hotéis não são aceites, em regra, pagamentos em cartão. Alguns estabelecimentos também não aceitam pagamento em moedas de euro (só aceitam notas).

 

5 - Internet: Os hotéis (do grupo Pestana e HBD STP) tem Internet mas nem sempre funciona bem.

 

6 - Clima: é muito quente e húmido. Levem roupa fresca e um bom par de ténis se quiserem fazer alguns trilhos a pé. Viajei em Outubro que é época de chuvas mas só apanhei um pouquinho na ilha do Príncipe, nos outros dias esteve sempre muito bom tempo. Levem sapatos para andar dentro de água porque em São Tomé algumas praias tem muitas pedrinhas e é difícil entrar na água sem sapatos apropriados (no Príncipe não tive esse problema). É importante não esquecer do protector solar e do repelente para mosquitos.

 

7 - Crianças: Estão por todo o lado 😃. Se conseguirem levem canetas, lápis de cor, mochilas, escovas de dentes, livros, cadernos ou outro material escolar e entreguem numa das várias instituições. Evitem dar doces às crianças. Elas pedem sempre que vêem um turista, mas foi-me dito que esse hábito está a arruinar a saúde dentaria dos miúdos e o país não tem condições de fazer face a este problema.

 

8 - Criminalidade: Achei São Tomé e Príncipe um dos países mais seguros que já visitei. Em todo o caso, e como em qualquer lugar do mundo, deve imperar o bom senso e evitar comportamentos de risco.

 

9 - Excursões: Em São Tomé há dois tours principais: o que faz a Rota Sul, percorre as melhores praias e inclui almoço na roça São João e a Rota Norte/Centro que visita as roças principais, como a Agostinho Neto e a cascata de São Nicolau. Quem não fica hospedado no Hotel Pestana Equador pode ainda visitar o Ilhéu das Rolas num passeio que dura um dia. Quem fica hospedado nos outros hotéis do Grupo (Pestana São Tomé e Pestana Miramar) se visitar o ilhéu tem direito a usufruir gratuitamente da piscina. Também é possível fazer passeios a pé a partir de Bom Sucesso até à Lagoa Amélia passando pelo Parque nacional do Obó.
No Príncipe podem visitar Santo António, a capital da ilha e aproveitar as praias paradisíacas do ilhéu Bom Bom.

 

PA054256.JPG


10 -Transporte: Em São Tomé, existem táxis mas outro tipo de transporte público é praticamente inexistente. Algumas carrinhas funcionam como autocarros e são muito baratas mas não me apercebi de terem horário fixo. A melhor opção é alugar um automóvel para fazer a volta à ilha ou recrutar os serviços de um guia. As excursões são caras (de 60 Euros para cima p/pessoa) mas com um guia tens sempre mais informação sobre o país. Quando chegas ao aeroporto há logo uma série deles que vem ter contigo para tentar marcar passeios.

 

Podem ler um pouco mais sobre São Tomé e Príncipe aqui e aqui 😃

 

Tchau!

Travellight

DICAS E CONSELHOS BÁSICOS PARA UMA VIAGEM À ÍNDIA

Olá amigos viajantes!!!

 

Estou de volta 😊


Depois de um tempinho fora, em viagem pela Índia, venho cheia de histórias para vos contar.

 

FullSizeRender (5).jpg

 

A Índia tem muito para ver e conhecer mas não é uma das viagens mais fáceis que podemos fazer… ou sim… depende da pessoa.

 

Se decidirem visitar este país esqueçam os estereótipos. É importante ir de espírito e de coração aberto.

Para quem vem da Europa, não há como evitar -  o choque cultural é tremendo.

 

As grandes cidades como Deli e Mumbai (Bombaim) são caóticas e sem dúvida intimidam o turista de primeira viagem.

