Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

PALACE HOTEL DO BUÇACO

Olá amigos viajantes!

 

Em Portugal, felizmente, não temos falta de hotéis de qualidade, mas muito poucos podem gabar-se, como o Palace Hotel do Buçaco, de ter uma história tão rica, uma arquitectura tão deslumbrante e de localizarem-se num lugar tão bonito e encantado como a Mata do Buçaco.

 

fullsizeoutput_1a18.jpeg

 

Mandado edificar pelo rei D. Carlos I como pavilhão real de caça, o palácio - uma verdadeira ode à Epopeia dos Descobrimentos Portugueses - foi construído entre 1888 e 1907, e é um exemplo do “Romantismo Castelar”, uma moda arquitectónica, de inspiração Alemã bastante popular naquela altura.

 

E que romântico é este lugar! Parece saído de um qualquer conto de fadas 😊.

 

IMG_3151.JPG

 

Não fiquei muito surpreendida quando descobri que foi o arquitecto italiano Luigi Manini, cenógrafo do Teatro Nacional de São Carlos, o responsável pelo projecto. Afinal, tudo ali parece mesmo pertencer ao cenário de um filme. Os jardins, as arcadas, a escadaria, os azulejos, as decorações… tudo é monumental!

 

P7210114.JPG

fullsizeoutput_1a17.jpeg

fullsizeoutput_1a0c.jpeg

fullsizeoutput_1a0d.jpeg

 

fullsizeoutput_1a09.jpeg

fullsizeoutput_1a12.jpeg

 

Assim que entras, sentes-te a recuar no tempo. Quem gosta de história, como é o meu caso, não pode deixar de ficar maravilhado ao explorar este palácio transformado em hotel.

 

O Duque de Wellington andou por aqui e pernoitou no Convento de Santa Cruz (edifício adjacente ao hotel).

 

fullsizeoutput_1a14.jpeg

 

A Batalha do Bussaco de 1810, que repeliu a terceira tentativa de invasão napoleónica é contada nos azulejos do mestre Jorge Colaço, assim como vários episódios dos Lusíadas.

 

fullsizeoutput_1a06.jpeg

IPAD-BUÇACO-2017 (18).jpg

IPAD-BUÇACO-2017 (39).jpg

 

O restaurante do hotel localiza-se no que foi outrora local de majestosos banquetes reais e está decorado com um tecto mourisco, frescos de João Vaz, e janelas e portadas ao estilo manuelino.

 

Jantar ou tomar o pequeno almoço aqui é simplesmente maravilhoso.

 

P7210149.JPG

fullsizeoutput_18e2.jpeg

 

A gerência do hotel está entregue à mesma família desde 1917 - neste momento já é a terceira geração de descendentes de Alexandre de Almeida (o primeiro grande industrial hoteleiro português) que gere o local.

 

IPAD-BUÇACO-2017 (122).jpg

 

As áreas comuns e jardins estão bem cuidados. O buffet de pequeno almoço é bom e as refeições servidas no restaurante bastante agradáveis.

 

caption.jpg

 

Os funcionários são atenciosos e prestáveis.

 

E depois temos o vinho...

 

fullsizeoutput_19af.jpeg

 

O único ponto negativo, para mim, foi o quarto.

 

IMG_3065.JPG

 

Apesar de grande, com tecto alto e uma decoração de época, estava muito desgastado e degradado.


No seu site, o hotel, refere que os quartos são mantidos assim “por forma a preservar a beleza e o ambiente originais do palácio, razão pela qual não oferecem algumas das comodidades e luxos contemporâneos expectáveis num hotel deste renome” mas, honestamente, não acho aceitável um hotel 5 estrelas e desta grandeza, ter quartos naquele estado de conservação e com equipamentos tão antigos (o aparelho de televisão parecia dos anos 80).

 

Já estive em vários hotéis deste género que, sem comprometer a história do local, conseguem ter quartos maravilhosos, muito confortáveis e com luxos contemporâneos.

 

Verdade seja dita estes hotéis também cobram valores bem diferentes do Palace Hotel do Bussaco…

 

Em resumo, não posso dizer que não gostei de passar aqui uma noite, porque a mim, a história fascina-me e a minha imaginação perde-se a imaginar como seria noutra época. Eu sou capaz de me abstrair das falhas e defeitos do quarto por uma noite, mas talvez não seja para todos.


