Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

GATO RESGATA TURISTA PERDIDO NOS ALPES

Olá amigos viajantes!

 

Estou a preparar uma viajem à Suíça e hoje deparei-me com a história de um gato que resgatou um turista perdido nos Alpes, adoro estes amiguinhos peludos por isso não resisto a partilhar esta história convosco.

 

Há quem pense que os gatos são muito independentes e até egoístas e só estão preocupados consigo próprios - quem tem um gato sabe bem que não é assim e este simpático felino é bem prova do contrário:

 

cat-gimmelwald-jg0bGqX-large.jpg

   foto by REDDIT/SC4S2CG

 

No resort suíço de Gimmelwald, um turista, depois de ter torcido um tornozelo, perdeu-se e não sabia como regressar para a Vila porque o único trilho de volta que conhecia tinha sido fechado. Nessa altura, para sua sorte, um gato preto e branco, que pertence ao proprietário de um dos hostels da zona, apareceu na sua frente e levou-o desde as montanhas até um novo trilho.

 

Conta o turista que o gato começou a andar e e a olhar para trás para assegurar-se que ele o seguia e levou-o  directamente para o trilho certo de volta ao vale. Uma vez alcançado o caminho para a vila o gato  pareceu perder o interesse no homem e os dois separaram-se.

 

O turista partilhou um video do acontecimento no youtube o que levou outras pessoas a revelarem que também eles tinham encontrado aquele gato, que parece ser um bom amigo para todos os caminhantes daquela área. 

 

Gimmelwald fica na região de Jungfrau-Aletsch, Património Mundial da UNESCO.

 

Espero que, se um dia tiver o azar de me perder por estes lados, este lindo gatinho apareça para me salvar 😸

 

 

Tchau!

Travellight

AQUELE MOMENTO MÁGICO!

 

Olá amigos viajantes!

 

Vocês lembram-se da vossa primeira viagem de avião? Talvez vocês fossem ainda crianças, viajando com os pais de férias? Ou talvez vocês fossem já jovens adultos na vossa própria aventura.

 

flight-takeoff-hd-1.jpeg

 

A primeira vez que viajei de avião tinha um ano e por isso não me lembro de nada mas aos 12 anos voltei a viajar e nunca mais me esqueci da emoção que senti!

 

Vocês lembram-se da sensação? da expectativa de embarcar no avião, de encontrar o nosso lugar e de ouviu as explicações da hospedeira?  E então... finalmente! Aquele momento mágico em que o avião descola! E de repente estamos no céu indo em direcção a um destino desconhecido e a uma nova aventura!

 

De cada vez que parto em viagem, de cada vez que o avião levanta voo eu volto a ser aquela criança maravilhada com o momento em que um objecto de várias toneladas e com tanta gente dentro, como por magia, desafiando a  gravidade,  transforma-se num pássaro e nos leva até ao céu para bem pertinho das nuvens 😃.

 

Sei que muita gente que até gosta de viajar não aprecia especialmente (e até teme) o momento em que o avião descola,  é esse o vosso caso? ou, assim como eu, vocês estão entre aqueles que adoram esse momento?

 

thumb_IMG_2489_1024.jpg

 

Tchau!

Travellight

MY TRAVEL WISH LIST | THE DEVIL' S POOL

Olá amigos viajantes!

 

Já tinham ouvido falar em The Devil's Pool (A Piscina do Diabo)?  

 

Esta é a mais incrível piscina natural do mundo!

 

5704a3371e000087007064d3.jpeg

  Foto by MICHAEL BAYNES VIA GETTY IMAGES

 

Este sitio inacreditável surge a cada ano na margem de Victoria Falls, na fronteira da Zâmbia com o Zimbabué, quando a estação seca reduz os níveis de água criando uma borda rochosa que impede quem lá estiver de ser arrastado pela força do Rio Zambeze para uma queda de água de mais de 100 metros.

 

devils-pool-4.jpg 

Centenas de aventureiros à procura de emoções fortes e uma injecção de adrenalina rumam a este local para desafiar a natureza e tirar fotos incríveis.