 

Sabiam que só Deli tem uma população maior do que a da Austrália? Até atravessar uma estrada nesta cidade é uma aventura! As passadeiras são meramente indicativas, ninguém pára - só abranda um pouco. Tu tens de correr e dar graças a Deus por chegar vivo ao outro lado 😓 😃

 

A sujidade das ruas e a pobreza impressionam e mexem muito connosco. É difícil de compreender (e aceitar), para quem vem de fora, estes problemas profundamente enraizados na sociedade Indiana. Como é que um país que é uma economia emergente e que tem tantos talentos no campo da medicina, matemática e informática, por exemplo, não consegue instituir um modelo eficiente de limpeza de ruas e instalar saneamento básico nas cidades principais?

 

É difícil, mas não podemos deixar que essa primeira impressão defina toda a nossa experiência no país. A Índia é muito mais do que isso, e se tivermos uma mente aberta, conseguimos ver e aproveitar tudo o que tem de melhor: A história, os sabores, a filosofia, a arquitectura e… as cores!!!

 

fullsizeoutput_1b40.jpeg

 

 

Antes de vos começar a falar de alguns dos lugares mais especiais deste país deixo em baixo algumas dicas e informações básicas para quem está a pensar em visita-lo:

 

1- Visto: Já não é preciso ir à Embaixada Indiana tratar directamente do visto. Basta pedir o e-visa on-line

 

2- Vacinas: Não há vacinas obrigatórias para a entrada na Índia, à excepção da vacina contra a febre amarela, para passageiros que viagem a partir de zonas afectadas por esta doença.

 

3- Língua: Apesar de na Índia falar-se muitas línguas e dialectos, a maioria das pessoas, principalmente nas grandes cidades, fala ou entende o Inglês.

 

4 - Comida e bebida: A cozinha Indiana é carregada de especiarias e sabores fortes. Se o picante não vos incomoda vão adorar experimentar todas as especialidades locais, mas se lidam mal com a pimenta são capazes de sofrer um pouco. Em hotéis de cadeias internacionais podem encontrar pratos mais adaptados ao gosto ocidental.

 

Bebam sempre água engarrafada. A água da torneira pode não ser potável. Atenção com o  gelo nas bebidas.

 

3f6a8fcc-f141-45a8-8a03-1e1e3bfc711b.jpeg

 

5- Aprendam a palavra "Nai" (não) e usem-na! Garanto que vão precisar. Os vendedores de rua são mais que muitos e quando vêem um turista, literalmente “perseguem-no” na tentativa de vender algo. O conceito de espaço pessoal é quase inexistente em toda a Índia e as pessoas aproximam-se até ficar quase em cima de ti. Se não fores assertiva e mostrares que não estás interessada, não vão largar-te.


6- O que vestir: Os homens não têm com o que se preocupar em termos de roupa, mas as mulheres devem respeitar a sociedade conservadora se não quiserem atrair atenções indesejadas. Assim, calças compridas, camisas, blusas de manga comprida (ou pelo menos que tapem os ombros) e lenços, são uma boa aposta se estiverem a viajar por conta própria.


Se viajarem num tour organizado, com um grupo grande de ocidentais e se limitarem a visitar os pontos mais turísticos das grandes cidades, podem safar-se com roupa um pouco mais “arejada” como um vestidinho de verão ou tops de alçinhas. Mas atenção que quando visitam os templos ou as mesquitas tem mesmo de se tapar (o cabelo inclusive).

 

7 - Criminalidade: Como em qualquer outro lugar do mundo, o bom senso é essencial para evitar situações de risco. Não andem sozinhos à noite, afastem-se de manifestações populares de cariz político, tenham cuidado com carteiristas e mantenham sempre a vossa mochila/bolsa na vossa frente quando estão a andar por ruas muito movimentadas.


Para a rua, se possível, levem só a cópia do passaporte e moeda local (rupias).