Penso que muitas pessoas chegam com grandes expectativas e com o sonho de ter uma noite especial e depois ficam bastante desiludidas quando vêem o estado dos quartos. 😔

 

Ainda assim, mesmo não ficando aqui à noite, com toda a certeza ninguém ficará arrependido de vir conhecer este lugar.


O restaurante e os jardins são abertos ao público em geral. Penso que cobram 5 Euros para entrar no recinto do Hotel quando a pessoa vem de carro e não tem reserva. Mas se estiverem interessados em visitar, podem contactar a Fundação da Mata do Buçaco ou o próprio Palace Hotel do Buçaco para tirar a dúvida, porque não tenho mesmo a certeza do valor.

 

fullsizeoutput_190a.jpeg

 

Sigam as minhas mais recentes aventuras no Instagram ou no Facebook

 

Tchau!
Travellight

PASTA ALLA NORMA

Sou louca por comida Italiana e um dos meus pratos favoritos é um prato Siciliano super simples de fazer chamado Pasta alla Norma! 😊

 

57e935e2983576.13111464.jpg

 

A pasta alla Norma é um prato típico de Catânia e o nome foi dado pelo poeta siciliano Nino Martoglio, em homenagem à ópera “Norma”, de Vincenzo Bellini.


Conta a história que Nino Martoglio, ao comer este prato de macarrão, teria comparado a iguaria à ópera, afirmando que uma seria tão maravilhosa quanto a outra.

 

Deixo em baixo a receita para quem quiser experimentar 😃

 


Ingredientes:

2 beringelas pequenas
1 lata de tomate picado
Azeite extra virgem
Flor de sal
Pimenta moída
1 dente de alho
Vinho branco
Óregãos
1/2 malagueta sem sementes
Hortelã picada
Massa (neste caso massa tagliatelle fresca)


Preparação:

1. Cortar a beringela em quartos em altura, depois ao meio e em tiras da grossura de um dedo. Fritar no azeite até ficar douradinho, adicionando a meio os óregãos, que dão um sabor delicoso. É possível que tenha de se fazer em algumas vezes, dependendo do tamanho da frigideira.


2. Adicionar o tomate, o alho, o vinho e a malagueta. Temperar com sal e pimenta. Deixar refogar a lume brando durante uns 15 minutos (enquanto a massa coze).


3. Colocar a massa a cozer com um fio de azeite, reservando um pouco da água da cozedura no fundo do tacho.


4. Quando o refogado estiver pronto, adicionar o hortelã e juntar ao tacho com a massa, misturado até estar homogéneo.


5. Servir com queijo parmesão ralado.

 

Receita tirada daqui

 

 

DESTINOS PARA LUA DE MEL I ANGSANA IHURU MALDIVAS

Olá amigos viajantes!

 

Alguém por aí está de casamento marcado e anda à procura de um destino paradisíaco especial para a lua de mel?

 

A ilha de Angsana Ihuru nas Maldivas pode ser a vossa resposta 😃

 

fullsizeoutput_19d9.jpeg

 

O Angsana Ihuru pertence ao grupo Banyan Tree que a maioria dos amantes de viagens de luxo conhece como sinónimo de qualidade, sofisticação e bons tratamentos de SPA. Infelizmente nem sempre os preços praticados pelo grupo são compatíveis com o nosso orçamento de viagens. Mas o Angsana é uma espécie de low cost (bom) do Banyan Tree.

 

fullsizeoutput_19d8.jpeg

 

Não vou dizer que é barato (não é) mas comparado com outras opções dentro do segmento de luxo nas Maldivas não é tão caro e tem muitas vantagens. Se optarem por marcar na época baixa (Setembro, por exemplo, a diária, com pequeno almoço para duas pessoas, fica por cerca de 360,00 €).


Para inicio de conversa, a pequena ilha de Ihuru fica apenas a 20 minutos, de barco a motor, do aeroporto de Male, o que já por si é uma poupança, porque muitos hotéis e resorts das Maldivas ficam longe do aeroporto internacional e depois temos de pagar uma avioneta cara para lá chegar.

 

Quando chegas não te arrependes, é um verdadeiro cartão postal do paraíso: Um mar incrivelmente azul turquesa, praia de areia branca fina e bonitas palmeiras.