 

Apesar da aparência assustadora é possível chegar até à ponta do precipício de forma suave e apoiado por cordas. Os mais destemidos (loucos) optam por saltar.

 

Este sitio está na minha lista há algum tempo, só não sei se vou ter "tomates" de lá ir! 😜

 

images.jpeg

Enquanto não ganho coragem para visitar a piscina do diabo sigam as minhas mais recentes aventuras no Instagram e no Facebook!

 

Tchau!

Travellight



MDINA - A CIDADE SILENCIOSA

Olá amigos viajantes,

 

Se vocês são fãns da série Guerra dos Tronos talvez já tenham ouvido dizer que parte da série foi filmada em Malta, e algumas cenas foram gravadas na cidade de que vos vou falar hoje - Mdina

 

Malta-Views-_-Mdina-1.jpg

 

Mdina é um local único de incrível valor histórico, é um lugar mágico, onde a idade moderna parece muito longe.

É definitivamente (a meu ver é claro) a cidade a visitar quando se viaja para Malta😊

 

PA070472.JPG

Esta pequena cidade medieval situada no ponto mais alto da ilha de Malta teve ao longo da história muitos nomes: Maleth pelos fenícios, Melita durante o tempo dos romanos, Mdina durante a ocupação árabe e Citta 'Vecchia (a cidade antiga) ou Citta' Notabile (cidade nobre) pela a nobreza de Malta, descendente de senhores feudais Normandos, Sicilianos e Espanhóis.

 

Conta-se que o Apóstolo São Paulo chegou a Mdina depois do seu navio que ia em direcção a Roma ter sido destruído numa grande tempestade. Os sobreviventes da tragédia nadaram para terra e foram bem recebidos pelos moradores da ilha de Malta que foi assim uma das primeiras colónias romanas a converter-se ao cristianismo.

 

Este facto é visível nas dezenas de igrejas e catedrais que encontramos em todo o lado desta pequena cidade

 

3637740093_ee059dcfdb_o.jpg

PA070476.JPG 

Embora certos artefactos em Mdina possam ser datados até a 4000 anos atrás, a maioria dos edifícios hoje de pé são do século XVI e XVII porque infelizmente, a maioria da arquitectura anterior foi destruída por um tremor de terra  em 1693. Mesmo as grandes catedrais tiveram de ser reconstruidas e modificadas. Por isso a maioria do que vemos actualmente tem forte influência europeia barroca e medieval.

 

PA070482.jpg

 

 

As casas são em pedra maltesa com típicas portas e janelas coloridas em madeira e varandas. As ruas são estreitas e  fazem lembrar algo entre uma pequena cidade italiana e Jerusalém mas com muito menos barulho e muito menos pessoas.

 

PA070484.jpg

Aliás aquilo que eu mais gostei em Mdina foi a paz e o silêncio da cidade. Não é à toa que esta cidade Património Mundial da UNESCO é conhecida como a "Cidade Silenciosa" .

 

Claro que há turistas, muitos até, mas a forma como a cidade está construida e organizada faz dela um local muito silencioso.  A maioria dos restaurantes e cafés estão escondidos em pátios interiores. Muitos edifícios não têm sequer  janelas para o exterior nos andares térreos e o estacionamento só é permitido a residentes por isso há poucos carros e nenhum transito (que eu tenha-me apercebido).

 

Desta forma é uma experiência deliciosa e serena vaguear pelas ruas estreitas, labirinticas e pitorescas desta cidade medieval cheia de encanto onde antigos edifícios adquirem um tom rosado à luz do sol  

PA070466.jpg

Espreitar por entre muros e paredes permite-nos descobrir a qualquer momento um charmoso restaurante ou café com uma bonita esplanada num pátio interior mantido fresco pela sombra de árvores de fruto. 

