Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

PARQUE NACIONAL TORTUGUERO I COSTA RICA

Olá amigos viajantes!

 

Quem acompanha o meu blog (obrigadaaa!😘) já sabe que adoro parques nacionais e animais.


Pois hoje vou falar-vos de mais um, por isso apertem os cintos e vamos voar até à Costa Rica para visitar o Parque Nacional Tortuguero.

 

PA071832.JPG

 

Tortuguero fica numa área remota da Costa Rica e só consegues lá chegar de avioneta ou de barco.
Eu fui de barco e parti de Moín, perto de Puerto Limon.

 

fullsizeoutput_19bd.jpeg

 

Assim que nos aproximamos da margem, a pequena aldeia de Tortuguero desperta a nossa atenção. É colorida, tem casinhas à beira do rio e muitos barcos. 

 

PA071499.JPG

 

Se olharmos com atenção descobrimos logo alguns pássaros 😊

 

fullsizeoutput_19d1.jpeg

PA071493.JPG

 

A aldeia está mesmo cheia de cor! Há painéis e murais coloridos por todo o lado.

 

fullsizeoutput_19c3.jpeg

fullsizeoutput_19d6.jpeg 

Não percebi porque é que a sanita estava do lado de fora... 😳

 

fullsizeoutput_19c4.jpeg

 

Eu fiquei hospedada no Evergreen Lodge, um alojamento confortável, à entrada do Parque, com cabines ecológicas e uma rede de trilhas e pontes em suspensão que nos conduzem até ao interior da floresta tropical.

 

fullsizeoutput_19ca.jpeg

PA071672.JPG

fullsizeoutput_19cc.jpeg

 

O caminho por entre as árvores centenárias está cheio de vida selvagem. Só temos de ficar atentos e manter os olhos bem abertos para encontrar bonitos pássaros tropicais, macacos, preguiças, iguanas ou rãs. É preciso ter cuidado porque algumas espécies de rãs e cobras podem ser venenosas.

 

PA071733.JPGfullsizeoutput_19c9.jpeg

fullsizeoutput_19c1.jpeg

fullsizeoutput_19cb.jpeg

 

PA071375.JPG

PA071335.JPG

 

PA071730.JPG

PA071828.JPG


Tortuguero é o lar de 3 espécies de macacos, e eu consegui ver todas elas 😃.

 

Os macacos bugio emitem um som assustador mas não são assim tão assustadores quando os conseguimos ver.

 

bugio serra do gatz (18).JPG

 

Os mais engraçados são os macacos-aranha com os seus braços compridos.

 

fullsizeoutput_19d3.jpeg

 

e os mais matreiros e inteligentes são os macacos capuchinhos, que estão sempre à espreita para ver se conseguem roubar alguma comida aos incautos turistas.

 

fullsizeoutput_106a.jpeg


Dentro do parque é possivel fazer passeios de barco pelo rio e descobrir toda a diversidade vegetal e animal presente naquele local.

 

fullsizeoutput_19bf.jpeg

 

Ao todo, Tortuguero abriga 60 espécies de mamíferos, 57 espécies de anfíbios, 111 espécies de répteis, mais de 300 espécies de aves, mais de 400 espécies arbóreas e mais de 2.000 espécies de plantas!

 

Tortuguero é o principal destino ecológico do mar das Caraíbas e o terceiro parque nacional mais visitado da Costa Rica.

 

PA071424.JPG

PA071450.JPG

fullsizeoutput_19cf.jpeg

fullsizeoutput_19ce.jpeg

PA071750.JPG


Mas a principal atracção do Parque Nacional de Tortuguero e a razão pela qual a maior parte das pessoas o visita é, como o próprio nome indica, as tartarugas (Tortuguero = Lugar das Tartarugas).

 

fullsizeoutput_19c5.jpeg

 

Um exército de tartarugas coloca todos os anos os seus ovos nas praias do parque e entre Junho e Outubro a maioria desses ovos eclode e quem estiver presente pode testemunhar o espectáculo maravilhoso que é ver dezenas  de tartarugas bebés a correr para o mar.