 

fullsizeoutput_19db.jpeg

 

Somos recebidos com toalhas frescas, sorvetes de coco e chocolate e bebidas geladas para nos ajudar a afastar o calor.

 

Depois de um rápido check-in somos levados até às vilas de praia.

 

As vilas tem uma decoração simples, de bom gosto e são muito confortáveis, tem um chuveiro exterior e algumas tem também um jacuzzi.

 

IMGP6813.JPGIMGP6812.JPG

 

 

fullsizeoutput_19e1.jpeg

 

 

A privacidade é quase completa porque as cabanas tem vegetação natural que as separa, o que cria a ilusão que cada cabana tem uma praia privativa.

 

fullsizeoutput_19da (1).jpeg

 

Mas o melhor de tudo é o recife de coral da ilha que fica super perto da praia. Está repleto de vida marinha colorida e até quem não sabe nadar ou nada mal pode facilmente observar o recife sem nunca perder o pé. É como nadar dentro de um gigantesco aquário 😊

 

fullsizeoutput_19e5.jpeg

fullsizeoutput_19e7.jpeg

fullsizeoutput_19e8.jpeg

fullsizeoutput_19ea.jpeg

 

fullsizeoutput_19e6.jpeg

fullsizeoutput_19e8 (1).jpeg

fullsizeoutput_19f7.jpeg

fullsizeoutput_19eb.jpeg

 

fullsizeoutput_19ec.jpeg

fullsizeoutput_19e4.jpeg


O Angsana tem um centro de mergulho que pode organizar uma sessão de snorkel com o biólogo marinho da ilha, para podermos descobrir toda a diversidade de espécies marinhas e conhecer melhor o recife, considerado um dos melhores, se não mesmo o melhor, das Maldivas.

 

O resort é pequeno e só há um restaurante e um bar à beira da praia, mas a escolha no menu é bastante razoável e servem um pouco de tudo, desde peixe grelhado a massas.

 

IMGP6725.JPG

 

O pequeno-almoço é servido em buffet e é bastante bom com uma boa selecção de produtos como croissants, waffles, frutas frescas, ovos fritos, omeletas feitas na hora, etc…

 

e, como não podia deixar de ser, a ilha tem também um SPA com tratamentos maravilhosos.

 

IMGP6818.JPG

 

Outra vantagem do Angsana é que os hospedes podem usufruir de um barco gratuito até à ilha do Banyan Tree Vabbinfaru, um resort maior do mesmo grupo com mais praias, restaurantes, actividades aquáticas e um laboratório marinho orientado para a conservação das espécies locais que oferece demonstrações de alimentação de raias e informa os visitantes sobre os programas de preservação e reprodução de tartarugas. Os visitantes são também encorajados a participar no programa de plantio e protecção de corais.

 

fullsizeoutput_19e0 (1).jpegfullsizeoutput_19ed.jpeg

fullsizeoutput_19ee.jpeg

fullsizeoutput_19f3.jpeg

fullsizeoutput_19f4.jpeg

 

Os funcionários são simpáticos e sempre prontos a ajudar em tudo o que for preciso.

 

O pôr do sol é épico! 😊

 

fullsizeoutput_19d7.jpeg 

 

Em suma, considero esta pequena ilha o local ideal para uma lua de mel perfeita e romântica, recheada de aventuras subaquáticas nas águas quentes e transparentes das Maldivas.

 

É um dos lugares mais bonitos em que já estive 😊

 

fullsizeoutput_19df.jpeg 

 

Espero que tenham gostado da sugestão! 😊

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

 

 

 

 

GYERAN-BBANG I PÃO DE OVO COREANO

fullsizeoutput_1822.jpeg

 

O gyeran-bbang é uma comida de rua Coreana, composta por uma massa parecida com a das panquecas, levemente adocicada e assada com um ovo por cima. É muito saboroso e fácil de fazer. Deixo a receita se quiserem experimentar.

