Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

POTICA

 Potica-traditional-Slovenian-Cake-Global-Storybook-2-800x530.jpg

 

Olá amigos!

 

Hoje partilho convosco a receita de uma típica sobremesa Eslovena: A Potica 

Esta torta é muito consumida neste país no Inverno e em feriados como o Natal e a Páscoa.

 

INGREDIENTES
Massa:
600 g de farinha de trigo
30 g de fermento
200 ml de leite
140 g de açúcar
140 g de manteiga
4 gemas
Açucar de confeiteiro
Raspas de limão

 

Recheio:
400 g de nozes
200 ml de natas
250 g de açúcar
2 colheres de sopa de rum
3 claras de ovo
 


PREPARAÇÃO:
Misture o fermento com uma colher de chá de açúcar, uma colher de farinha e algumas colheres de leite e reserve.

 

Prepare o recheio - despeje as nozes e o açúcar num recipiente com as natas e depois adicione o rum. Bata as claras em castelo e junte à misture até esta atingir uma consistência cremosa.

 

Prepare a massa - coloque todos os ingredientes numa tigela, adicione a mistura do fermento e junte tudo até a massa ficar homogénea.

Estenda a massa com um rolo e depois espalhe o recheio por cima, salpique com raspas de limão.

Enrole a massa com o recheio para formar uma torta e coloque numa forma untada. Cubra e deixe crescer, de preferência durante uma noite.

 

No dia seguinte ponha a forma num forno a 180 graus e asse durante uma hora a uma hora e meia (dependendo do forno).

 

Depois de assado deixe esfriar um pouco antes de desenformar.

 

Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva.

 

Receita tirada com adaptações do site www.globo.com

JARDIM TROPICAL DO MONTE PALACE MADEIRA

fullsizeoutput_216b.jpeg

 

Já todos ouvimos dizer “A Madeira é um jardim” certo? Mas qual será o mais bonito jardim da Madeira?

 

O meu voto vai para o Jardim Tropical do Monte Palace e parece que não sou a única. A conhecida revista Condé Nast Traveler, considerou este um dos mais exuberantes jardins do mundo!😄

 

o Jardim Tropical do Monte Palace, designado Património da Humanidade pela UNESCO em 2000 é uma área com 70 mil metros quadrados, que remonta ao século XIX e tem origem numa quinta com o nome de “Quinta do Prazer” que em tempos pertenceu ao Cônsul Inglês Charles Murray e que mais tarde foi transformado num hotel.


Quando o hotel fechou a propriedade ficou abandonada durante alguns anos até ser vendida ao empresário José Berardo que a transformou naquilo que hoje é o Jardim Tropical: Um espaço maravilhoso repleto de plantas exóticas de vários países e plantas indígenas das florestas Madeirenses.

 

fullsizeoutput_2131.jpeg

fullsizeoutput_215f.jpegfullsizeoutput_213b.jpeg

 

Pelo jardim encontramos janelas, nichos, pagodes, budas, lanternas e esculturas, de diferentes partes do mundo, culturas e épocas.

 

fullsizeoutput_213c.jpegjardim madeira 2.jpgfullsizeoutput_2144.jpeg

fullsizeoutput_2152.jpegjardim madeira 1.jpgfullsizeoutput_216c.jpeg

 

É de destacar também um painel composto por 166 azulejos vidrados de terracota, cujo título é “A Aventura dos Portuguesas no Japão” e um grupo de 40 painéis que retratam a História de Portugal, incluindo os acontecimentos mais importantes dos Reinados e Repúblicas.

 

fullsizeoutput_215e.jpeg

 

É um lugar cheio de cores e estilos diferentes. Num momento estamos num jardim oriental ⛩, no próximo estamos num jardim de orquídeas 🌸.

 

 

fullsizeoutput_2143.jpeg

fullsizeoutput_215b.jpeg

IMGP2364.JPG

 

A água é omnipresente. Pequenos riachos, lagos com carpas, cisnes e cascatas enriquecem e embelezam ainda mais o espaço.

 

fullsizeoutput_213e.jpegmadeira 1.jpg


Mas o Jardim Tropical Monte Palace é também um museu. Alberga duas exposições permanentes, a primeira é intitulada “Paixão Africana” e mostra parte de uma colecção de escultura contemporânea do Zimbabué. A outra intitula-se “Segredos da Mãe Natureza” e apresenta parte de uma colecção de minerais provenientes dos quatro cantos do mundo.

