Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

EUROTRIP

Olá amigos viajantes!

 

Já ouviram falar na GoEuro ?

Não? Pois deviam 😊

 

A GoEuro é uma plataforma que permite comparar e reservar viagens de comboio, autocarro e voos na Europa.

fullsizeoutput_143d.jpeg

 

Recentemente eles criaram um guia para aqueles que planeiam fazer uma eurotrip que inclui dicas para organização, assim como sugestões de circuitos na Europa.


Gostei tanto do que li que resolvi partilhar uma parte convosco.

 

Não deixem de ler as dicas e de visitar o site. É uma boa ajuda para planear a vossa viagem pela Europa!

 

 

Eurotrip: 10 Dicas de viagem


1. Eurotrip: O que é uma Eurotrip?
Uma eurotrip é uma viagem pela Europa. A eurotrip não tem de ser necessariamente uma road trip! Também não se limita a viagens de comboio pela Europa! O conceito de uma eurotrip é partir à aventura, visitando novos países e pessoas e conhecendo novas culturas. Assim sendo, uma eurotrip pode ser um mochilão pela Europa (viajando sozinho ou com amigos), uma viagem em família ou uma lua de mel! Ah, sim, é também um popular filme - "EuroTrip - Passaporte para a Confusão"!

 

2. Eurotrip: Qual é a melhor altura para viajar na Europa?

Na Europa, de forma geral, consideram-se três as temporadas para viajar no país: a época alta, a baixa e a intermédia. Veja as características de cada temporada, para decidir qual o melhor momento para uma viagem na Europa.

 


ÉPOCA ALTA, DE JUNHO A AGOSTO

Na Europa, a alta temporada vai de Junho a Agosto, os meses mais quentes no continente, os meses do verão. Confira mais abaixo as vantagens e desvantagens de uma viagem pela Europa no verão.

 

Vantagens de viajar no verão na Europa

* Bom tempo: E isso significa sol, calor, pouca (ou nenhuma) chuva, assim como frio. É certo que com o aquecimento global, o tempo está a mudar. Ainda assim, no verão europeu mesmo as noites são agradáveis e esta é uma excelente oportunidade para fazer praia ou para actividades ao ar livre.


* Dias longos: Especialmente se vai viajar no norte da Europa, este é um factor a ter em conta. Nos países escandinavos, assim como na Alemanha ou Polónia, durante o inverno é comum ser noite depois das 17h00!


* Festas e atracções: Durante o verão tem menos probabilidades de encontrar um parque de diversões ou uma piscina fechada, por exemplo. Além disso, nesta altura do ano são vários os acontecimentos e eventos a ocorre. Um exemplo? Os festivais de música!

 

Desvantagens de viajar no verão na Europa

* Multidões: O bom tempo atrai também mais turistas e multidões! E, com eles, as filas!


* Calor: E quando falamos de claro, falamos de muito calor! No sul de Espanha, as temperaturas chegam muitas vezes aos 40º graus!


* Preços elevados: Durante esta altura do ano é comum os preços aumentarem! E não falamos apenas do alojamento, falamos também das passagens!


* Férias escolares: Esta altura do ano corresponde às férias escolares de muitos estudantes na Europa. Por essa razão, é comum as viagens em família dos europeus serem feitas nesta altura!

 


ÉPOCA BAIXA, DE NOVEMBRO A ABRIL

 

O tempo pode não ser o mais favorável, mas os preços sim. Na temporada baixa, que corresponde ao inverno na Europa, encontrará com facilidade viagens baratas, assim como alojamento com preços mais baixos.

 

Vantagens de viajar no inverno na Europa

* Ter a Europa só para si: Sendo a época baixa, esta é também a altura com menos turistas e viajantes no continente. Logo, menos filas e confusões!


* Viagens baratas: Não só os preços do alojamento baixam, como também encontrar viagens baratas se torna mais fácil!


* Desportos de inverno: Já se imaginou a esquiar nos Alpes? Ou a fazer um boneco de neve em Copenhaga, na Dinamarca? Então só mesmo visitando a Europa no inverno!


* Eventos de inverno na Europa: De Novembro a Abril, além do Natal e da Passagem de ano, a Europa tem outros acontecimentos bem especiais! É o caso do Carnaval ou das celebrações do Halloween ou da Páscoa!

 

Desvantagens de viajar no inverno na Europa

 

* Dias curtos: Nesta altura, prepare-se para os dias mais curtos! Mesmo em países mais solarengos, como a Grécia depois das 18h00 acaba-se a luz natural.


* Tempo na Europa: Chuvas, vento, dias cinzentos, nevoeiro e frio, com as temperaturas a atingirem graus negativos.


* Horários limitados: Devido ao clima na Europa nesta altura doa no, muitas atracções alteram os horários. E não falamos apenas de espaços ao ar livre, muitos museus, por exemplo, adoptam esta política encerrando mais cedo.