 

Tenham sempre uma cópia digital do vosso passaporte, cartão do cidadão, visto e bilhete de avião no vosso e-mail. Se houver algum problema podem sempre imprimir uma cópia a partir dali. Se estiverem hospedados num hotel que tenha cofre no quarto, guardem o vosso passaporte aí juntamente com os cartões de débito/crédito. Deixem sempre uma cópia do vosso itinerário de viagem, com nomes e contactos dos lugares onde pretendem hospedar-se, com algum familiar ou amigo (estas últimas dicas são válidas para todos os destinos).

 

8 - Dinheiro: A moeda local é a Rupia. 1 Euro equivale mais ou menos a 76 rupias. Não existem muitas máquinas ATM (multibanco) nas cidades e as que existem, muitas vezes não tem dinheiro dísponível ou não tem informação em Inglês. O melhor é trocar dinheiro assim que chegam no aeroporto.

 

8- Fotografias: Não se admirem se os locais pedirem para tirar uma selfie com eles. A curiosidade deles em relação a vós é tanta como a vossa em relação a eles.

 

fullsizeoutput_1b44.jpeg

 

9- Regatear: Esta actividade é “obrigatória” na India. Tudo deve ser regateado!

 

10 -Transporte: Os tuk-tuks são a forma mais rápida e eficiente de transporte nas grandes cidades. Combinem  o preço antecipadamente com o condutor. A cidade de Deli tem também uma rede de metro eficiente. O metro tem uma carruagem cor-de-rosa (geralmente a primeira) destinada apenas a mulheres.

 

fullsizeoutput_1b47.jpeg

 

Para viajar dentro da Índia a melhor opção é o comboio. A rede ferroviária é boa e cobre todo o país. Os comboios são lentos, com diferentes graus de conforto e os seus horários pouco fiáveis, mas são, a par com os aviões, o meio de transporte mais seguro para se deslocar no país. Podem marcar os bilhetes on-line no MakeMyTrip  ou  aqui.

 

 

12 - Papel higiénico: Levem um rolo convosco. As casas de banho públicas Indianas raramente tem papel (e quando tem, às vezes tens de o pagar). Se ficarem num hotel de uma cadeia Internacional podes aproveitar o papel higiénico de lá e levar um pouco quando sairem para visitar os monumentos e atracções e assim escusam de o levar de casa.

 

E aí está, o básico dos básicos para uma viagem à Índia 😀

 

Tchau!

Travellight

 

 

 

COMO PASSAR A ROUPA DE VIAGEM QUANDO NÃO TENS UM FERRO

Olá amigos viajantes!

 

Já vos aconteceu com certeza abrirem a mala depois de chegarem ao vosso destino de viagem e terem a roupa toda amarrotada.😲😩

 

Alguns hotéis tem ferro e mesa de passar no quarto, mas a maioria não.

 

O que fazer então quando não queremos gastar dinheiro no hotel para mandar engomar aquele vestidinho ou camisa que nos fica tão bem mas ao mesmo tempo não queremos abdicar de ter um ar aprumado e composto para o jantar?

 

Simples 😊

 

Se o hotel tiver um secador de cabelo, pode ser que tenham o problema resolvido. Tudo o que precisam é disto:

 

 

FullSizeRender (3).jpg

 

Levo sempre de viagem um pequeno frasquinho de plástico com vaporizador, vazio, que depois encho com água.

 

Penduro a peça de roupa que está amarrotada num cabide e depois penduro o cabide, por exemplo, no suporte da cortina do chuveiro da casa de banho; Vaporizo a roupa com água e depois seco com o secador de cabelo.

 

Et voilà, adeus rugas na roupa! 😃

 

Se o hotel não tiver cabides podem pendurar a roupa nas costas de uma cadeira ou estende-la em cima de qualquer superfície plana que exista no quarto (secretária, bancada da casa de banho...)

 

Este truque funciona especialmente bem com roupa de verão que é leve e fina.

 

Tchau!
Travellight

 

UMA NOVA MANEIRA DE VIAJAR

1436634310wingly.jpg

 

Olá amigos viajantes!