 

fullsizeoutput_2137.jpegmadeira 3.jpgfullsizeoutput_2138.jpeg

madeira 2.jpgfullsizeoutput_2139.jpeg

 

Se forem à Madeira não deixem de visitar este jardim. Garanto que não se vão arrepender.

 

DICA: Para lá chegar optem pelo teleférico, é um belo passeio e as vistas lá de cima são incríveis!


Horários de Visita
Todos os dias, excepto 25 de Dezembro
Horário de Visita do Jardim: 9.30 às 18.00 horas.
Horário de Visita do Museu: 10.00 às 16.30 horas.
Visitas Guiadas ao Museu são gratuitas no entanto estão sujeitas a pré-marcação e apenas para grupos.
Nota: O interior do edifício do Palácio não é visitável.

 

Entradas / Bilheteiras
Caminho das Babosas, 4A (Entrada Junto ao Teleférico)
Caminho das Babosas, 4 (Entrada Norte)
Caminho do Monte, 174 (Entrada Este)
9050-288 Funchal
Madeira, Portugal
Nota: A entrada situada no Caminho do Monte, número 174, encerra aos fins de semana.

 

Preço
Adultos 12,50 Euros (Isento de IVA)
Crianças com menos de 15 Anos: Entrada gratuita, quando acompanhadas por adultos.
Escolas: Entrada gratuita, mediante apresentação de credencial e sujeitas a marcação para visitas guiadas.

 

Transportes:
Autocarros 20,21,22 ou 48
Teleférico do Funchal directo para a entrada do Jardim Tropical Monte Palace.


Para mais informações consultem o site do Jardim Tropical Monte Palace 

 

fullsizeoutput_214f.jpeg

 

Tchau!
Travellight

LAGARE HOTEL VENEZIA - MGALLERY BY SOFITEL

P3190789.JPG

 

Localizado na ilha de Murano, afastado das multidões que todos os dias invadem Veneza, o Hotel LaGare é um encantador oásis de calma que proporciona a quem visita aquela região uma estadia confortável e luxuosa.

 

Os hospedes começam a sentir-se especiais ainda antes de chegarem ao hotel. O LaGare disponibiliza um barco, incluído no preço da reserva, para as deslocações entre o aeroporto e o hotel e entre o hotel e o centro de Veneza.
É preciso reservar o serviço com antecedência mas é fantástico chegar ao aeroporto e ter um barco à nossa espera para entrarmos em estilo na cidade de Veneza 😀

 

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_1f38.jpg

LaGare 1.jpg

 

O hotel está alojado numa antiga fábrica de vidro. O seu exterior mantém os tijolos vermelhos e o aspecto industrial mas no interior o design é elegante e contemporâneo.

 

P3190786.JPG

 

A recuperação do espaço foi feita com cuidado e o resultado final é maravilhoso. No lobby é possível ver um vídeo que retrata todo o esforço que foi levado a cabo para a requalificação.


Os espaços comuns são em tons neutros pontuados com obras de arte em vidro que relembram-nos a cada instante que estamos em Murano - a capital do vidro. A iluminação também merece uma menção especial, está extremamente bem conseguida.

 

P3190766.JPG

fullsizeoutput_20fc.jpegLaGare 3.jpgP3190754.JPGLaGare 2.jpg

P3190760.JPG

fullsizeoutput_20f7.jpeg

 

Fiquei num quarto com boas áreas divididas em dois níveis: uma sala em baixo e a cama localizada numa mezzanine. No tecto havia uma janela de bom tamanho, com persianas que podíamos abrir e fechar com um comando remoto. Da janela da sala avistávamos o pátio onde era servido o pequeno almoço e a antiga parede da fábrica que foi mantida à volta do hotel.

 

P3190776.JPGLaGare 4 (1).jpg

 

A decoração é elegante e moderna e a casa de banho tem um bom chuveiro. O wifi funciona bem.

 

LaGare 5.jpg

 

O pequeno almoço é servido em buffet e tem uma grande variedade de frios, frutas, pães, queijos, iogurtes, cereais e doces servidos em porções pequenas, perfeitos para degustar. Achei todos os alimentos de excelente qualidade e sabor.

 

fullsizeoutput_20f9.jpeg

P3190765.JPG

 

Quem não quiser usar o barco do hotel (que tem horários fixos) pode facilmente apanhar um vaporetto na estação Museo que fica mesmo em frente ao hotel e em cerca de 15 minutos está em pleno centro de Veneza, na Praça São Marcos. Esta localização também é ideal para explorar as outras ilhas da lagoa Veneziana, como Burano e Torcello e claro está, a própria ilha de Murano.