 

PA071845.JPG

PA071848.JPG

 

É possível ver algumas tartarugas colocar ovos durante o dia, mas a maioria delas chega durante a noite e é preciso um guia para visitar as praias nessa altura (não é permitido a ninguém estar na praia desacompanhado depois das 18h00). Para viajantes independentes, isso pode ser organizado através de um quiosque turístico que existe na aldeia de Tortuguero ou através do hotel em que estamos hospedados. E vale bem a pena, já vos digo 😃

 

A mim deixou-me com um mega sorriso nos lábios 😊

 

fullsizeoutput_19c6.jpeg

 

Espero que tenham gostado da visita virtual!

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram

 

Tchau!

Travellight

NARA

Olá amigos viajantes!

 

Hoje vou falar-vos sobre Nara, um lugar verdadeiramente mágico no Japão, onde podemos passear por entre florestas e antigos templos e brincar com cervos!

 

P6091915.JPG

 

Com mais de 1300 anos, a pequena cidade de Nara foi a primeira capital permanente do Japão e já existia antes da cidade de Quioto e até de Tóquio . Muitos dos templos e lugares de interesse têm ligação a esse tempo e são hoje considerados património mundial da UNESCO.

 

Do ponto de vista histórico uma visita ao Japão não fica completa sem incluir pelo menos um dia aqui.

 

P6091288.JPG

 

Chegar aqui a partir de Osaka ou Kyoto leva cerca de uma hora e é muito fácil, Existem duas linhas de comboio que ligam estas cidades a Nara - a linha JR Yamatoji e a linha Kintetsu Nara.

 

A estação de Kintetsu Nara está mais centralmente localizada e é mais perto dos locais turísticos. O Parque Nara fica a apenas dez minutos a pé desta estação.

 

Nara é perfeita para explorar a pé. É plana e relativamente compacta. É uma cidade de cerca de 400 mil pessoas, mas as colinas e ruas estreitas e silenciosas dão a sensação de uma cidade muito menor.

 

P6092065.JPG

 

O parque Nara, razão principal pela qual a maioria das pessoas visita a cidade, está cheio durante o dia. Mas ao entardecer e bem cedo de manhã não tem ninguém, por isso eu decidi passar uma noite no Hotel Nara, um hotel muito antigo e cheio de tradição que fica dentro do parque, para o poder apreciar em toda a sua glória.

 

fullsizeoutput_1755.jpeg

fullsizeoutput_1756.jpeg

 

 

Cheguei perto das 17:00 horas e ainda havia muita gente mas pouco depois o parque começou a esvaziar.

 

Assim que entrei, um cervo veio “receber e cumprimentar-me” 😊

 

P6091307.JPG

fullsizeoutput_1768.jpeg

 

O cervo japonês é a mascote da cidade. É uma espécie protegida e considerada pelos Japoneses como a mensageira dos deuses do xintoísmo.

 

fullsizeoutput_1774.jpeg 

P6091325.JPG

P6091627.JPG

 

Os animais são muito mansos, aproxima-se sem medo e deixam fazer festas. O parque tem sinais a avisar que os cervos podem morder, dar pontapés ou exibir outros comportamentos perigosos, mas não vi nenhum portar-se mal durante a minha visita. Possivelmente, porque nunca os alimentei - o parque tem barraquinhas que vendem bolachas para quem quiser alimentar os bichos, mas realmente não há necessidade disso, pois pelo menos na Primavera o parque está todo verde e os veados tem muito alimento natural.

 

fullsizeoutput_1779.jpeg

fullsizeoutput_178b (1).jpegP6091398 (1).JPG

 

O que senti é que eles tem tanta curiosidade em relação a ti como tu em relação a eles. Mesmo sem ter nada para lhes oferecer eles aproximavam-se e pediam festas.

 

fullsizeoutput_1734.jpeg

 

P6091332.JPG

fullsizeoutput_173d.jpeg

 

Por volta das 18:00 horas, já não havia quase ninguém no parque e o sol começou a pôr-se lentamente. No entanto a luz era mais que suficiente para explorar os caminhos que iam dar aos templos e santuários.

 

 

 

fullsizeoutput_1738.jpeg

P6091769.JPG

fullsizeoutput_174c.jpeg

 

Sem ninguém à nossa volta, a sensação de descobrir algo único é muito maior. 😊

O silêncio é absoluto, só ouves os pássaros e os veados a saltitar nas colinas verdejantes. Pode haver alguma coisa melhor?

 

P6091871.JPG

 

A arquitetura dos templos é muito interessante. Alguns santuários tem mais de 1000 anos e possuem madeiras trabalhadas e detalhes que impressionam.