 

Sabiam que podem voar por toda a Europa e mais alguns destinos na América Central, num avião privado por preços acessíveis?

 

Mentira! oiço-vos gritar 😵

 

Não, é a sério! Fiquei a saber na Travel+Leisure que existe uma plataforma on-line chamada Wingly que permite compartilhar um avião privado conectando um piloto com voo agendado a passageiros interessados em fazer o mesmo percurso. 

 

Pesquisei o site da empresa e não encontrei um único voo com saída de Portugal 😩, mas encontrei algumas tarifas interessantes como por exemplo um voo de Lodz, na Polónia para Budapeste na Hungria, por 64,00€ ou um voo panorâmico de 45 minutos sobre a cidade de York na Inglaterra por 26 Libras.

 

Por isso resolvi que valia a pena mencionar o site no blog porque os voos estão sempre a mudar e nunca se sabe quando pode surgir um que nos interessa.

 

A ideia é simples: compartilhar faz reduzir os custos de voo para o piloto e permite que os passageiros façam voos mais baratos.

 

Enquanto empresas como a JetSmarter oferecem aos membros a capacidade de reservar jatos privados ou conseguir um assento livre num voo agendado, o modelo da Wingly funciona de forma diferente, com os pilotos e os passageiros a dividir o custo total das despesas diretas da viagem, incluindo combustível, aluguel de avião (quando necessário) e taxas aeroportuárias).

 

Existe uma taxa de reserva adicional que adiciona 15% ao preço total do voo, mas, segundo li, isso inclui um seguro de viagem.

 

A Wingly foi criada há dois anos na França (e eu só ouvi falar dela agora 😳), tem cerca de 68.000 usuários e atualmente opera em 3.000 destinos diferentes da Europa.


A Wingly diz que leva a segurança muito a sério. As licenças e certificados médicos dos pilotos são verificados, e uma vez aprovados, os clientes podem ver a disponibilidade dos voos e quantos assentos estão abertos (o que tipicamente varia de quatro a seis).


Os passageiros por sua vez são obrigados a fornecer informações sobre o seu passaporte para garantir que são elegíveis para voar para os destinos desejados.

Uma vez realizado o voo, pilotos e passageiros têm a opção de publicar uma opinião sobre a experiência.

Os pilotos devem ainda fornecer informações sobre o número total de horas voadas e mostrar quantas horas voaram nos últimos 12 meses para provar que têm experiência recente.


Segundo o site a empresa também trabalhou com a Agência Europeia de Segurança da Aviação (EASA) para delinear regulamentos que promovam a segurança de voos de aviação geral não comercial com modelos de aeronaves mais leves. Isto exige que a Wingly tome medidas como fornecer aos pilotos listas de verificação e tutoriais de práticas de segurança, ou informar os passageiros sobre os níveis de segurança e ainda compartilhar os perfis dos pilotos com a EASA.

Se o passageiro ou o piloto decidirem que não querem voar devido a condições climáticas precárias, os voos podem ser cancelados e há um reembolso total ou podem ser remarcados.


A empresa oferece também voos panorâmicos, voos de excursão para um fim de semana e dá a chance de visitar destinos que anteriormente não eram tão facilmente acessíveis.


Empresas como a Coavmi e a Skyuber oferecem serviços similares, mas Wingly afirma ser a empresa do Reino Unido que oferece mais voos e que tem mais usuários, cerca de 68 mil pessoas.

 

Fica a dica 😃

 

Tchau!

Travellight

 

VIAGENS IMPERDÍVEIS #8

Olá amigos viajantes!

 

Sempre tiveram curiosidade de conhecer o Japão?

 

P6091873.JPG

 

Encontrei o voo abaixo ida e volta Lisboa/Tóquio a 558,26 € - um preço imperdível para este destino - na Turkish Airlines.

 

A simulação está com datas de Novembro de 2017 mas se quiserem viajar na Primavera encontrei o mesmo preço com ida a 06 e regresso a 17 de Março 2018.