 

Nos portões da cidade há carruagens puxadas por cavalos que podemos alugar para fazer um passeio pelas ruas de Mdina. É uma experiência que para românticos como eu é inesquecível 😍

 

 IMG-20151018-WA0060.jpg

 

10 coisas que não podem deixar de fazer em Mdina:

 

1. Visitar o Museu de História Nacional 

 

2. Perderem-se nas ruas secundárias, seguir por um beco e ver até onde ele nos leva

 

3. Visitar a Catedral de São Paulo, também conhecida como a Catedral de Mdina (diz-se que este foi construído no local onde o governador romano encontrou São Paulo quando ele naufragou em Malta).

 

4. Conhecer o Palazzo Falzon, também conhecido como a casa Norman, é um palácio medieval construído em 1495 decorado no estilo siciliano.

 

5. Visitar o Museu da Catedral 

 

6. Parar no café /restaurante  Fontanella para descansar no magnifico terraço e comer uma pizza ou um bolinho caseiro

 

7. Ver o portão principal (onde algumas cenas da Guerra dos Tronos foram filmadas) e a vista a partir das muralhas que circundam a cidade.                                                                       PA070447.jpg

8. Visitar o Palazzo de Santa Sofia (um dos mais antigos palácios de Malta e o edifício medieval mais bem preservada de Mdina).

 

9. Fotografar as portas tipicamente Maltesas

 

10. Visitar A Domus Romana para ver os pisos em mosaico do séc.I e todos os outros vestígios arqueológicos do Império Romano.

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 IMG-20151018-WA0064.jpg

Tchau!

Travellight

 

 

COCKTAILS DO MUNDO - COSMOPOLITAN

cosmopolitan-cocktail.jpg

 

Segundo a história mais conhecida, Cheryl Crook, bartender num bar da moda em South Beach, EUA, na década de 80, notou que muitas pessoas pediam Martinis não porque gostavam, mas porque achavam chique. Ela então teve a idéia de criar um cocktail de sabor mais suave, que fosse servido no mesmo tipo de taça.

 

A receita foi um sucesso instantâneo mas quando passou a figurar como a bebida oficial das 4 protagonistas da serie "O Sexo e a Cidade",  o Cosmopolitan foi definitivamente catapultado para a fama e é hoje um dos cocktails mais populares do mundo. Segue em baixo a receita para experimentarem:

 

Cosmopolitan

Ingredientes:
30 ml de vodca (de preferência, sabor laranja)
10 ml de licor de laranja (Cointreau)
10 ml de sumo de limão
20 ml de sumo de cranberry
5 ou 6 cubos de gelo

 

Modo de preparo:

Bater todos os ingredientes na coqueteleira com bastante gelo por 10 a 15 segundos. Servir coado num copo de Cocktail. Decorar com casca de laranja.

 

 

FullSizeRender.jpg

Cheers! 

 

Bom fim de semana 😄

Travellight

 

ERICEIRA

Olá amigos viajantes,

Vocês tem a noção da sorte que temos de viver num país com uma costa tão linda?

A cada passo encontramos uma jóia e uma das mais lindas é a Ericeira 😊

IMG_1760.JPG

P8216049.JPG

Com suas belas casinhas azuis e brancas e ruas estreitas, beleza natural e ambiente acolhedor, que prazer é passear pela Ericeira e descobrir de onde vem aquele cheirinho a pão com chouriço que não resistimos a comer no "Pãozinho das Marias" ou parar no banco de jardim da praça principal a ver a banda a tocar durante as festas da cidade ou ainda sentarmo-nos na esplanada de um restaurante virado para o mar e comer um belo peixe grelhado ou marisco fresco. 

 

Garanto que até os mais mal dispostos ficam com um sorriso na cara depois de um fim de semana aqui!😄

 

P8216156.JPGP8216157.JPG

P8216145.JPG 

P8216185.JPG

P8216163.JPGP8216183.JPG

P8216207.JPG 

P8216331.JPG

Vila de pescadores, a Ericeira é hoje conhecida por ser um destino popular de praia e a única reserva mundial de surf da Europa (terceira no mundo) pelas condições ideias para a prática de surf ebodyboard.