 

 

ÉPOCA INTERMÉDIA, DE ABRIL A JUNHO E DE SETEMBRO A JUNHO

 

Esta temporadas são perfeitas para uma viagem na Europa. Os visitantes podem beneficiar de bom tempo, mas também de alojamento e viagens baratas - ou pelo menos mais baratas!


Vantagens de viajar no temporada intermédia na Europa

* Bom tempo (geralmente): Nem muito frio, nem muito quente. Se no fim de Setembro, ainda pode aproveitar o sol de verão; em maio, com a chegada da primavera, chegam também os dias mais quentes!


* Menos turistas: E por menos turistas não queremos dizer zero! Ainda assim, bem menos do que no verão.


* Preços mais baixos: Aproveite que nesta época os preços continuam mais baratos para economizar.


Desvantagens de viajar no temporada intermédia na Europa

 

* Horários limitados: Tal como acontece no inverno, nesta época do ano muitas atracções funcionam em horários mais limitados..


* Tempo inconstante: O tempo está a mudar e as estações do ano na Europa já não apresentam as mesmas características de anteriormente. Hoje em dia o clima é mais imprevisível. Prepare-se para tudo!

 

3. Eurotrip: Planear a viagem de acordo com eventos na Europa sim ou não?

Cada país e cidade tem as suas festas e acontecimentos! Na hora de organizar a viagem pense num evento no qual gostaria de participar. Por exemplo: visitar Espanha durante a Semana Santa, estar em Portugal nos Santos Populares ou ir ao Oktoberfest em Munique, na Alemanha! Também pode ser que lhe interesse ir uma determinada exposição, assistir ao concerto da sua banda favorita ou até ir num festival de música. Comece por investigar acontecimentos na Europa interessantes, para depois definir as datas da viagem. E não se esqueça de conferir os preços, afinal também nestas ocasiões os preços sofrem alterações!


4. Eurotrip: Onde ir? Inspirar...e viajar!
Com tanto para ver na Europa, criar um roteiro de viagem não é simples! Quando em fazer uma eurotrip, quais as principais cidades que lhe vêm à cabeça? Esse é um bom ponto partida, mas não se fique por aí! Informe-se, leia e aprenda com as experiências de outros viajantes


5. Eurotrip: Viajar de mochilão? Viagens em família? Viajar com amigos?
Na hora de escolher os destinos, tenha também em conta os seus companheiros de eurotrip! Se vai viajar sozinho, não tem de se preocupar e siga os seus instintos. No entanto, se viajar com crianças, talvez lhe interesse aproveitar uma ida a Paris para ir à Disney ou prefira optar por cidades com parques! Se na sua eurotrip, vai acompanhando dos seus amigos tente escolher destinos que reúnam os gostos de todos - bares, street art, actividades ao ar livre, etc.


6. Eurotrip: Como seleccionar os destinos e o roteiro de viagem final?


Agora que apontou todos os destinos e atracções da Europa que quer visitar, crie três categorias:


* 1) Lugares interessantes que TEM mesmo (mesmo!) de visitar!

* 2) Lugares interessantes que gostaria muito de visitar!

* 2) Lugares interessantes que gostaria de visitar, mas se não der paciência!

 

Na hora de fazer a selecção final, tenha em conta factores como o custo de vida, meios de transporte, o seu orçamento de viagem, etc. Para o ajudar nesta tarefa, consulte o guia de escapadas na Europa da GoEuro, onde pode filtrar os vários destinos por categorias como Entretenimento, Vida nocturna, Alojamento, Gastronomia, Transporte públicos e outros. Desenhe o seu roteiro de viagem de modo a que faça sentido e prepare-se para ter de abrir mão de algumas viagens, seja por questões económicas, pela distância ou outras razões! Sabemos que custa, mas haverão outras viagens!


7. Eurotrip: Afinal, quanto custa viajar pela Europa?
Mochileiros e viajantes de eurotrip sempre gostam de ouvir "viajar barato"! Mas o que é isso de "viajar barato"? O próprio conceito de "barato" varia de viajante para viajante. Se viaja com um orçamento mais limitado, aproveite as nossas ideias para poupar enquanto viaja.


Destinos baratos

Praga, Budapeste ou Varsóvia são algumas capitais europeias, onde os preços se mantêm bastante acessíveis para viajantes e mochileiros; sobretudo se compararmos com outros destinos, como Paris ou Londres ou os países escandinavos, onde o custo de vida é mais caro. Embora os preços na Europa sejam cada vez mais similares, o leste europeu continua a ser a região com destinos mais baratos na Europa.