 

Ficar neste hotel é uma óptima alternativa para quem vai visitar Veneza. O preço é muito mais acessível do que os praticados no centro da cidade, as instalações são espectaculares e o serviço é muito profissional e atencioso.

 

Recomendo muito!

 

Tchau!

Travellight

BOLINHOS DE CHUVA

95130-c360_2016-05-19-16-29-09-3232b252812529.jpg

  Foto: www.receitascookingchef.wordpress.com 

 

Os bolinhos de chuva são um doce muito popular no Brasil. Rápidos e fáceis de fazer, são do melhor que há para acompanhar uma chávena de chá quente num dia chuvoso de Inverno.

 

INGREDIENTES:
(para 16 bolinhos)

2 chávenas (chá) de farinha de trigo
½ chávena (chá) de açúcar refinado
1 pitada de sal
1 colher (chá) de fermento em pó
½ chávena (chá) de leite gordo
2 colheres (sopa) de manteiga derretida
1 ovo médio
2 chávenas (chá) de óleo para fritar
2 colheres (sopa) de açúcar fino

 

PREPARAÇÃO:

Peneire numa tigela a farinha de trigo com o açúcar, o sal e o fermento em pó. Faça uma cavidade no centro. Junte o leite misturado com a manteiga e o ovo. Misture com uma colher por 3 minutos ou até a massa ficar lisa e homogénea.


Coloque o óleo numa panela, leve ao fogo e deixe aquecer por 5 minutos ou até aquecer (não deixe ficar muito quente para a massa ficar cozida por dentro).


Forme bolinhas com a massa e coloque no óleo. Assim que forem dourando retire e disponha os bolinhos sobre uma toalha de papel de cozinha para absorver o excesso de óleo.


Polvilhe com o açúcar fino e sirva.

 

Receita retirada com pequenas adaptações do site www.receitas.ig.com.br

AIRE ANCIENT BATHS I NOVA IORQUE

nycancientbath3.jpg

  FOTO: Aire Ancient Baths 

 

Na minha última viagem a Nova Iorque aproveitei para relaxar uns momentos no Aire Ancient Baths, conhecido por ser um dos melhores SPA’s Urbanos da cidade Eu já tinha experimentado um SPA deste grupo em Barcelona (também existe um em Sevilha e outro em Almeria) e gostei, por isso quis ver se em NY a qualidade se mantinha, e não me desiludi.

 

Olhando para o edifício por fora ninguém diz que aquele lugar é um oásis de calma e paz no coração agitado da Lower Manhattan.

 

fullsizeoutput_20d6.jpeg

  FOTO: Aire Ancient Baths 

 

Situado numa rua secundária de Tribeca, entre lojas de móveis e restaurantes de bairro, o SPA está instalado numa antiga fábrica de têxteis.

 

O projecto, desenhado pelo gabinete de arquitectura Espanhol, Alonso Balaguer y Arquitectos evoca os antigos banhos públicos Romanos. Durante a renovação todo o interior foi removido para expor paredes de tijolos vermelhos, colunas de ferro fundido e tectos altos com vigas de madeira.

 

Aire NY 1.jpg

 

A área da recepção é um salão confortável, decorado em estilo contemporâneo com apontamentos Marroquinos e  enormes janelas de vidro.

 

Aire NY 2.jpg

Depois da inscrição uma assistente encaminha-nos para um vestiário onde nos são entregues uma toalha, roupão e chinelos à prova de água para evitar quedas no chão molhado.


Quando descemos as escadas até aos pisos inferiores deparamos-nos com um subterrâneo repleto de piscinas e iluminados pela luz de velas, lanternas e candelabros. Temos a sensação de entrar noutro mundo.

 

fullsizeoutput_20d0.jpeg

 

O spa só permite um número limitado de pessoas de cada vez por isso a única coisa que ouvimos é uma suave e relaxaste música que ajuda a afastar de vez todo e qualquer stress.


O ritual de banho é dividido por várias piscinas com diferentes temperaturas e por um banho turco. Existem ainda gabinetes de massagem e variados tratamentos (incluindo tratamentos vinoterápicos). 

 

Aire NY 4.jpgAire NY 5.jpg

 

Se ficarmos com sede enquanto flutuamos nas piscinas podemos pedir um chá ou água gelada, ou escolher, de um menu, um dos vários sumos ou batidos de frutas.