 

P6091437.JPGfullsizeoutput_177b.jpeg

fullsizeoutput_1788.jpeg

P6091719.JPG

 

fullsizeoutput_175b.jpeg

 

O Templo de Todai-ji, um dos mais significativos do Japão, é o maior edifício de madeira do mundo e abriga no seu jardim a maior estátua do mundo de bronze do Buda Vairochana, conhecido no Japão simplesmente como Daibutsu. O templo também serve como a sede japonesa da escola de budismo Kegon e é classificado pela UNESCO como Património da Humanidade.

 

fullsizeoutput_1759.jpeg

 

Perto das 19:00 horas, com o sol já bem baixinho no horizonte, uma surpresa: como se estivessem a atender a um chamado, (quase) todos os cervos do parque pareceram reunir-se em conselho bem na frente do Templo Todai-ji.

 

Foi um momento extraordinário ver centenas de veados a caminhar ordeiramente em direcção ao santuário. Absolutamente mágico!

 

P6091883.JPG

fullsizeoutput_1760.jpeg

fullsizeoutput_175c.jpegfullsizeoutput_178f (1).jpeg

  

fullsizeoutput_175d.jpeg

 

Senti-me privilegiada por poder visitar um lugar tão lindo e tão próximo da natureza. É um dos meus locais preferidos no Japão e recomendo-o a todos que estão a pensar visitar este país. 😊

 

Deixo uma última nota a quem não pode ou não quer ir tão longe, mas gostava de ver cervos bem de perto e em liberdade. Em Portugal, na Tapada Nacional de Mafra, podem ter essa experiência. Vejam aqui! 😊

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!
Travellight

AMANHECER

Eram 04:30 da manhã quando o despertador tocou.

 

Sempre tive muito mau acordar e regra geral resmungo para sair da cama, mas naquela manhã pulei para fora sem grande esforço.

 

Afinal não é todos os dias que acordas no Serengeti e sais para ver a vida selvagem desenrolar-se ao vivo e a cores frente aos teus olhos.

 

Este parque é a reserva mais popular da Tanzânia e o lugar que enche os sonhos daqueles que querem visitar a savana africana.

IMGP4516.JPG

 

“Armada” com a minha câmara saí do quarto de hotel e dirige-me ao local combinado onde um guia já me esperava para seguirmos caminho.

 

Ao longo de dois dias iria percorrer vários trilhos dentro do parque em busca de animais para fotografar e observar. Estávamos na época da grande migração e as perspectivas de ver todos os 5 grandes eram boas.

 

Para quem não sabe, os 5 grandes são o leão, o elefante africano, o búfalo-africano, o leopardo e o rinoceronte - Os cinco mamíferos selvagens de grande porte mais difíceis de serem caçados pelo homem. A expressão “os 5 grandes” generalizou-se e hoje é usada pelos guias locais também nos safaris fotográficos e de observação.

 


As pessoas que conduzem estes safaris são muito profissionais e tomam todos os cuidados para que nenhum acidente aconteça.


Eu acho que desde que haja bom senso e respeito pelo espaço dos animais não há como algo correr mal.

 

Todavia devo confessar que no inicio do safari, quando o jipe sai de noite e avança na total escuridão - e tu ouves uma série de ruídos estranhos que não consegues identificar - não é difícil acreditar que algo pode correr mal sim.


Afinal nós não conseguimos ver bem no escuro e podemos parar num local, pensando que não estamos a incomodar ninguém, e um leão discordar de nós. O território é deles, nós somos só visita, convém nunca esquecer.

 

Para reduzir o risco de incidentes os veículos que operam no Serengeti são obrigados a permanecer dentro das estradas existentes no parque para garantir que os animais não são muito perturbados. Embora isso possa limitar a nossa chance de chegar perto dos animais, é menos intrusivo.

 

São 06:30 e os primeiros raios de sol rompem o horizonte. É ao amanhecer que a savana mostra todo o seu esplendor. Os medos próprios da noite dissipam-se e um sentimento de gratidão invade o meu coração. Que bênção poder estar ali naquele momento… Assistir aquele espectacular nascer do sol, ver a savana a ganhar cor, a ganhar vida!

 

fullsizeoutput_1186.jpeg

Um grupo de girafas aparece a pastar mesmo na frente do jipe e ao longe conseguimos ver uma manada de zebras.