 

 

INGREDIENTES:

(para 6 pessoas)

- 90g de farinha de trigo

- 20g de açúcar;

- 1 ovo;

- 1/2 colher (de chá) de fermento em pó;

- 15g de manteiga;

- 100ml de leite;

- 1/4 de colher (de chá) de essência de baunilha;

- uma pitada de sal;

- 7 ovos 

- bacon picado

 

PREPARAÇÃO:

Para preparar a massa misture todos os ingredientes. A farinha de trigo, o açúcar, o fermento em pó, o bacon, e o sal (se quiser pode juntar também queijo ralado). Acrescente depois 1 ovo, a manteiga (de preferência derretida) o leite e a essência de baunilha.

 

Misture tudo muito bem até a massa ficar homogénea.

Despeje a massa em forminhas previamente untadas com manteiga (podem usar as formas que são usadas para fazer muffins).


Não encha a forma até cima porque no fim tem de colocar um ovo inteiro por cima de cada pãezinho. 

 

Agora é só levar ao forno e cozinhar por cerca de 25 minutos ou até o ovo estar cozido. 

 

Antes de retirar espete um palito num pãozinho para ter a certeza que está todo cozido.

 

Sirva quente.

 

Receita tirada com algumas adaptações daqui

 



MANGO ICE

shutterstock_60268606.jpg

 

Mango Ice é uma das sobremesas mais conhecidas de Taiwan. Eu provei por estes dias e gostei muito.😃 Tem manga e leite condensado, duas coisas que adoro!


É ideal para comer num dia bem quente de verão.

 

Deixo a receita em baixo para exprimentarem:


Ingredientes:

2 Mangas cortadas em cubo

Leite Condensado (a gosto)

Gelo


Xarope de manga:

1 manga inteira madura

1 colher de sopa de açúcar

sumo de limão (opcional)

 

Preparação do xarope de manga:

Corte a manga em pedaços e esmague esses pedaços para retirar o seu sumo ou bata num liquidificador. Passe o sumo por um filtro ou passador (para remover os vestígios de polpa).


Ferva o sumo de manga com o açúcar até este derreter. Prove e rectifique o açúcar (se a manga for pouco doce, pode ser preciso adicionar mais açúcar), se ficar demasiado espesso adicione um pouco de água. Tire do fogo e adicione o sumo de limão.


Deixe arrefecer e se preferir ponha no frigorifico para ficar fresco.

 

Preparação final:

Triture gelo e coloque numa taça.

Corte as mangas em cubos pequenos e ponha por cima do gelo triturado.

Deite o xarope de manga e o leite condensado sobre o gelo.

 

Sugestão:
Adicione uma colher de gelado de baunilha por cima.

Se quiserem um gelo cremoso, em vez de congelar água, congelem uma mistura, em partes iguais, de leite condensado com leite fresco. Assim fica uma espécie de “gelo de leite”.

 

UMM ALI - PUDIM EGÍPCIO DE PÃO

umm-ali-egyptian-dessert-L-sBce3l.jpeg

 

Umm Ali é uma sobremesa tradicional Egípcia, e um prato bastante típico em todo o Médio Oriente. Consiste numa espécie de pudim feito com massa, leite, açúcar, baunilha, passas, coco, nozes e outros frutos secos.

 

Deixo em baixo a receita para quem quiser experimentar 😃

 

Ingredientes:


* 500g de pães de leite (ou pães doces);

* Cinco chávenas de chá de leite;

* Uma chávena de chá de açúcar;

* Meia chávena de chá de pistachios picados;

* Meia chávena de chá de amêndoas picadas;

* Meia chávena de chá de nozes picadas;

* Meia chávena de chá de coco ralado e de sultanas;

* Uma colher de sopa de essência de baunilha.

 

Preparação:


* Colocar os pães de leite num tabuleiro e levar ao forno pré-aquecido a 200º durante dez minutos;

* Retirar os pães de leite do forno e parti-los em bocados pequenos;

* Acrescentar os frutos secos e o coco e misturar bem;

* Juntar numa panela o leite, o açúcar e a essência de baunilha e levar a lume médio até ficar quente sem deixar ferver;

* Tirar e deixar arrefecer;

* Num tabuleiro do forno, colocar em camadas um pouco de leite, metade da mistura de pães de leite, metade do leite, a metade restante dos pães de leite e a metade restante do leite;

* Cobrir com amêndoas raladas e com sultanas;

* Levar ao forno durante 15 minutos;

* Deixar arrefecer 5 minutos e servir morno.