 

fullsizeoutput_17ad.jpeg

fullsizeoutput_17ac.jpeg

Fica a dica 😊

 

Tchau!

Travellight

COMO VIAJAR SÓ COM 7 KG DE BAGAGEM DE MÃO

Olá amigos viajantes!

 

Viajar só com bagagem de mão tem muitas vantagens: é mais pratico, os bilhetes de avião ficam mais baratos (pelo menos nas companhias aéreas low cost), não tens de esperar pela tua mala quando chegas ao destino e corres muito menos riscos de perder a bagagem.

 

fullsizeoutput_16dd.jpeg

 

 

Falo disto a propósito da minha próxima viagem. Estou prestes a embarcar numa viagem alargada pelo Japão, Taiwan e Coreia do Sul e para além da (óbvia) alegria de partir para mais uma grande aventura, tenho andado às voltas para fazer a mala.

 

Nunca viajo com mais do que bagagem de mão e como de costume vou apanhar vários voos em companhias aéreas  low cost por isso não posso levar mais de 7 kg.

 

Como então - perguntarão vocês - consigo “enfiar” tudo o que preciso para 18 dias de viagem numa mala de 56x36x23 + um pequeno volume com o peso combinado total de 7 kg?

 

Com algumas regras simples:

 

1- Uso uma mala que mesmo vazia seja leve.

 

Há várias opções de bagagem leve no mercado, e com alguma procura certamente encontramos uma adequada ao nosso orçamento. Quanto mais leve a mala, mais fácil será manter os rigorosos limites de peso.

 

2 - Roupa - Não deve ultrapassar os 3 ou 4 kg

 

Isto é fácil de conseguir quando o destino /destinos de viagem tem um clima quente.


Opto por levar itens básicos e leves que ocupam pouco espaço e podem ser usados com diferentes combinações:


- 2 pares de calças de ganga: 1 preta e 1 branca (ou de ganga azul)
- 1 par de calções
- 3 camisas (ou blusas, tops ou t-shirts)
- Roupa interior suficiente para os dias que vou ficar fora
- 1 ou 2 casacos de meia estação
- 1 camisola de meia estação e um lenço (ou cachecol, que às vezes tenho muito frio no avião 😜)

Depois levo peças práticas, de preferência em tecidos que não amarrotam como macacões curtos ou vestidos leves de Verão.


Se for um destino de praia acrescento 2 biquínis.

 

3 - Sapatos e acessórios - menos de 1Kg

 

Os sapatos é sempre o mais complicado. Não levo mais de 3 pares. Saltos altos, regra geral não, porque ocupam demasiado espaço. Opto antes por levar dois pares de sandálias rasas confortáveis e boas para caminhar. E uns ténis ou sapatilhas que uso sempre nos dias de viagem de avião.
Levo também alguns (poucos) acessórios como colares, pulseiras ou um relógio se quiser um look mais cuidado para um jantar num restaurante mais formal.

 

4-Equipamentos electrónicos - Máximo 1 kg

 

Tablet (carregado com alguns livros), smartphone, auriculares, ipod, máquina fotográfica, carregadores e baterias e adaptador de corrente.


5 - Artigos de higiene pessoal - 500 g ou menos

 

Hoje em dia as marcas já vendem produtos como pasta de dentes, desodorizante e protector solar em quantidades próprias para viagens de avião (100ml) ou podemos usar boiões baratinhos comprados em qualquer loja dos trezentos onde podemos colocar os cremes, champô e condicionador que não podemos dispensar 😊

 

6- Itens essenciais - 500 g ou menos

 

Passaporte, carteira de documentos, bolsa de medicamentos, dinheiro, caneta, óculos de sol, documentação de viagem (itinerário, bilhetes, reservas de hotel…), agenda de viagem.

 

Costumo levar também um pequeno guarda-chuva e uma pequena bolsa que posso usar de dia para passear na rua e, à noite, tiro a alça, e uso como bolsinha para jantar num sitio mais formal.