 

fullsizeoutput_1189.jpeg

fullsizeoutput_118e.jpeg

 

Vai ser um bom dia 😊

 

fullsizeoutput_118a.jpeg

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

 

 

DESTINO COSTA RICA I EXPLORANDO O PARQUE NACIONAL MANUEL ANTÓNIO

Olá amigos viajantes!

 

O Parque Natural Manuel António, na Costa Rica, é um destino de sonho para aqueles que, como eu, são apaixonados pela natureza e pela vida selvagem: Praias lindas, belas trilhas e uma abundância de fauna e flora.

 

O cenário perfeito para quem gosta de apreciar os encantos da mãe Natureza!

 

fullsizeoutput_1059.jpeg

 

Apesar de ser em termos de tamanho, o menor parque da Costa Rica, Manuel António, é um dos maiores em termos de biodiversidade.


Passeando por aqui podemos avistar várias espécies de macacos, texugos, preguiças, tucanos, passaros coloridos, rãs, lagartos etc, etc….a variedade é imensa!

 

PA071354.JPG

PA071733.JPG

PA071816.JPG

fullsizeoutput_1058.jpeg

fullsizeoutput_1077.jpeg

 

As trilhas do parque estão bem cuidadas e são fáceis de percorrer.

 

fullsizeoutput_1070.jpeg

 

Podemos contratar um guia para nos orientar e ajudar a detectar os animais com lentes especiais mas eu não o fiz e honestamente não senti necessidade nenhuma disso. Os animais estão por todo o lado e são muito fáceis de avistar e fotografar.

 

Quase a cada olhar havia uma oportunidade fotográfica.

 

fullsizeoutput_106e.jpeg

fullsizeoutput_107b.jpeg

fullsizeoutput_1079.jpeg

 fullsizeoutput_105d.jpeg

fullsizeoutput_106f.jpeg

  Este macaquinho estava a trabalhar como electricista 😜

 

Alguns deles são até descarados o suficiente para nos roubar.

 

Se forem lá, fiquem avisados que devem ter especial cuidado com os macacos e com os texugos. Estes malandrinhos tem um esquema de parceria bem montado para roubar comida dos incautos turistas 😜

 

O esquema funciona assim: Um macaquinho fofinho atrai os turistas, que preocupados em fotografar a criaturinha fofa partem disparados, que nem tolos, e esquecem-se de mochilas e e cestos de piquenique. Os texugos aproveitam e roubam toda a comida (e bebida) que podem e depois dividem (às vezes a mal) com os macacos.

fullsizeoutput_1078.jpeg

Estes bons malandros são tão rápidos e perfeitos que enquanto eu fui ao mar, um deles abriu a minha mochila, que estava coberta por uma grande toalha, tirou de lá o saco de comida que eu tinha levado e deixou tudo exactamente como encontrou, a toalha nem parecia ter sido mexida.

 

Se eu não o tivesse visto a correr com o saco na boca, nunca teria desconfiado que o ladrão era um texugo.

fullsizeoutput_105c.jpegfullsizeoutput_105b.jpeg

Mais tarde o fora da lei voltou e posou para a minha câmara fotográfica por isso considero que ficamos quites 😄

 

As praias de Manuel António são consideradas das mais belas da Costa Rica e com toda a certeza não sou eu que vou desmentir essa ideia.

fullsizeoutput_105f.jpeg

fullsizeoutput_1060.jpeg

 

fullsizeoutput_1067.jpegfullsizeoutput_1064.jpeg

 

Depois de percorrermos os trilhos da floresta tropical podemos descansar nas suas belas areias brancas e dar um mergulho nas águas claras ou descansar à sombra das palmeiras apreciando a maravilhosa paisagem.

 

Algumas das praias são mais longe ou estão escondidas e nem todos chegam lá. Eu descobri vários recantos completamente desertos como a Playa Gemelas e a Playa Puerto Escondido onde não estava ninguém.

fullsizeoutput_1063.jpeg

fullsizeoutput_1068.jpeg

fullsizeoutput_1072.jpeg

 

O parque está aberto todos os dias das 07h às 16h .

 

Eu aconselho todos a chegarem bem cedo porque os animais estão mais activos e há poucas pessoas e isso dá-nos a sensação de estar sozinhos a descobrir a floresta tropical.

fullsizeoutput_1066.jpeg

 

O parque oferece instalações onde podemos trocar de roupa ou tomar banho.