Reservar com antecedência

Uma das razões pelas quais é tão importante organizar devidamente a eurotrip, é porque ao reservar viagens antecipadamente, acaba poupando MUITO dinheiro - e quem diz bilhetes e passagens, diz alojamento, actividades, museus, etc.. A maioria das empresas rodoviárias e de caminhos de ferro permite-lhe reservar viagens 3 meses antes, a preços mais baratos. Tente fazer as reservas com pelo menos um mês de antecedência!


Meios de transporte

Se pode pagar 5, porquê pagar 10? Sites de viagens como a GoEuro permitem-lhe pesquisar todos os meios de transporte ( comboio, autocarro ou voos) e conseguir as melhores viagens para o seu tour pela Europa! Até porque nem sempre o avião é o meio mais rápido, nem o autocarro o transporte mais barato! O melhor é pesquisar todas as opções e fazer várias simulações até encontrar as melhores viagens!


8. Eurotrip: Quantos dias reservar para cada cidade?
Sabemos que a nossa é uma resposta insatisfatória, mas depende sempre daquilo que quer ver e de quanto tempo dispõe para viajar

.
Um erro comum de muitas viajantes é tentar fazer muita coisa no tempo que dispõem. O resultado nem sempre é muito positivo: cansaço, mais gastos e falta de tempo para aproveitar os locais.
Nos principais destinos europeus, como Paris, Londres ou Barcelona considere um mínimo três dias, se bem que são cidades com tanta oferta, que mesmo após uma semana de viagem, teria algo novo para ver! Tenha também em consideração que ao visitar uma cidade, poderá fazer viagens curtas até outros locais de interesse nas proximidades. Por exemplo, se está em Lisboa não deixe de visitar Sintra ou ir até Cascais. No norte de Itália, se planeia visitar Veneza, aproveite para ir Bolonha, Pádua ou Verona. Não se esqueça que o principal objectivo da eurotrip é divertir-se! Relaxe e aproveite ao máximo, afinal está de férias!


9. Eurotrip: Com que meios de transporte posso contar para a minha eurotrip?
A Europa possui boas redes de transportes, com frotas modernas e segura. Confira os meios de transporte na Europa e para preparar a eurotrip.


Road Trip
Uma forma prática de viajar na Europa é de carro. Caso não possua um, existem várias empresas de aluguer de carro na Europa.
Quanto aos inconvenientes, além do cansaço e do trânsito (sobretudo nas grandes cidades), viajar de carro sai muitas vezes mais caro. Aos preços da gasolina, acrescente ainda o preço de estacionamento e de portagens


Viagens de Comboio

Uma viagem de trem pela europa é a forma ideal para se deslocar na eurotrip. Além de cómodos e seguros, os comboios são extremamente pontuais e a forma ideal para apreciar a paisagem.
A maioria das estações de caminhos de ferro da Europa estão situadas no centro e bem comunicadas com transportes públicos, como o metro e/ou os autocarros urbanos.


Viagens de Autocarro

Na Europa, há ainda várias localidades onde é apenas possível chegar de comboio ou de autocarro. O autocarro pode não ser o meio mais rápido, mas é muitas vezes o mais barato, sobretudo para viagens de última hora.
Além disso, para rotas de longa distância são comuns as viagens nocturnas e sempre é dinheiro que poupa em alojamento, certo? 😉


Viagens Aéreas

Os últimos anos têm sido de revolução no mercado aéreo. Tudo, graças a companhias low cost como a Ryanair ou easyJet, que oferecem voos low cost para os destinos mais turísticos, a preços mais baixos do que as operadoras tradicionais! Além dos voos internacionais, existem ofertas de voos domésticos, como os populares voos Lisboa Porto ou os voos Madrid Barcelona.

 


10. Eurotrip: Como conseguir viagens baratas?
Assim que tiver os destinos escolhidos, trate de traçar um mapa, para a começar a pesquisar rotas e conexões. Use a GoEuro para encontrar as melhores rotas e tenha sempre estes aspectos em consideração:


* FLEXIBILIDADE: Opte por viajar a meio da semana e evite viajar nas horas de ponta para conseguir viagens baratas.

* RESERVAR COM ANTECEDÊNCIA: À medida que o dia da viagem se aproxima, os preços sobem. Reserve 1 a 3 meses antes

* PESQUISAR: Nem sempre comprar viagens de ida e volta na mesma empresa é mais barato. Pesquise todas as viagens e faça as contas!

* OFERTAS DE VIAGEM: Na Europa há descontos de viagem comuns, como para famílias numerosas, estudantes, etc.

 


Circuitos Europa


Na hora de definir a sua tour pela Europa tenha bem presente o número de dias que dispõe. Criar um circuito pela Europa não é difícil e existem várias opções a considerar, assim como meios de transporte à sua disposição. Aqui ficam algumas ideias.