 

O Tepidarium, uma das piscinas quentes, é óptima para casais, pois há pequenos cantos e recantos onde podemos ter privacidade. Mas a minha preferida foi a piscina de água salgada onde flutuamos sem qualquer dificuldade.

 

A massagem também foi perfeita e profundamente relaxante.

 

fullsizeoutput_20cb.jpeg

 

Acho que nunca me senti tão em paz nesta cidade como me senti aqui. É uma experiência que recomendo a quem quiser relaxar um pouco depois da correria e de todo o sightseeing que habitualmente acompanha uma visita a Nova Iorque.

 

Esta foi sem dúvida uma experiência Nova Iorquina bem diferente daquela que relatei no blog do Triptofano, (se tiverem curiosidade leiam aqui).

 

Para mais informações e reservas sobre o SPA consultem o site do Aire Ancient Baths

 

Tchau!
Travellight

PALÁCIO DOS MARQUESES DE FRONTEIRA

fullsizeoutput_20f0.jpeg

 

Há lugares que ficam muito perto de nós mas que talvez por isso mesmo estamos sempre a adiar visitar.

 

Para mim o Palácio dos Marqueses de Fronteira é um desses casos, mas num destes fins de semana resolvi que não podia adiar mais e fui conhecer este belíssimo edifício, classificado como Monumento Nacional, situado em São Domingos de Benfica e considerado um dos melhores exemplos da arquitectura palaciana do séc. XVII em Portugal.

 

fullsizeoutput_20e6.jpeg

fullsizeoutput_20e8.jpeg

PC023346.JPG

fullsizeoutput_20e9 (1).jpeg

 

Foi mandado construir pelo 1º Marquês de Fronteira, D. João de Mascarenhas e inaugurado por volta de 1675. Primeiro usado como pavilhão de caça e casa de campo, foi alvo de melhoramentos e ampliação após o terramoto de 1755. À arquitectura maneirista de séc. XVII juntaram-se então belas decorações barrocas, e passou a ser a residência permanente da família, que ainda hoje aí habita.

 

O Palácio encerra uma grande riqueza de azulejos que se destacam na Sala dos Painéis Holandeses, na Galeria das Artes e na Sala das Batalhas onde grandes painéis retratam a história do 1º Marquês de Fronteira, herói da Guerra da Restauração.
 

Os jardins do palácio, de desenho geométrico, são magníficos. Tem influência Francesa e Italiana e estão repletos de fontes e estátuas.

 

fullsizeoutput_20d9.jpeg

Palacio MF 2.jpg

PC023126.JPG

fullsizeoutput_20eb.jpeg

PC023329.JPG

 

Logo à saída da casa, no Terraço da Capela, ou Galeria das Artes encontramos mais painéis de azulejos onde estão representados as sete artes liberais guardadas por estátuas de divindades gregas e bustos de imperadores romanos. Seguindo em frente deparamos-nos com uma pequena capela, que se julga ser anterior ao próprio palácio. Ao seu lado estão umas escadas que descem para o piso inferior até à Casa do Fresco, uma mini-gruta artificial com uma fonte à frente e em volta uns interessantes painéis de azulejo.

 

PC023099.JPG

Palacio MF 1.jpg

PC023094.JPG

fullsizeoutput_20da.jpeg

PC023157.JPGfullsizeoutput_20db.jpeg

PC023170.JPG

 

No Grande Jardim ou Jardim Clássico, com fortes influências francesa e italiana, destaca-se a Galeria dos Reis com bustos de todos os reis portugueses até D. João VI e um tanque tão grande que mais parece um lago, com cisnes e tudo. Nas extremidades duas escadarias conduzem à galeria de esculturas, onde estão retratados os reis de Portugal e D. Nuno Álvares Pereira.

 

PC023194.JPG

Palacio MF 3.jpg

fullsizeoutput_20ee.jpeg

fullsizeoutput_20e2.jpeg

fullsizeoutput_20ec.jpeg

 

Mais uma curiosidade do jardim são os painéis de azulejos que limitam o Jardim Formal. Os painéis representam os Quatro Elementos, mas um deles, o que representa o fogo, perdeu-se e foi substituído por um painel de Paula Rego o que não só renova a tradição ornamental do palácio, como obriga a reinterpretá-la.

 

PC023315.JPG

 

Uma jóia que com toda a certeza vale a pena visitar ou revisitar. Se precisam de mais uma desculpa para vos convencer que tal um concerto de entrada livre?