 

Dentro do parque não se vende comida por isso as pessoas trazem um lanche de fora (uma sandes, fruta e água) . Não se deve levar batatas fritas e outros snacks, refrigerantes, fritos ou doces porque depois os animais roubam e isso faz-lhes muito mal. Apesar dos vários avisos vi muita gente que não respeitava esta regra.


Por fim, depois de um dia cheio de aventuras no parque nada melhor que terminar com uma cerveja gelada e um belo por do sol no Ronny's Place, um restaurante/ bar na povoação de Manuel António, com um ambiente muito cool.

img_3346.jpg

 

É situado num penhasco e tem uma vista incrível sobre o oceano. O peixe grelhado que me serviram lá era super fresco e estava delicioso.

fullsizeoutput_1073.jpeg

Espero que tenham gostado de conhecer mais este belo destino!

 

Acompanhem as minhas aventuras mais recentes no InstagramFacebook

 

Tchau!
Travellight

 

FOTOS COM HISTÓRIA E POESIA I GATO QUE BRINCAS NA RUA

fullsizeoutput_104c.jpeg

fullsizeoutput_104b.jpeg

 

Fotografei este gatinho em Mértola, Alentejo.

 

Ele estava tão absorvido a observar um passarinho que cantava na árvore que nem reparou que outro pássaro pousara mesmo ao seu lado e o engraçado é que este pássaro também ficou a olhar para o que estava em cima da árvore 😀.

 


"Gato que brincas na rua

Fernando Pessoa

 

Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.

 

Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes,

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.

És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu.

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu. "

FOTOS COM HISTÓRIA E POESIA I BICHO DE ESTIMAÇÃO

IMG_1588.jpg

Um dia passeando por terras de Zanzibar deparei-me com esta cena adorável:

A descansar na frente de uma casa de família estava não um cão ou um gato mas sim uma pequena cabrinha.

 

 

Lembro-me de ter rido e pensado de mim para mim "cada um pode escolher o animal de estimação que quer, uns tem um gato outros tem uma cabra" 😜

 

BICHO DE ESTIMAÇÃO

Guilherme Ferreira Aniceto


Crio dentro de mim um animal de estimação.
Ele não late, não mia, não pia, não faz barulho algum.
É tão pequeno que não cabe na visão.
É um bicho sentimental e genioso.
E eu o alimento, porque não aguento quando ele começa a chorar.
Sou manteiga derretida.


É meu amigo de data mais longa.
Nasceu comigo, mas não morrerá comigo.
Quando eu me for, ele viverá no amigo.
Viverá na família: nos filhos, nos irmãos.
Meu bicho de estimação não se apega à reputação.
Consome as minhas entranhas, como a criança devora o doce.
É feroz, ávido por comer-me a alma até a última migalha.
E, por mais que esse bicho seja assim tão difícil de se criar, eu o nutro.
Porque aprendi a amá-lo.


É meu algoz e também é minha força motriz.
Me faz chorar e também me deixa feliz.
Me põe irritadiço e também me acalma
O bicho no pé da minha alma.
Crio um animal de estimação dentro de mim.


É um poema, uma obra que não há de sair do eu-lírico.
Há de permanecer no eu-onírico.
É meu poema mais bonito, escrito enquanto eu vivo.
Quando eu me for, será a flor do meu túmulo, os dizeres da minha lápide.
Quando eu me for, será o guardião do meu sono.
Quando eu me for, será a memória e a saudade.
O bicho no pé da minha alma será o que de mim restará.
Para desenterrar-me, não será preciso pá.
Basta encontrá-lo, encará-lo, decifrá-lo.
O bicho no pé da minha alma é meu poema não resolvido.

GATO RESGATA TURISTA PERDIDO NOS ALPES

Olá amigos viajantes!

 

Estou a preparar uma viajem à Suíça e hoje deparei-me com a história de um gato que resgatou um turista perdido nos Alpes, adoro estes amiguinhos peludos por isso não resisto a partilhar esta história convosco.

 

Há quem pense que os gatos são muito independentes e até egoístas e só estão preocupados consigo próprios - quem tem um gato sabe bem que não é assim e este simpático felino é bem prova do contrário:

 

cat-gimmelwald-jg0bGqX-large.jpg

   foto by REDDIT/SC4S2CG

 

No resort suíço de Gimmelwald, um turista, depois de ter torcido um tornozelo, perdeu-se e não sabia como regressar para a Vila porque o único trilho de volta que conhecia tinha sido fechado. Nessa altura, para sua sorte, um gato preto e branco, que pertence ao proprietário de um dos hostels da zona, apareceu na sua frente e levou-o desde as montanhas até um novo trilho.