 

Comboios internacionais: Viagens mais populares

Viajar na Europa com o Interrail ou Eurail

Na tentativa de promover as viagens na Europa, vários países europeus e empresas de caminhos de ferro juntaram-se na criação de um passe único para viagens de comboio, que pode ser usado para viajar por toda a Europa. Este passe além de vários descontos em museus e outras atracções, permite-lhe viajar de forma flexível de comboio por toda a Europa, sem gastos extras e, na maioria das vezes, sem precisar de reservar. Faça bem as contas, para ver se lhe compensa fazer um interrail.


O Interrail destina-se a residentes europeus e o Eurail, a todos os viajantes que não possuam residência na Europa. Esta pode ser uma alternativa barata e prática para uma eurotrip na Europa.

 


Dicas práticas para usar durante a Eurotrip

O que levar na Eurotrip?
Na hora de fazer a mala, recorde-se que terá de andar com ela durante toda a viagem! Quem já fez mochilão sabe bem o que isso significa! Seja prático e leve consigo apenas aquilo que pode carregar, resuma-se ao essencial e a itens práticos - confira os nossos conselhos para fazer a mala.

Aprenda algumas palavras no idioma local
Apesar do uso inglês estar cada vez mais generalizado na Europa, sobretudo nas gerações mais novas, nem que seja por cortesia aprenda sempre algumas palavras no idioma do país que visita!

Coma como um local, perguntando a um local
Pizza em Roma, crepes em Paris, fish and chips em Londres! Nenhuma eurotrip pode ser digna desse nome se não incluir uma viagem pelos sabores e comidas típicas de cada país! Esqueça os guias de viagem e, sem medos, pergunte aos locais pelos melhores restaurantes e dicas.
Para poupar dinheiro enquanto viaja opte também por fazer compras e cozinhar a sua própria comida ou simplesmente fazer um picnic.

Alojamento na Europa
Nos principais destinos europeus, há várias ofertas de alojamento, com preços diversos. O hostel é um dos alojamentos mais populares, por serem baratos e ainda possibilitarem (alguns) acesso a uma cozinha. Sites como AirBnb ou o Coachsurfing são cada vez mais usados e uma boa forma de encontrar alojamento barato na Europa e interagir com os habitantes locais.

Dinheiro na Europa
18 países europeus (Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Holanda/Países Baixos, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, e Portugal) usam o euro, assim como estados do Mónaco, São Marino e o Vaticano.

Pagamentos com cartão são facilmente aceites nos vários países europeus, assim como irá encontrar vários multibancos para ir levantando dinheiro durante a sua viagem.

O que comprar na Europa?
Se vive na Europa, além dos souvenirs do costume, não irá encontrar nada numa cidade europeia, que não exista no seu país. Marcas e lojas estão cada vez mais globalizadas. Caso não possua residência na Europa, poderá aproveitar para algumas compras, uma vez que marcas como a Zara ou a H&M são mais acessíveis na Europa.

Certamente que durante a sua eurotrip há viários museus, monumentos e atracções turísticas que pode visitar, certo?
Também aqui, para conseguir bilhetes mais baratos, mas sobretudo para evitar longas filas, compre os bilhetes online.


Melhor do que viajar barato é viajar grátis, certo?
Então, lembre-se de consultar os horários grátis de museus e de outras atracções na Europa. Outra forma de poupar enquanto viajar na Europa é usando transportes públicos - ou caminhar ou alugar uma bicicleta. Quanto aos transportes públicos, várias cidades oferecem passes turísticos com uso ilimitado dos meios de transporte a bons preços (é o caso de Paris, por exemplo). Informe-se!

CRACÓVIA I A CIDADE QUE ROUBOU O MEU CORAÇÃO

Confesso que não ia à espera de muito quando cheguei a Cracóvia mas fiquei encantada com o que encontrei.

Verdade seja dita, é fácil para mim ver coisas positivas em qualquer lugar, mas Cracóvia foi paixão à primeira, segunda e terceira vista 😊

 

fullsizeoutput_1429.jpeg

 

A cidade tem um centro histórico vibrante com imensos restaurantes, lojas, hotéis e museus. Mesmo o bairro judeu, outrora palco de acontecimentos terríveis, é agora uma área animada com restaurantes excepcionais e bares.

 

P8155571.JPG

 

Dei um passeio pelo Castelo de Wawel, caminhei ao longo do rio Wisla, visitei belas igrejas e as impressionantes e elaboradas minas de sal de Wieliczka (que merecem um post à parte), e apreciei o movimento do centro histórico com os seus pintores e artistas de rua e suas carruagens puxadas por cavalos.