P8216057.JPG

 

O Hotel Vila Galé Ericeira até tem uma promoção especial para quem se quer iniciar nas lides do surf:

 

PROGRAMA BATISMO DE SURF
Desde 100€ em quarto standard

2 noites de alojamento com pequeno-almoço
1 aula de 2 horas no Vila Galé Ericeira 

 

P8216151.JPG

Mas a Ericeira tem muito mais para ver, sigam este roteiro da Via Verde para descobrir e divirtam-se! 😊 

 

P8216129.JPG 

Tchau!

Travellight

 

 

 

UM ELEFANTE NUNCA ESQUECE!

Olá amigos viajantes!

Quem aí gosta de elefantes? já imaginaram passar um dia com um?

 

Pois eu viajei de propósito para Chiangmai, na Tailândia para ter essa experiência,

P6103943.jpg

Eu pesquisei bastante antes de visitar Patara Elephant Farm, isto porque, como amante da vida animal não queria de forma nenhuma visitar um local onde os elefantes não fossem bem tratados.

 

A decisão não é fácil, o turismo animal é uma parte importante da economia Tailandesa e culturalmente a forma como os elefantes são vistos no país (e um pouco por toda a Ásia) choca um pouco com a visão dos que defendem o respeito e a preservação de todas as  espécies. O Elefante, apesar de ser considerado um animal sagrado, é visto como um animal de trabalho, um instrumento, algo sem sentimentos, que é para ser usado e abusado... 

 

P6103869.JPG

Podemos sempre optar por só ver estes animais em parques naturais e no seu ambiente natural, e talvez isto seja mesmo o mais correcto. Eu tendo experimentado as duas coisas prefiro a primeira, mas considero que a interacção positiva com animais em vias de extinção é muito importante para a sua preservação.

 

As crianças, os jovens ou mesmo os adultos, não vão querer matar algo que conhecem bem, com quem criaram laços, que conhecem pelo nome próprio.

 

E depois os verdadeiros santuários acabam por dar emprego a muita gente que de outra forma iria explorar o animal de outras formas mil vezes piores. Pode ser talvez ingenuidade minha mas considero estes santuários, pelo menos os que tem provas dadas na preservação de uma espécie, um mal menor.

 

Graças a Deus aos poucos os esforços de preservação estão a começar a ter algum efeito mas ainda há muito a fazer para mudar mentalidades.  

 

Escolhi Patara Elephant Farm porque era aquele que, de tudo o que li, parecia reunir as melhores condições para os animais e ainda assim vi lá algumas coisas de que não gostei, mais adiante explico-vos. 

 

S1470049.jpg

 

A primeira impressão do local foi fantástica pois assim que cheguei fui apresentada a um elefante recém nascido (só tinha um mês) que junto de sua mãe corria livremente pelo terreno metendo-se com toda a gente que encontrava à procura de brincadeira, 😄.

 

Era pequenino mas já tinha muito peso e um pequeno toque dele quase levou-me ao chão, (o que também não é difícil considerando que sou uma meia-leca 😜)

 

P6103969.jpg

P6103972.jpg

Após este momento de grande diversão um dos fundadores do santuário fez uma apresentação de cerca de uma hora sobre as condições de vida dos elefantes na Tailândia, sobre os abusos que os pobres animais sofrem e sobre os esforços de conservação da espécie e deu-nos alguma informação, exemplificando, a forma como podemos verificar se um elefante é saudável, está bem cuidado e é feliz.

 

P6103915.JPG

Os elefantes que encontramos na fazenda, segundo nos disseram, foram resgatados de outras fazendas onde eram maltratados ou foram abandonados por proprietários que já não podiam mantê-los. 

 

A família que gere esta fazenda considera-se apenas a zeladora dos elefantes que estão no local - e não a proprietária deles, mas a verdade é que confessaram-nos que à noite os animais são acorrentados para não deambularem para fora do local, as correntes são longas e permitem ao animal movimentar-se mas ainda assim, não gostei muito de ouvir isto... 😕

Segundo foi-nos explicado esta política foi imposta depois de ocorrer um acidente em que um elefante chocou com um carro numa estrada perto da fazenda. O elefante sobreviveu ao acidente; mas o condutor infelizmente não.