 

No dia 27 de Janeiro de 2018, Sábado às 16h00, o Palácio Fronteira com o apoio da Antena 2, Camerata Atlântica, Instituto Politécnico de Lisboa, Junta de Freguesia de São Domingos de Benfica, e Associação do Turismo de Lisboa, apresenta os Laureados do III Concurso Nacional 
 
A entrada é livre, limitada à capacidade da sala. Para inscrições e informações contactar:

fcfa-cultura@fronteira-alorna.pt  

telf: 217 784 599        

 

Horário das Visitas

Não há visitas aos Domingos e Feriados.


Palácio:

O interior do Palácio só é visitável de manhã. Todas as visitas ao interior do Palácio são guiadas.

Junho a Setembro: 2ª a Sábado às 10h30; às 11h00; às 11h30 e às 12h00.

Outubro a Maio: 2ª a Sábado às 11h00 e às 12h00.

Para visitas de grupo (mais de 10 pessoas) por favor telefonar previamente para 217 782 023.


Jardins:

Junho a Setembro: 2ª a 6ª entre às 10h30 e as 13h00 e entre as 14h00 e às 17h00 e aos Sábados entre as 10h30 e as 13h00.

Outubro a Maio: 2ª a 6ª entre as 11h00 e as 13h00 e entre as 14h00 e as 17h00 e aos Sábados entre as 11h00 e as 13h00

 

Para mais informações consultem o site Fundação das Casas de Fronteira e Alorna 

 

Tchau!

Travellight

SOPA DE CASTANHAS

Soup_ChestnutSoup_600x600.jpg

 

Hoje partilho convosco a receita de uma sopa tradicional Inglesa que aprecio muito e que nos dias de Inverno até a alma me aquece: Sopa de Castanhas.

 

INGREDIENTES:

100g de cebolas
1 talo de aipo
120g de batatas
120g de castanhas
1 cravinho
manteiga
sal e pimenta
tomilho fresco (opcional)

 

PREPARAÇÃO:

Descasque as cebolas, as batatas e o talo de aipo e corte em pedaços finos. Refogue os legumes em manteiga. Adicione as castanhas e o cravinho e tempere com sal e pimenta. Depois disso, complete com 450ml de água.

 

Ferva a sopa e cozinhe até as castanhas ficarem moles. Remova o cravo e passe a sopa com a varinha mágica até obter uma consistência cremosa.

Prove e adicione o tomilho fresco, se desejar.

 

Para dar um toque especial, quando servir no prato pode acompanhar com croutons de pão integral.


Receita tirada com adaptações do site www.freeletics.com.pt

MANHÃ DE INVERNO EM MUNIQUE

fullsizeoutput_207b.jpeg

 

Era Domingo de manhã e a cidade de Munique estava vazia, sem carros, sem pessoas. Fazia um frio de rachar mas a neve finalmente tinha parado de cair após uma noite inteira sem dar tréguas.

 fullsizeoutput_207c.jpeg

 

Agora os raios de sol rompiam as nuvens e faziam brilhar os flocos de neve transformando a cidade numa verdadeira Winter Wonderland. Os lagos estavam gelados, os rios corriam por entre margens brancas e os palácios pareciam ainda mais encantados.

  

Oiço os sinos a tocar quando passo pela Frauenkirche, atravesso o Viktualienmarket e continuo até chegar a Marienplazt onde me cruzo com alguns turistas.

 

Tenho a certeza que estavam a pensar o mesmo que eu: que bonito é Munique no Inverno!

 

fullsizeoutput_2079.jpeg

 

A Marienplazt é desde 1158 a principal praça da cidade. O seu nome advém da coluna, dedicada a Maria, a Patrona da Bavária, erguida no seu centro em 1638 para comemorar o fim da ocupação Sueca.


Na Idade Média, mercados e torneios eram realizados nesta praça mas hoje em dia a maior atracção é o Glockenspiel, um incrível relógio que retrata com estatuetas eventos históricos da cidade.

 

fullsizeoutput_208e.jpeg

 

Paro num dos cafés da praça para tomar algo e aquecer um pouco as mãos.

 

Sentindo-me mais confortável sigo para a Odeonsplatz, e encontro o primeiro portão do Hoftgarten, um dos principais parques do centro da cidade, construído no século XVII. Por ali não há ninguém por isso resolvo continuar até chegar à Bayerische Staatskanzlei, sede do governo regional da Baviera.