 

fullsizeoutput_1426.jpeg

 

fullsizeoutput_1413.jpeg

fullsizeoutput_141c.jpeg

 

P8155407.JPG

fullsizeoutput_142a.jpeg

 

fullsizeoutput_1417.jpeg

P8155424.JPG

fullsizeoutput_142c.jpeg

P8155515.JPGfullsizeoutput_1421.jpeg

 

Por fim provei deliciosos petiscos nos restaurantes locais. Boom! Fiquei apaixonada de vez! 😍.

 

fullsizeoutput_140f.jpeg

P8155603.JPG

 

De repente este destino que não me dizia nada à partida, era o meu novo destino favorito.

 

fullsizeoutput_1424.jpeg

 

Até me emocionei ao ouvir o hino Polaco a ser tocado de cima da torre da Basílica de Santa Maria. Uma velha tradição que acontece quatro vezes por dia. O interessante é que o hino pára abruptamente porque, segundo conta a lenda, durante uma invasão Mongol da cidade, um velho vigia viu os inimigos a chegar e começou a tocar a melodia na sua trombeta. Isso advertiu o povo, e eles conseguiram fechar os portões da cidade a tempo de a salvar. Infelizmente, porém, uma flecha inimiga perfurou a garganta do velho, matando-o instantaneamente. É em sua honra que a melodia é interrompida sempre naquele preciso momento.

 

Quando termina de tocar, o trompetista acena à multidão reunida cá em abaixo e toda a gente bate palmas e acena de volta. É divertido de ver 😊

 

P8155588.JPG

 

Mas nem tudo em Cracóvia é bom...

 

A antiga capital da Polónia, é conhecida pela sua beleza, monumentos históricos e papel na vida do falecido Papa João Paulo II, mas também, tristemente, por ter uma história dolorosa e sombria.

 

Podemos dizer que esta cidade, assim como o resto da Polónia, atravessou o inferno e voltou. Sobreviveu à Segunda Guerra Mundial, ao comunismo da antiga União Soviética e às dificuldades económicas, mas as cicatrizes de todos estes traumas ainda são visíveis em algumas partes da cidade.

 

No Bairro Judeu, por exemplo, que durante a II Guerra Mundial funcionou como Gueto, encontramos um museu e memorial retratando a tortura horrível que os judeus Polacos suportaram. Eles foram aprisionados, mantidos à fome, escravizados e assassinados pelos nazis.

 

P8155512.JPG

 

A Praça das Cadeiras Vazias é um memorial dedicado àqueles que morreram a tentar ajudar o povo judeu.

 

P8155498.JPG

 

E é impossível falar sobre a história negra de Cracóvia sem mencionar o holocausto e os campos de concentração de Auschwitz-Birkeneau que ficam nos arredores da cidade … Eu não acredito em fantasmas, mas se alguma vez houve um lugar onde eu senti a presença de espíritos atormentados foi aqui. 😔

 

P8155493.JPG

 

Apesar das lembranças trágicas, que nunca podem nem devem ser esquecidas, achei que Cracóvia tem um ambiente especial. É linda de manhã quando uma ligeira neblina cobre os seus edifícios, assim como é linda à tarde quando o sol brilha e os cafés e esplanadas estão cheios, ou à noite quando as luzes da cidade acendem-se e aromas deliciosos escapam dos restaurantes que ficam à volta da praça central da velha cidade.

 

fullsizeoutput_1427.jpeg

 

P8155552.JPG

 

Depois temos coisas únicas como os Bar Mleczny (Bares de Leite). Estes estabelecimentos, herança do passado comunista da Polónia, são restaurantes baratos, estilo snack-bar, mas a comida é boa e caseira. A maioria dos pratos são vegetarianos e muitos têm ingredientes lácteos (daí o seu nome).

 

P8155652.JPG

 

Os cafés são outra maravilha. O meu favorito foi o Café Botanica (na Rua Bracka) onde provei uma chávena de chocolate quente com um “cheirinho” de vodka de cereja 😜.

 

Se visitarem esta cidade não deixem de experimentar uma Zapiekanka, também conhecida como uma sanduíche aberta. Pode ser comprada a vendedores de rua que nos deixam escolher os ingredientes que queremos  😋

 

P8155621.JPG

 

Destaco duas últimas coisas, o Museu dedicado a Oscar Schindler ( se já leram o livro ou já viram o filme, sabem a importância que este homem teve na salvação de centenas de Judeus) e o MOCAK - O Museu de Arte Contemporânea

 

Se procuram um destino diferente para passar férias considerem esta cidade. Eu amei! 😍

 

fullsizeoutput_142e.jpeg

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau
Travellight

A CULPA FOI DO JULES VERNE

Adoro ler e, de certa maneira, as primeiras viagens que fiz na vida foram a “bordo” de clássicos da literatura. Por isso, a propósito do Dia Mundia do Livro, que se comemorou ontem, quero deixar aqui a minha homenagem a um autor que me influenciou de forma determinante quando eu era bem novinha : Jules Verne.