 

Também foi-nos explicado que na Tailândia o numero de elefantes baixou para quase metade nos últimos 30 anos por isso a saúde, reprodução e longevidade dos animais são as principais missões deste santuário, que apresenta taxas muito positivas de sucesso.

 

Elefantes tendem a morrer de desnutrição, infecções da pele, e problemas mentais, assim estes são os principais focos de atenção no cuidado com o elefante. 

IMG_0123.jpg

A fazenda só permite um numero reduzido de visitantes por dia, tens de fazer a reserva on-line com muita antecedência para conseguir um lugar. No programa em que participei é atribuído a cada um "o seu próprio elefante" o que basicamente significa que enquanto estiver na fazenda o participante tem a seu cargo a alimentação, banho e exame de saúde do seu elefante.

 

O animal é escolhido de acordo com a nossa altura e personalidade, a pessoas com uma personalidade mais tímida, por exemplo, são atribuídos elefantes mais sossegados e de temperamento mais calmo.

 

Eu fiquei com um jovem elefante chamado Shampoo 😊

Para criar um laço com o animal a primeira coisa que nos pedem para fazer é alimenta-lo com bananas e cana do açúcar.

Ao mesmo tempo ensinam-nos comandos básicos de voz para lidar com estas adoráveis criaturas.

 

IMG_0003.jpg

Segue-se depois o exame de saúde para saber se o elefante está saudável e feliz:

Devemos caminhar à volta do animal para observar o seu comportamento - se ele estiver a abanar as orelhas e a bater o rabo é sinal de que está feliz.

 

Devemos verificar se os olhos do elefante são brilhantes e claros e não estão com secreções em excesso. Olhos baços indicam doença ou dor. As orelhas também não devem ter quaisquer secreções ou mau cheiro.

 

Para ter certeza de que não há erupções cutâneas ou crescimento de fungos no corpo de um elefante, a pele deve também ser examinada com cuidado assim como as cutículas em torno das unhas. Por último temos de verificar o cocó do animal que se for saudável não cheira mal.😝 

 

O passo seguinte é limpar o animal, sacudir a terra do seu corpo e depois dar-lhe um banho e escova-lo bem.

IMG_0188.jpg

 

IMG_0231.jpg

Depois de terminado este processo podemos, se quisermos, montar o elefante - mas sem sela.

 

Foi-nos explicado que as selas e cadeiras são muito pesadas e magoam muito o elefante fazendo a sua coluna ficar torta, por isso não são permitidas na fazenda.

 

Eu resolvi experimentar, e subi para cima do elefante e fiquei nos seus ombros.

IMG_0436.jpg

O Shampoo era um elefante jovem, ainda baixinho mas ainda assim quando subi para cima dele pareceu-me que estava tão no alto 😮

 

Montar o elefante foi uma experiência única... o trilho levava-nos pelas montanhas e a vista era deslumbrante. O dia estava encoberto e quente mas havia muito nevoeiro e isso criava um ambiente quase mágico! Eu senti-me verdadeiramente abençoada por poder estar ali 😊

 

De repente começou a chover e o caminho ficou todo enlameado e os elefantes começaram a escorregar. Aí pensei - ok, vou cair pela ravina e  a minha vida acaba aqui! Morro agora, mas morro feliz! 

 

Para minha sorte o Shampoo tinha um grande equilíbrio e conseguimos chegar ao nosso destino sem qualquer acidente😄

20140308-150826.jpg

Uma das coisas que não gostei durante a experiência foi a forma como os mahout (instrutores) tratavam os elefantes. Algumas vezes para fazer mexer o elefante, quando este não queria, o mahout puxava pelas orelhas do animal. Eu perguntei se isso não magoava e eles insistiram que não, mas a mim custou-me muito a acreditar nisso 😒

 

Normalmente, um mahout começa criança na profissão familiar e é-lhe atribuído um elefante jovem para treinarem. Por isso a forma como tratam a criatura é uma questão cultural. Acredito que para eles puxar a orelha do animal é perfeitamente normal e provavelmente eles também não percebem a nossa sensibilidade ocidental. 