 

Conta o turista que o gato começou a andar e e a olhar para trás para assegurar-se que ele o seguia e levou-o  directamente para o trilho certo de volta ao vale. Uma vez alcançado o caminho para a vila o gato  pareceu perder o interesse no homem e os dois separaram-se.

 

O turista partilhou um video do acontecimento no youtube o que levou outras pessoas a revelarem que também eles tinham encontrado aquele gato, que parece ser um bom amigo para todos os caminhantes daquela área. 

 

Gimmelwald fica na região de Jungfrau-Aletsch, Património Mundial da UNESCO.

 

Espero que, se um dia tiver o azar de me perder por estes lados, este lindo gatinho apareça para me salvar 😸

 

 

Tchau!

Travellight

UM ELEFANTE NUNCA ESQUECE!

Olá amigos viajantes!

Quem aí gosta de elefantes? já imaginaram passar um dia com um?

 

Pois eu viajei de propósito para Chiangmai, na Tailândia para ter essa experiência,

P6103943.jpg

Eu pesquisei bastante antes de visitar Patara Elephant Farm, isto porque, como amante da vida animal não queria de forma nenhuma visitar um local onde os elefantes não fossem bem tratados.

 

A decisão não é fácil, o turismo animal é uma parte importante da economia Tailandesa e culturalmente a forma como os elefantes são vistos no país (e um pouco por toda a Ásia) choca um pouco com a visão dos que defendem o respeito e a preservação de todas as  espécies. O Elefante, apesar de ser considerado um animal sagrado, é visto como um animal de trabalho, um instrumento, algo sem sentimentos, que é para ser usado e abusado... 

 

P6103869.JPG

Podemos sempre optar por só ver estes animais em parques naturais e no seu ambiente natural, e talvez isto seja mesmo o mais correcto. Eu tendo experimentado as duas coisas prefiro a primeira, mas considero que a interacção positiva com animais em vias de extinção é muito importante para a sua preservação.

 

As crianças, os jovens ou mesmo os adultos, não vão querer matar algo que conhecem bem, com quem criaram laços, que conhecem pelo nome próprio.

 

E depois os verdadeiros santuários acabam por dar emprego a muita gente que de outra forma iria explorar o animal de outras formas mil vezes piores. Pode ser talvez ingenuidade minha mas considero estes santuários, pelo menos os que tem provas dadas na preservação de uma espécie, um mal menor.

 

Graças a Deus aos poucos os esforços de preservação estão a começar a ter algum efeito mas ainda há muito a fazer para mudar mentalidades.  

 

Escolhi Patara Elephant Farm porque era aquele que, de tudo o que li, parecia reunir as melhores condições para os animais e ainda assim vi lá algumas coisas de que não gostei, mais adiante explico-vos. 

 

S1470049.jpg

 

A primeira impressão do local foi fantástica pois assim que cheguei fui apresentada a um elefante recém nascido (só tinha um mês) que junto de sua mãe corria livremente pelo terreno metendo-se com toda a gente que encontrava à procura de brincadeira, 😄.

 

Era pequenino mas já tinha muito peso e um pequeno toque dele quase levou-me ao chão, (o que também não é difícil considerando que sou uma meia-leca 😜)

 

P6103969.jpg

P6103972.jpg

Após este momento de grande diversão um dos fundadores do santuário fez uma apresentação de cerca de uma hora sobre as condições de vida dos elefantes na Tailândia, sobre os abusos que os pobres animais sofrem e sobre os esforços de conservação da espécie e deu-nos alguma informação, exemplificando, a forma como podemos verificar se um elefante é saudável, está bem cuidado e é feliz.

 

P6103915.JPG

Os elefantes que encontramos na fazenda, segundo nos disseram, foram resgatados de outras fazendas onde eram maltratados ou foram abandonados por proprietários que já não podiam mantê-los. 

 

A família que gere esta fazenda considera-se apenas a zeladora dos elefantes que estão no local - e não a proprietária deles, mas a verdade é que confessaram-nos que à noite os animais são acorrentados para não deambularem para fora do local, as correntes são longas e permitem ao animal movimentar-se mas ainda assim, não gostei muito de ouvir isto... 😕

Segundo foi-nos explicado esta política foi imposta depois de ocorrer um acidente em que um elefante chocou com um carro numa estrada perto da fazenda. O elefante sobreviveu ao acidente; mas o condutor infelizmente não.