 

Receita tirada daqui

CALULU DE PEIXE

Calulu-de-Peixe-teleculinaria-receitas-TC_005-Custom.jpg

 

Calulu é um prato típico de São Tomé e Príncipe, onde constitui uma refeição familiar habitual, sendo também usado em festas religiosas, nas quais é frequentemente distribuído junto às igrejas. É localmente considerado uma iguaria rica, adequada para ser oferecida a um forasteiro.

 

Deixo em baixo a receita deste delicioso prato:


Ingredientes

* 1 kg de garoupa
* 500 g de camarões 30/40
* 350 g de abóbora
* 200 g e batatas-doces
* 5 quiabos
* 2 beringelas
* 1/2 couve lombardo
* 2 tomates maduros
* 2 cebolas
* 20 g de farinha
* 1 dl de óleo de palma
* 1 raminho de manjerona
* 1 folha de louro
* Sal e piripiri q.b

 


Preparação

1. Descasque os camarões e deixe alguns com casca. Arranje a garoupa e corte-a em pedaços. Deite as espinhas e a casca dos camarões para um tacho, junte1 L de água, leve ao lume e deixe ferver até obter um caldo. 




2. Descasque as batatas-doces, as beringelas, a abóbora e as cebolas, corte as batatas, as beringelas e a abóbora em pedaços e pique as cebolas. Pele os tomates, retire-lhes as sementes e pique-os. Lave os quiabos e corte-os ao meio. Arranje a couve e corte-a em pedaços. 




3. Leve um tacho ao lume com o óleo de palma, a cebola, a folha de louro e o ramo de manjerona e deixe refogar um pouco. Adicione a beringela, o tomate, os quiabos, a abóbora, a batata-doce e a couve, acrescente o caldo que preparou até cobrir e deixe cozinhar mais 10 minutos. Adicione o peixe e os camarões, tempere com sal e piripiri, tape e deixe cozinhar até tudo ficar macio mas sem os legumes se desfazerem. 




4. No final, dissolva a farinha num pouco de água, adicione ao tacho, agite o tacho para misturar e deixe cozinhar até engrossar o molho. Retire e sirva de imediato.

 

Receita retirada daqui

 

KUEH PISANG

Crepes de Banana e Canela.JPG

 

Hoje deixo-vos aqui a receita de Kueh Pisang, uns crepes de banana e canela que provei em Singapura.

 

São deliciosos, experimentem e vão ver! 

 

INGREDIENTES

125 gr de farinha de trigo

1/2 colher de chá de fermento

1 colher de chá de canela em pó

1 ovo batido

90 ml de leite

3 bananas grandes maduras, amassadas

2 colheres de sopa de açúcar branco

uma pitada de sal

óleo vegetal, para fritar

açúcar de confeiteiro para polvilhar

canela para polvilhar

sumo de limão

 

PREPARAÇÃO

1. Numa vasilha grande, peneire a farinha, o fermento e a canela. Faça uma cova no centro e adicione os ovos e a metade do leite. Bata até obter uma massa homogénea, adicione o leite restante e mexa bem.


2. Amasse as bananas com o açúcar branco e o sal e junte-as à massa.


3. Aqueça um pouco de óleo numa frigideira anti-aderente, e despeje nela massa suficiente para fazer um crepe de 12-18 cm de diâmetro. (Se preferir, faça crepes menores.) Frite dos dois lados, virando a massa com a ajuda de uma espátula. Quando o crepe estiver pronto, polvilhe com o açúcar de confeiteiro e com a canela. Deite umas gotas de limão antes de dobrar cada crepe em quatro.


4. Sirva quente.

 

Receita tirada com algumas adaptações daqui

HOTEL BANYAN TREE MACAU

Olá amigos viajantes!

 

Hoje vou contar-vos tudo sobre o Banyan Tree Macau - um dos melhores hotéis em que já fiquei. 

 

Banyan-Tree-Macau-Exterior-Aerial.jpg

 

Localizado no bairro de Cotai, a 15 minutos de carro do Aeroporto Internacional de Macau e do terminal de ferries de Taipa (com ligações directas para Hong Kong)

 

É um daqueles hotéis que leva muito a sério o serviço ao cliente e onde os hospedes sentem que o seu bem estar é mesmo a prioridade máxima.