 


No Inverno, esta logística é um pouco mais difícil, mas a estrutura é a mesma, roupas básicas (2 pares de calças de ganga, 3 ou 4 camisolas de inverno, 4 ou 5 cachecóis diferentes (para variar os looks), luvas, um gorro, um bom casaco e botas que uso no dia da viagem para não pesar na mala.

 


Se a mala estiver ligeiramente acima do peso, podemos sempre vestir mais uma peça extra de roupa e colocar qualquer coisa nos bolsos enquanto a companhia aérea faz a pesagem da bagagem 😜

 

Et voilá! Estão prontos para partir!

 

 

Deixo alguns posts agendados enquanto estou fora mas se quiserem acompanhar as minhas aventuras mais recentes sigam-me no Instagram e no Facebook!

 

Tchau!

Travellight

 

VIAGENS IMPERDÍVEIS #7

Olá amigos viajantes!

 

Já pensaram em conhecer Singapura?

 

Encontrei na British Airways esta viagem ida e volta a partir de Lisboa a um preço imperdível: 470,54 €

É para Setembro por isso ainda vão bem a tempo de marcar 😃

 

fullsizeoutput_163b.jpegfullsizeoutput_163c.jpeg

 

A minha história de amor com Singapura começou no minuto em que eu desembarquei no aeroporto, pela primeira vez - Não é por acaso que Changi Airport é consistentemente votado como o melhor aeroporto do mundo - entre outras características tem piscina, uma sala de cinema, cadeiras de massagem, centros de beleza e vários jardins, tanto no terminal 1 como no terminal 2.  É o tipo de aeroporto em que não te chateias mesmo que o teu voo esteja atrasado 😜

 

swimming_pool_900.jpg

 

A piscina está localizada no Aerotel Airport Transit Hotel no Terminal 1 (zona 3, perto do portão de embarque D), há também um jacuzzi, bar junto à piscina e chuveiro. Para usufruir destas instalações cada pessoa paga SGD 17 (11,00€)

 

Butterfly-garden.jpg

Sunflower garden.jpg

Changi-Airport-Singapore.jpg

 

Já ouvi algumas pessoas dizerem que Singapura é chata, plástica e superficial, mas eu não concordo.

 

Claro que é uma cidade-estado que podemos explorar em três dias, mas isso não significa que não tenha muitas coisas interessantes para ver e fazer.

 

Tens os Jardins Botânicos, o Zoo, a National Gallery, O Singapore Flyer, a ilha de Sentosa, O museu das Civilizações Asiáticas, os Gardens by the Bay, etc, etc… Coisas suficientes para te manter entretido durante a tua visita.

 

fullsizeoutput_300.jpeg

fullsizeoutput_30a.jpeg


Singapura tem uma arquitectura impressionante (um dos edifícios mais caros do mundo, o Marina Bay Sands, está situado aqui), é multi-religiosa e multi-racial.

 

IMGP1851.JPG

 

É bom passear pelos seus bairros étnicos e explorar diferentes culturas e cozinhas.

 

Singapura é uma espécie de paraíso para foodies. Podes experimentar bolinhos em China Town, comer um Caril em Little India ou beber um café na Rua árabe e depois para terminar em beleza, acabar a jantar num restaurante com três estrelas Michelin.

 

fullsizeoutput_163f.jpeg

fullsizeoutput_2fc (1).jpeg

 

fullsizeoutput_1641.jpeg

 

Singapura é muito seguro. Os índices de criminalidade são muito baixos e não precisamos de nos preocupar nem quando saímos à noite. Para além disso o sistema de transporte público é rápido, eficiente e fácil de usar.


Quem gosta de fazer compras também não se decepciona com Orchard Road, uma área que tem mais de 20 centros comerciais. 