 

Também foi-nos explicado que na Tailândia o numero de elefantes baixou para quase metade nos últimos 30 anos por isso a saúde, reprodução e longevidade dos animais são as principais missões deste santuário, que apresenta taxas muito positivas de sucesso.

 

Elefantes tendem a morrer de desnutrição, infecções da pele, e problemas mentais, assim estes são os principais focos de atenção no cuidado com o elefante. 

IMG_0123.jpg

A fazenda só permite um numero reduzido de visitantes por dia, tens de fazer a reserva on-line com muita antecedência para conseguir um lugar. No programa em que participei é atribuído a cada um "o seu próprio elefante" o que basicamente significa que enquanto estiver na fazenda o participante tem a seu cargo a alimentação, banho e exame de saúde do seu elefante.

 

O animal é escolhido de acordo com a nossa altura e personalidade, a pessoas com uma personalidade mais tímida, por exemplo, são atribuídos elefantes mais sossegados e de temperamento mais calmo.

 

Eu fiquei com um jovem elefante chamado Shampoo 😊

Para criar um laço com o animal a primeira coisa que nos pedem para fazer é alimenta-lo com bananas e cana do açúcar.

Ao mesmo tempo ensinam-nos comandos básicos de voz para lidar com estas adoráveis criaturas.

 

IMG_0003.jpg

Segue-se depois o exame de saúde para saber se o elefante está saudável e feliz:

Devemos caminhar à volta do animal para observar o seu comportamento - se ele estiver a abanar as orelhas e a bater o rabo é sinal de que está feliz.

 

Devemos verificar se os olhos do elefante são brilhantes e claros e não estão com secreções em excesso. Olhos baços indicam doença ou dor. As orelhas também não devem ter quaisquer secreções ou mau cheiro.

 

Para ter certeza de que não há erupções cutâneas ou crescimento de fungos no corpo de um elefante, a pele deve também ser examinada com cuidado assim como as cutículas em torno das unhas. Por último temos de verificar o cocó do animal que se for saudável não cheira mal.😝 

 

O passo seguinte é limpar o animal, sacudir a terra do seu corpo e depois dar-lhe um banho e escova-lo bem.

IMG_0188.jpg

 

IMG_0231.jpg

Depois de terminado este processo podemos, se quisermos, montar o elefante - mas sem sela.

 

Foi-nos explicado que as selas e cadeiras são muito pesadas e magoam muito o elefante fazendo a sua coluna ficar torta, por isso não são permitidas na fazenda.

 

Eu resolvi experimentar, e subi para cima do elefante e fiquei nos seus ombros.

IMG_0436.jpg

O Shampoo era um elefante jovem, ainda baixinho mas ainda assim quando subi para cima dele pareceu-me que estava tão no alto 😮

 

Montar o elefante foi uma experiência única... o trilho levava-nos pelas montanhas e a vista era deslumbrante. O dia estava encoberto e quente mas havia muito nevoeiro e isso criava um ambiente quase mágico! Eu senti-me verdadeiramente abençoada por poder estar ali 😊

 

De repente começou a chover e o caminho ficou todo enlameado e os elefantes começaram a escorregar. Aí pensei - ok, vou cair pela ravina e  a minha vida acaba aqui! Morro agora, mas morro feliz! 

 

Para minha sorte o Shampoo tinha um grande equilíbrio e conseguimos chegar ao nosso destino sem qualquer acidente😄

20140308-150826.jpg

Uma das coisas que não gostei durante a experiência foi a forma como os mahout (instrutores) tratavam os elefantes. Algumas vezes para fazer mexer o elefante, quando este não queria, o mahout puxava pelas orelhas do animal. Eu perguntei se isso não magoava e eles insistiram que não, mas a mim custou-me muito a acreditar nisso 😒

 

Normalmente, um mahout começa criança na profissão familiar e é-lhe atribuído um elefante jovem para treinarem. Por isso a forma como tratam a criatura é uma questão cultural. Acredito que para eles puxar a orelha do animal é perfeitamente normal e provavelmente eles também não percebem a nossa sensibilidade ocidental. 

 

Por mais de uma vez pareceu-me que as atracções na fazenda eram os próprios visitantes, tal era a forma como os mahouts pareciam olhar para nós. Acho que para eles é incompreensível alguém pagar para dar banho aos elefantes e cheirar o seu cocó! 