 

Por mais de uma vez pareceu-me que as atracções na fazenda eram os próprios visitantes, tal era a forma como os mahouts pareciam olhar para nós. Acho que para eles é incompreensível alguém pagar para dar banho aos elefantes e cheirar o seu cocó! 

 

Acho o esforço de conservação muito importante, e locais como Patara necessários, mas também acho que tem de se investir mais na educação pois é a única forma de alterar crenças enraizadas. De que serve ter um santuário se depois algumas das pessoas que trabalham nele e que estão em contacto directo com os elefantes, não compreendem a importância nem o porquê do que estão a fazer? 

P6103915.JPG

 

No geral foi uma experiência incrível onde senti que aprendi algo de importante e tive oportunidade de conhecer de perto uma das criaturas mais belas do planeta.

 

Dizem que os elefantes nunca esquecem, espero que o Shampoo nunca se esqueça de mim da mesma maneira que eu nunca me vou esquecer dele!

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 P6104004.jpg

Tchau!

Travellight 

FOTOS COM HISTÓRIA E POESIA - JARDINEIRO DE SI

IMGP7775.jpg

 

No dia em que fui visitar as ruínas do Templo de Angkor Wat em Siem Reap, no Cambodja, passei, na saída do hotel onde estava hospedada, por um lago onde este jardineiro limpava cuidadosamente as folhas de lótus. 

 

A cena tocou-me porque os povos orientais possuem a crença que a flor de lótus é um sinal de espiritualidade, pois eles acreditam que a planta só desabrocha na Terra, após ter ocorrido o nascimento da mesma no âmbito espiritual.

A flor de lótus representa a pureza, pois segundo os orientais, essa espécie vegetal surge limpa e pura, do centro das águas cheias de lama. O jardineiro pareceu-me assim cuidar não apenas das plantas mas também do espirito. 

 

"Jardineiro de si 

de Paulo Roberto Cunha e Ana Lúcia Souza Cruz

 

Nuvens negras
de um passado
quase esquecido
rondam...

Os sinos da igreja
anunciam o fim de mais um dia
Respira fundo, engole seco...
Amargura! 

Manhã que chega
em meio à quietude...
Novas lidas,
velhas decepções.

Perpétua solidão.
Lodo amor que pulsa...
Charco coração
em busca.

É dele
o broto (lótus) 
a linda flor...

E o jardineiro
se reconhece,
se reconhece em flor...
Simplesmente para 
sorrir do amor."



COCKTAILS DO MUNDO - PISCO SOUR

El-origen-del-pisco-sour-en-peru-y-en-chile-1.jpg

 

O pisco sour é um cocktail típico da gastronomia sul-americana, especialmente do Peru e Chile, preparado à base de pisco e limão. O nome vem da união das palavras "pisco" (um tipo de aguardente de uva) e "sour" (que se refere à família de cocktails que usam limão como parte integrante da sua receita). 

 

Este cocktail é cercado de controvérsia porque tanto o Chile como o Peru apresentam versões diferentes para a sua origem e ambos os países reivindicam o pisco sour como sendo a sua bebida nacional. 


No Peru dizem que foi inventado em Lima, por um barman americano - Victor Vaughn Morris, nos anos 20. Conta-se que numa noite, Morris surpreendeu os amigos com uma bebida a que deu o nome de pisco sour, uma fórmula que misturava o pisco peruano com o "amargo" americano".