 

Além disso, você sabiam que ao contrário das semanas de moda oficiais em Paris, Nova York, Milão ou Londres, que são abertas apenas a comunicação social, compradores ou celebridades, a Singapore Fashion Week vende bilhetes para o público em geral? Uma oportunidade única para quem gosta de moda!

 

E depois temos os rooftop bars onde podemos sentar, relaxar e esquecer do tempo, enquanto bebemos um Singapore Sling e apreciamos as vistas para o rio e para a baía.

 

IMGP1880.JPG

 

É um destino que recomendo muito!

 

Tchau!

Travellight

 

VIAGENS IMPERDÍVEIS #6

Olá amigos viajantes!

 

Ainda estão a planear as férias deste ano? que tal ir a Bruxelas?

 

IMG17806.jpeg

 

Bruxelas é uma das cidades mais bonitas da Europa. Tem espectaculares construções em estilo gótico, barroco, neogótico e clássico, algumas com mais de 300 anos, e é um paraíso para os amantes de banda desenhada (afinal é a terra do Tintin, do Lucky Luke, dos Smurfs e vários outros personagens), é também a cidade de René Magritte, um dos principais artistas surrealistas, que aqui tem um museu e é ainda a sede dos maiores museus de miniaturas e carros antigos da Europa. Para muitos Bruxelas é também a capital mundial do chocolate e dos waffles 😋.

 

Encontrei esta viagem para Julho, ida e volta de Lisboa, a bom preço na Ryanair (132,00€); Com saída do Porto é ainda mais barato (116,00€) :

 

fullsizeoutput_1580.jpeg

fullsizeoutput_1581.jpeg

 

E já agora enquanto estiverem em Bruxelas que tal aproveitar e apanhar o comboio para Amesterdão para tirar umas belas fotos nos canais Holandeses. O bilhete de ida e volta fica por 58,00€ e de uma assentada vocês podem conhecer dois países! 😊

 

fullsizeoutput_157f.jpeg

 

Podem também optar por marcar uma ida para Bruxelas e uma volta de Amesterdão, fica um pouquinho mais caro mas talvez seja mais prático. 

 

fullsizeoutput_1586.jpeg

fullsizeoutput_1587.jpeg

 

Se estiverem interessados já sabem, não esperem para marcar que estes lugares acabam logo!

 

Tchau!

Travellight

 

VIAGENS IMPERDÍVEIS #5

lux3714gr-154029.jpg

 

Para os que já estão a sonhar com as férias e com banhos de sol numa praia paradisíaca deixo-vos aqui a sugestão de um voo que encontrei na KLM para Banguecoque na Tailândia a um preço bem simpático: 569,48€ ida e volta (de Lisboa).

 

fullsizeoutput_1514.jpeg

 

do Porto o voo mais barato que encontrei em Junho fica por 571,28€ na Turkish Airlines

 fullsizeoutput_1516.jpeg

 

De Banguecoque podem apanhar um voo, por apenas 36,96 US dólares (33,49€) ida e volta, na companhia aérea Vietjet  para Phuket - onde encontram praias e Spas  fantásticos 

 

fullsizeoutput_1515.jpeg

fullsizeoutput_1517.jpeg

 

Para quem prefere ir com o pacote voo + hotel, a agência Abreu tem esta oferta para Phuket de 13 a 20 de Setembro que está a muito bom  preço : 624,30 € por pessoa 

 

fullsizeoutput_151e.jpegfullsizeoutput_151f.jpegfullsizeoutput_151c.jpeg

 

 

VIAGENS IMPERDÍVEIS #4

Olá amigos viajantes!

 

Sempre tiveram curiosidade de conhecer a Irlanda? Que tal darem uma escapadinha até à sua capital Dublin?

 

Encontrei este voo da Ryanair (ida e volta) para Junho a um preço imperdível: 126,00 €

 

fullsizeoutput_1499.jpeg

 


Se estão interessados apressem-se a marcar porque já havia poucos lugares.

 

Vejam aqui o que podem ver e fazer em Dublin 😃