Ainda me lembro bem do dia em que a minha mãe chegou a casa com um embrulho. Assim que me passou para as mãos, eu rasguei o papel e descobri uma versão infantil do romance A Volta ao Mundo em 80 dias.

 

avoltaaomundoem80dias_comentado.jpg

 

Peguei no livro e não consegui parar de ler. A história de como Phileas Fogg circulou o mundo para ganhar uma aposta, era emocionante!


Fiquei fascinada com as suas aventuras em Londres, na Índia, China, Egipto, Japão ou América. Imaginei-me lá, juntamente com ele e o seu fiel criado Passepartout. 😊

 

Este livro abriu os meus horizontes e fez-me sonhar com outros lugares, outros povos, outras culturas.

 

Outros livros seguiram-se - 20 Mil Léguas Submarinas, Viagem ao Centro da Terra, A Ilha Misteriosa ou Cinco Semanas num Balão. Cada um aguçando mais a minha imaginação, despertando mais a minha curiosidade. Fazendo-me desejar ser uma exploradora, viajante e aventureira.

 

Por causa dele sonhei em andar de balão e submarino e andei, sonhei em mergulhar e mergulhei, quis dar a volta ao mundo e dei. Jules Verne ajudou a definir um pouco de quem sou e por isso vou estar sempre grata a este autor.

 

Com o passar dos anos foram muitas as obras e escritores que me inspiraram (e continuam  a inspirar), mas ele foi o primeiro.

 

Nunca subestimem o poder que um livro pode ter na nossa vida 😊

 

Boas leituras e boas viagens!

 

Tchau!

Travellight

RAJA AMPAT

Olá amigos viajantes!

 

Hoje a sugestão de férias é para os amantes de sol, praia, aventura e lugares exóticos.

 

Se procuram Ilhas isoladas, recifes intocados, paisagem selvagem e deslumbrante, então tem de conhecer Raja Ampat, na Indonésia.

 

1-slide-indonesia-raja-ampat-sail-boat-pano.jpg

  foto tirada de http://www.wildernesstravel.com

 

Este é um destino remoto e ainda pouco conhecido, com alguns dos melhores lugares do mundo para praticar mergulho e snorkling.

 

IMG_7196.jpg

 

Raja Ampat pode ser um destino caro, mas se dispensarem luxos, é possível planear uma viagem em conta.

 

Chegar lá não é fácil, a melhor opção talvez seja ir de Lisboa para Jacarta e depois apanhar um voo doméstico para Sorong.

 

Encontrei estes voos para Junho, com preços razoáveis (para o destino em causa) :

 

Voo 1: Lisboa/Jacarta/Lisboa

 

fullsizeoutput_13e8.jpegfullsizeoutput_13e9.jpegfullsizeoutput_13ea.jpeg

 

Voo 2: Jacarta/Sorong/Jacarta 

 

fullsizeoutput_13e7.jpeg

 

Chegando a Sorong temos de apanhar um barco. Todos os dias 2 barcos fazem a ligação de Sorong a Waisai (a "capital" de Raja Ampat, localizada na ilha de Waigeo). O percurso demora cerca de 3 horas e custa à volta de 130.000 IDR  por  pessoa (menos de 10,00 €)


Quando chegarem a Sorong devem passar na agência de turismo do Hotel Meridien (em frente ao aeroporto) e pagar o imposto de entrada no Marine Park, 1.000.000 IDR (cerca de 70 €) e obter informações sobre pessoas ou grupos que querem fretar um barco para Wayag (as ilhas mais famosas de Raja Ampat).

 

A agência de turismo fica com o nosso nome e contacto e tenta reunir um grupo de 10 ou mais pessoas interessadas, que dividem entre si o preço do frete para ficar mais barato (ainda assim não esperem pagar menos de 80,00 € por pessoa )


Uma vez em Waisai, podem escolher em que ilha querem ficar hospedados.

 

IMG_7193.jpg

 


Para quem quer gastar pouco e não se importa com uma acomodação simples e básica, há muitos homestays (alojamentos explorados por famílias locais) que cobram à volta de 45€ /50€ por noite. Há também hotéis e resorts onde podem ficar, dependendo do vosso orçamento. No booking.com podem ter uma ideia dos preços.


Espero que tenham gostado da sugestão! 😃

 

fullsizeoutput_13f5.jpeg

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

FLAN DE LEITE À CUBANA

flan.jpg

 

Hoje partilho convosco a receita de um doce bem conhecido, o pudim flan, mas preparado à moda de Cuba: 

 

INGREDIENTES

 

1 colher de (chá) de baunilha em pó

1 embalagem de queijo creme (tipo Philadelphia)

1 lata de leite condensado

1 pitada de sal

500 ml leite

3 ovos

caramelo liquido

 

PREPARAÇÃO

 

Bater todos os ingredientes (à excepção do caramelo) no copo misturador ou com a varinha mágica. Passar uma forma de flan (de metal) por água fria, escorrer bem (sem limpar) e cobrir o fundo com o caramelo. Despejar a mistura dos ingredientes para dentro da forma e colocar a forma em banho-maria (dentro de água) na panela de pressão durante 10 minutos aproximadamente. Deixar arrefecer e desenformar cuidadosamente.