 

Desde que chegas até que partes todos os detalhes contam. Check-in no quarto, atendimento personalizado, alguém sempre pronto a dar indicações sobre como chegar a qualquer atracção ou restaurante que te interessa, ou simplesmente a entregar-te um chapéu de chuva porque vais sair e começou a chover.

 

As suites do Banyan Tree Macau tem sem dúvida um “Wow factor”. São incríveis, tu entras e tens vontade de ficar 😊.


São grandes, belissimamente decoradas e com uma atmosfera Zen. Tem uma sala separada, uma linda casa de banho com chuveiro duplo, uma banheira Onsen (Japonesa) e ainda uma pequena piscina aquecida com vista para o Mar da China.

Novamente a atenção aos detalhes é o que torna estes quartos tão especiais: óleos essenciais, sais de banho, insenso com aromas calmantes, toalhas sobre os travesseiros perto da piscina para que o quarto não fique molhado, pequenas lembranças ou doces deixadas no quarto todas as noites… nada é esquecido.

 

IMGP0919.JPGIMGP0918.JPG

fullsizeoutput_148b.jpeg

fullsizeoutput_1488.jpeg

 

IMGP0428.JPG 

fullsizeoutput_148a.jpeg

IMGP0347.JPG

 

Existem dois restaurantes no local, o Belon, que oferece frutos do mar e grelhados, com uma extensa selecção de vinhos e o Saffron, um restaurante aberto todo o dia que serve cozinha Tailandesa e um soberbo buffet de pequeno-almoço.

 

fullsizeoutput_1489.jpeg

 

O complexo onde está inserido o Hotel tem várias piscinas (6 ao todo se não me engano) mas a mais divertida é a piscina que imita uma praia com areia e ondas artificiais.

 

fullsizeoutput_148e.jpeg

fullsizeoutput_148f.jpeg

fullsizeoutput_1490.jpeg

 

IMGP0868.JPG

 

Mas para mim a estrela deste Hotel é o premiado Banyan Tree SPA


O espaço é um dos mais belos que já vi. Grandioso e simples ao mesmo tempo. Parece um jardim Japonês com elementos verdes e fontes de água.

Tem 19 salas de tratamento e algumas das salas tem tectos que imitam o céu estrelado.

 

As terapeutas são excelentes e as massagens e terapias oferecidas muito boas também. O SPA tem igualmente um ginásio, uma piscina interior no 31º andar e uma piscina exterior com cabanas privadas.

 

IMGP0938.JPG

 

IMGP0945.JPG

 

Este Hotel consegue ser um destino por si só. Não me importava nada de voltar a Macau só para ficar aqui outra vez e usufruir do seu maravilhoso SPA 😊

 

Tchau!

Travellight

SPANAKOPITA

Spanakopita - slice.jpg

 

Spanakopita significa, literalmente, tarte de espinafres.

 

Esta é uma entrada ou prato principal muito popular na cozinha Grega e Cipriota. É servida com frequência nos feriados religiosos ortodoxos.

 

A tarte é feita com massa folhada e recheada com espinafres e queijo feta. É muito bom! Deixo a receita em baixo para quem quiser experimentar.


Ingredientes:

- 1 pacote de massa folhada pronta

- 500 g de espinafre bem lavado e cortado

- 500 g de queijo branco tipo feta

- 2 ovos

- salsa

- 2 cebolinhas picadas

- 1/2 chávena de azeite


Preparação:

Numa tigela grande triturar com um garfo o queijo feta. Juntar os ovos batidos, a salsa e as cebolinha picadas, o azeite e misturar bem.

 

Acrescentar o espinafre bem lavado e cortado, espremendo com as mãos para retirar o excesso de líquido. Misturar tudo muito bem.

 

Numa forma, pincelar um pouco de óleo. Estender uma por uma as folhas da massa da metade do pacote, pincelando com óleo entre cada camada.

 

Acrescentar o recheio de espinafre. Cobrir com o restante das folhas da massa, pincelando sempre com óleo. As sobras da massa que não cabem na forma, podem ser dobradas para dentro.

 

Bater um ovo e pincelar por cima da massa. Cortar a massa com uma faca e com muito cuidado, formando quadradinhos.

 

Levar ao forno médio 180-200 C por cerca de 20 minutos, ou até dourar por cima.

 

Receita retirada com algumas adaptações daqui