No Chile atribuem a invenção do cocktail a um camareiro inglês de um navio chamado Sunshine, que terá parado num bar localizado em Itique (cidade que na altura fazia parte do território peruano) e criado a bebida, 

Mas vamos ao que interessa, segue em baixo a receita para vocês experimentarem:

 

Pisco Sour

Ingredientes:
200 ml de pisco (também se pode usar vodka)
200 ml de sumo de limão
200 ml de açúcar
Uma clara de ovo
Bastante gelo

Coloquem tudo no liquidificador e depois sirvam num copo baixo

 

IMGP6115.JPG

 

Bom fim de semana!

Travellight 

 

 

 

 

NIAGARA FALLS

Olá amigos viajantes,

Hoje vou levar-vos até ao Canadá - vamos até Niagara Falls!

 CANADÁ 060.jpg

A primeira vez que ouvi falar em Niagara foi quando vi o filme de Marilyn Monroe com o mesmo nome. Era muito nova mas a intensidade do filme e o magnetismo daquela diva do cinema, intensificado pelo dramático cenário da monumental cascata, marcaram para sempre a minha memória por isso quando visitei o Canadá, era óbvio que não podia deixar escapar a oportunidade de lá ir.

CANADÁ 070.jpg

Niagara Falls são frequentemente descritas como as mais poderosas quedas de água da América do Norte e quando lá chegas percebes porquê. Só Iguaçu, entre o Brasil e a Argentina, é mais impressionante.

 

CANADÁ 095.jpg

CANADÁ 078.jpg

CANADÁ 058.jpg

Na verdade toda a área envolvente, vale por si só uma visita. A região (do lado Canadiano) é hoje conhecida, não apenas pelas quedas de água mas também por ter campos de golfe premiados, provas de vinhos em Niagara-on-the-lake (uma vila encantadora perto das cascatas).

niagara weekend away 004.JPG

niagara weekend away 009.JPG

niagara weekend away 011.JPG

Niagara-on-the-Lake-ON.jpg

attractions.jpg

Dos restaurantes na área gostaria de destacar o Watermark um restaurante com uma vista fenomenal para Niagara Falls. É o perfeito local para um almoço ou jantar romântico a dois 😉

 

the-watermark.jpg 

 

Mas não se enganem, a razão principal pela qual eu e milhares de outra pessoas foram e continuarão a ir até Niagara é pela experiência de ver as quedas de água de perto.

E acreditem que conseguimos chegar bem pertinho, basta apanhar um dos barcos da Hornblower Niagara Cruises.

 

large.jpg

Os cruzeiros são concorridos e geralmente há uma longa fila para entrar. Os bilhetes podem ser comprados online em Niagara Cruises e custam 19,95 dolares (14,00 €) canadianos por pessoa,

 

Assim que entramos no barco entregam-nos uma capas de chuva azul para nos protegermos da água. 

O passeio dura cerca de 20 minutos e leva-nos mesmo ao pé das quedas.

 

A água é tanta e tem tanta força que mesmo a uma distância segura acabamos por ficar todos encharcados. As capas não servem absolutamente para nada! 😄 É muito divertido!

FullSizeRender.jpg

Enquanto estamos a bordo podemos tirar belas fotos da catarata mas é bom que a máquina seja uma máquina de água  ou tenha uma protecção para sobreviver àquela espécie de chuva intensa que se abate sobre nós quando nos aproximamos do monstro. O ruído também é extraordinário!

 

CANADÁ 060.jpg

Outra coisa divertida que podemos fazer em Niagara é andar no Whirlpool Aero Car. Trata-se de um teleférico que atravessa de uma margem à outra do rio. o passeio que permite ter vistas incríveis do rio dura cerca de 10 minutos.

 

CANADÁ 043.jpg

CANADÁ 050.jpgCANADÁ 046.jpg

Outra atracção digna de nota é a Torre Skylon, uma torre de observação giratória que no topo tem um restaurante que ao dar a volta permite ter vistas de 360º das cataratas 

dsc_4220.jpg

 E foi assim a minha visita a Niagara Falls😊

CANADÁ 090.jpg

 

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook 

  

Tchau!

Travellight

 

 

 

 

 

 

Pág. 1/2