 

Agora é só comer 😋

 

Receita tirada daqui

O REINO PERDIDO DE ANGKOR

A primeira vez que vi Angkor Wat era de noite. Tinha acabado de chegar a Siem Reap e o taxista que me levava para o hotel onde iria ficar hospedada, parou por momentos na estrada e apontou, chamando a minha atenção. A iluminação era fraca e todo o complexo parecia uma cidade fantasma. Era surreal!

 

Nessa noite até sonhei com aquele local. Mal podia esperar que amanhecesse para o visitar. 😃

 

Comprei um Temple Pass, que era válido para visitar todos os templos de Angkor (custou 20 USD) e cheguei bem cedo, porque sempre ouvi dizer que o nascer do sol em Angkor era épico.

 

Descobri com prazer que os relatos não eram falsos - de facto é um momento memorável!

 

IMG_50802.jpg

 

Se também estiverem interessados em ver o pôr-do-sol e visitar o complexo à noite, fiquem a saber que os passes são validos a partir das 17:00 horas do dia anterior a que se visita.

 

IMG_50792.jpg

 

O parque arqueológico de Angkor, Património Mundial da UNESCO, estende-se por cerca de 400 quilómetros quadrados e por lá encontramos as ruínas de inúmeros templos, reservatórios e canais.

 

Angkor é um excelente exemplo de planeamento urbano na antiguidade.

 

As principais atracções turísticas deste parque arqueológico são Angkor Thom, Banteay Srei, Bayon, Preah Khan, Ta Prohm e, claro, o templo principal - Angkor Wat.

 

Angkor, segundo me disseram, é quase quatro vezes maior que o Vaticano e foi em certo momento o maior centro urbano pré-industrial do mundo.

 

IMGP7463.JPG

IMGP7472.JPG

IMGP7737.JPG

 

fullsizeoutput_13c3.jpeg

fullsizeoutput_13cb.jpeg

fullsizeoutput_13d3.jpeg

 

As pedras usadas na sua construção são mais do que as que foram usadas em todas as pirâmides egípcias e foram necessários 35 anos, 300.000 trabalhadores e mais de 6.000 elefantes para o completar.

 

IMGP7728.JPG

 

Angkor foi construído pelo império Khmer. Um império que floresceu entre os séculos IX e XV na região onde actualmente está situado o Camboja, e ocupou regiões que fazem parte da Tailândia, de Laos e do sul do Vietname.

 

Hoje em dia muitas das estruturas de Angkor pouco mais são do que ruínas. O clima tropical, a selva, e a poluição deixaram as suas marcas, mas está a ser feito um esforço de recuperação. Existem muitas obras e trabalhos de restauração a decorrer.

 

Comecei por visitar o templo principal - Angkor Wat. Este é o maior e mais bem preservado templo dos que integram o parque arqueológico. É também o único que mantém, desde a sua fundação, importante significado religioso - inicialmente hindu, e depois budista - O templo é o ponto máximo do estilo clássico da arquitectura Khmer e é considerado a maior estrutura religiosa já construída.

 

IMGP7641.JPG

fullsizeoutput_13c6.jpeg

IMGP7712.JPG

IMGP7713.JPG

fullsizeoutput_13d2.jpeg

fullsizeoutput_13d3.jpeg

  

Depois visitei os templos de Banteay Srei, considerados por muitos como a galeria de arte de Angkor, por possuir algumas das mais finas esculturas de pedra do mundo, Banteay Srei é dedicado a Shiva e tem esculpidas nas suas paredes um numero impressionante de relevos de divindades.

 

fullsizeoutput_13cc.jpeg

fullsizeoutput_13d1.jpeg

 

IMG_61948.jpg

 

Explorei depois a antiga cidade de Angkor Thom, a última capital do Grande Império Khmer, onde se destacam os Terraços dos Elefantes e o fascinante Templo de Bayon, conhecido pelas suas gigantes caras de pedra (216 rostos sorridentes no total 😊)

 

fullsizeoutput_13a7.jpeg

IMGP7511.JPG

fullsizeoutput_13b8.jpeg

fullsizeoutput_13bc.jpeg

fullsizeoutput_13bd.jpeg

fullsizeoutput_13be.jpeg

 

fullsizeoutput_13ac.jpeg

fullsizeoutput_13d8.jpeg

 

IMGP7540.JPG

IMGP7541.JPG

 

O último templo que visitei, e o meu preferido, foi Ta Prohm (que mereceu um post à parte que podem encontrar aqui).