 

Acho o esforço de conservação muito importante, e locais como Patara necessários, mas também acho que tem de se investir mais na educação pois é a única forma de alterar crenças enraizadas. De que serve ter um santuário se depois algumas das pessoas que trabalham nele e que estão em contacto directo com os elefantes, não compreendem a importância nem o porquê do que estão a fazer? 

P6103915.JPG

 

No geral foi uma experiência incrível onde senti que aprendi algo de importante e tive oportunidade de conhecer de perto uma das criaturas mais belas do planeta.

 

Dizem que os elefantes nunca esquecem, espero que o Shampoo nunca se esqueça de mim da mesma maneira que eu nunca me vou esquecer dele!

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 P6104004.jpg

Tchau!

Travellight 

EU E OS CANGURUS

Olá amigos viajantes!

 

Quem aí não gosta de cangurus? Já imaginaram conhecer um de perto?

IMGP6177.jpg

Desde os tempos do Cangurik (ainda alguém se lembra dele? o canguru que era mascote da Nesquik antes do coelho actual, e que nos dava lições sobre a  Natureza?), que estes animais encantadores fazem parte do meu imaginário, por isso quando comecei a planear a minha viagem à Austrália, interagir com cangurus estava no topo da minha lista, afinal não é possível visitar a Austrália e não ir conhecer os cangurus certo?

 

Há vários locais onde podemos ter essa experiência, eu escolhi um zoo em Sydney - Featherdale Wildlife Park,  e um outro em Port Douglas -  Wildlife Habitat

 

DICA: Como a Austrália é muito longe fica aqui a informação que o NaturWaterpark - Parque de Diversões do Douro, situado na Quinta do Barroco, Póvoa/Andrães, tem uma quinta pedagogica com um canguru (e cavalos, poneis, lamas, cisnes, porcos do vietname, etc) com quem as criaças podem interagir.😊

Mais informações: Natur Waterpark

IMGP5646.jpg

IMGP5668.jpg

Conseguem perceber a minha felicidade? Foi mesmo divertido brincar com os cangurus! 😄

 

IMGP5669.jpg

Durante estas visitas pude aprender coisas surpreendentes que desconhecia sobre os cangurus:

 

- O nome canguru tem sua origem numa língua aborígene e quer dizer “não sei”;

 

- Existem 4 espécies de canguru: o canguru cinzento, o canguru vermelho (o maior de todos), o wallabie (o mais pequeno) e o canguru arborícola;

 

- Eles podem atingir uma velocidade máxima de 65 km /h  o que significa que podem ultrapassar  um cavalo de corrida;

 

- Num só salto os cangurus podem saltar até 3m de altura e 7,6 m de comprimento;

IMGP6179.jpg

IMGP6183.jpg

 

- Os cangurus são o único animal de grande porte que usa o salto como seu principal método de locomoção. Saltar é um meio rápido e eficiente de viagem que lhes permite poupar energia e cobrir grandes distâncias em habitats onde há pouca comida e água disponível.

 

IMGP6212.jpg

   Fêmea com bebé na bolsa a tirar uma bela sesta! 😊

 

- Os cangurus fêmeas podem determinar o sexo de sua prole. Elas podem até retardar a gestação, quando os factores ambientais são susceptíveis de diminuir as chances de sobrevivência do filhote.

 

- Como todos os marsupiais, os cangurus nascem muito cedo; o equivalente a sete semanas de gestação para o ser humano. Eles migram do canal de nascimento enquanto ainda são embriões através da pele da mãe para a segurança da bolsa, onde passam vários meses em desenvolvimento antes de finalmente sair para explorar o mundo.

 

IMGP6195.jpg

Os cangurus com que interagi eram tão fofinhos! extremamente dóceis e simpáticos e o seu pêlo era muito macio😊

Só tinha vontade de trazer um para casa!

 

Nos zoos vendem uns cones com erva e outra comida apropriada para os alimentar.

 

Os cangurus tinham uma zona própria nos parques por onde andavam livres, podendo afastar-se para sítios mais distantes quando assim o entendiam. Todos me pareceram muito bem tratados e nada stressados com os turistas que tinham à volta por isso foi uma experiência divertida e inesquecível !

 

Espero que tenham gostado de ver! 😃

 

Tchau!

Travellight