 

fullsizeoutput_13da.jpeg

 

Gostei muito de visitar este incrível Património da Humanidade e do Cambodja no geral. O país é lindo, o seu povo é simpático e hospitaleiro e a cultura fascinante.

 

fullsizeoutput_13b4.jpeg

IMGP7535.JPG

IMGP7745.JPG

 

É verdadeiramente uma viagem de sonho 😊

 

Espero que se tenham sentido inspirados a conhecer este lugar.

 

fullsizeoutput_13ad.jpeg

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

MY TRAVEL WISH LIST I PAMUKKALE

Já visitei a Turquia mas não tive oportunidade de conhecer Pamukkale ("castelo de algodão", em turco)

 

Pamukkale (5).jpg

 

Esta paisagem surreal, Património da UNESCO, é formada por um conjunto de piscinas naturais de origem calcária.

 

As piscinas resultam de fontes termais ricas em carbonato de cálcio, que ao longo do tempo se acumula e acaba por solidificar como mármore travertino, formando então as gigantescas bacias de água que descem em cascata pela colina localizada nas proximidades da cidade de Denizli.

 

PamukkaleTurkey.jpg

pamukkale-tours.jpg

 

Algum de vós já aqui esteve?

 

 

LAMINGTONS

Lamingtons.jpg

 

Os lamingtons são uns bolinhos típicos da Austrália, que conquistaram a também a Nova Zelândia. São uns quadradinhos de massa bem fofa que são mergulhados em calda de chocolate e depois cobertos com coco ralado. São deliciosos!

 

Fica a receita para experimentarem:


INGREDIENTES:

Para a massa do bolo:

- 2 chávenas de farinha de trigo
- 2 colheres de chá de fermento em pó
- 1/4 colher de chá de sal
- 1/2 chávena de manteiga sem sal, em temperatura ambiente
- 3/4 de chávena de açúcar
- 2 ovos grandes
- 1 colher de chá de essência de baunilha
- 1/2 chávena de leite

 

Para a calda de chocolate:

- 4 chávenas de açúcar de confeiteiro peneirado
- 1/3 de chávena de chocolate em pó
- 3 colheres de sopa de manteiga sem sal
- 1/2 chávena de leite

Para cobrir:

- 2 chávenas de coco ralado fino


PREPARAÇÃO:

Pré-aqueça o forno em 180 °C. Unte uma forma quadrada de 20 cm com manteiga ou spray de untar.

Numa batedeira bata a manteiga até deixá-la macia e coloque o açúcar, continuando a bater pra obter uma mistura clara e fofa, o que vai levar cerca de 3 minutos. Adicione os ovos, um por um, batendo bem cada vez que colocar, e por fim acrescente a essência de baunilha. Com a farinha, o fermento e o sal já separados, misture os 3 ingredientes numa tigela, peneirando.

 

Em velocidade baixa, vá adicionado na batedeira a mistura de farinha e leite, colocando um 1/3 de cada por vez. Despeje a massa na assadeira e leve ao forno por cerca de 30 minutos ou até que a massa esteja completamente assada. Quando pronto, deixe o bolo esfriar, desenforme e corte-o em 16 quadradinhos iguais, cada uma com 5 x 5 cm.

Embrulhe o bolo cortado com película aderente e leve ao frigorífico para ficar bem gelado e se possível deixe de um dia para o outro. Esse passo é necessário para evitar que o bolo esfarele na hora de molhar na calda, deixando-o um pouco mais firme.

 

Para a calda, use uma tigela de vidro em banho-maria e coloque o açúcar de confeiteiro, o leite, a manteiga e o chocolate em pó, misturando sempre, até que ela fique homogénea e brilhante. Agora para molhar os bolinhos na calda, você pode fazer de 2 formas: mergulhando o bolinho na calda (literalmente) e deixando secar em numa grade de confeiteiro ou colocando os bolinhos na grade e depois regando-os com a calda. Veja qual dos dois é mais fácil para si. É bom deixar um pratinho por baixo da grade para recolher a calda que cair, pois você pode reaproveita-la para cobrir os bolinhos, se precisar. Se a calda endurecer um pouco e ficar difícil de molhar os bolinhos, volte para o banho-maria e coloque um pouquinho de leite para deixar mais liquida. Mas antes de começar a molhar os bolinhos, deixe pronta  uma tigela com o coco ralado.

 

Quando o bolinho estiver completamente coberto de calda por todos os lados, transfira para a tigela com o coco ralado, e cubra-o todo com o coco, usando se for preciso, um garfo para ajudar.

 

E pronto, agora é só comer 😋

 

Receita retirada com algumas adaptações daqui

Pág. 1/2