 

1024px-Bayerische_Staatskanzlei,_München,_Deutschland01.jpg

 

Passo pelo Weiße Rose Memorial, que homenageia um grupo de estudantes não violentos da Universidade de Munique, conhecido pelos seus protestos e campanhas contra os nazis. Paro para prestar a minha homenagem.


Não é difícil encontrar vestígios da história do Terceiro Reich em Munique - os seus fantasmas ainda ensombram a cidade. No entanto, os turistas poucas vezes ouvem falar da história da Weiße Rose (Rosa Branca), um grupo de rebeldes estudantis liderados pelos irmãos Hans e Sophie Scholl, que praticaram resistência não-violenta e foram posteriormente presos e executados pelas autoridades nazis.

 

l.jpg

 

Continuo a andar e chego até o Englischer Garten, um dos maiores parques urbanos do mundo. Coberto de neve é um deserto branco. Os troncos de árvores e galhos desprovidos de folhas parecem-me veias e artérias de um corpo sem vida. O silêncio só é cortado pela minha respiração e pelos meus passos na neve.

 

fullsizeoutput_2078.jpeg

 

Atravesso uma ponte e observo um rio e uma pequena cascata onde várias espécies de pássaros se encontram. O lugar parece subitamente ganhar vida e quando chego à Torre Chinesa já ali estão várias pessoas.

 

fullsizeoutput_2071.jpeg

fullsizeoutput_2073.jpeg

fullsizeoutput_2077.jpeg

 

Vindo não sei de onde surge um cão a correr desgovernado que vem na minha direcção e quase me deita abaixo com a sua animação. Quando dou por mim estou toda lambuzada. Um rapaz Alemão muito atrapalhado vem pedir-me desculpas e puxa o cão para trás. Eu rio, estou feliz, também corro e brinco na neve.

 

fullsizeoutput_2072.jpeg

 

Que bela recordação, que bela manhã de Inverno!

 

Travelight

DESTINOS DE LUA DE MEL I FUSION MAIA RESORT

57fdf44f2af67.jpg

 

Olá amigos viajantes!
Bom Ano!

 

Que dizem de começarmos 2018 com um pouco de inspiração?

 

Fechem os olhos e imaginem-se num destino exótico… agora imaginem que estão num Hotel SPA…

 

Agora imaginem um Hotel SPA em que todos os tratamentos e massagens estão incluídos no preço da diária.

Espera, isso existe?

 

Sim, existe, chama-se Fusion Maia Resort e fica no Vietname!

 

Situado na praia de Da Nang. Este hotel faz parte de um grupo hoteleiro com um conceito inovador que pretende promover não apenas um destino de férias mas antes um estilo de vida - e amigos, que estilo de vida!

 

Tudo é maravilhoso, a começar pelo alojamento. Cada villa tem o seu próprio pátio privado com jardim e piscina. Os interiores são espaçosos, contemporâneos e decorados de forma harmoniosa com mobiliário de madeira escura e linhas elegantes. Tem também uma enorme sala de banho com chuveiro e banheira.

 

Fusion Maia 1.jpgfusion maia 5.jpg

Fusion Maia 6.jpgFusion Maia 7.jpg 

Todos os serviços de spa, como já disse, estão incluídos na tarifa do quarto, desde manicure a massagens, incluindo um programa holístico para estadias de sete dias.


O resort oferece também atividades diárias gratuitas de fitness que incluem um treino diário de manhã, duas aulas de yoga, meditação, uma consulta de Welness e uma caminhada de 5.000 passos na praia.

 

237529_16021813310039974464.jpg

 

O bem-estar dos hospedes é assegurado por cerca de 80 profissionais qualificados que ao longo do dia estão à nossa disposição para administrar tratamentos e massagens, com um mínimo de dois tratamentos diários garantidos por pessoa. As instalações de spa incluem ainda banhos de vapor e saunas, e uma enorme piscina infinita.

 

fullsizeoutput_20b0.jpeg

fullsizeoutput_20ab.jpeg

 

fullsizeoutput_2090.jpeg

fullsizeoutput_2093.jpeg

 

Quando chega a hora das refeições também não ficamos desapontados. O buffet de pequeno almoço é excelente e o restaurante principal serve comida Asiática saudável e de bastante qualidade. Para quem prefere sabores mais ocidentais há também um menu de inspiração Italiana.

 

fullsizeoutput_20af.jpeg

 

A equipa do Hotel é incrivelmente amigável e acolhedora, sempre atenta a qualquer solicitação do hospede.
Quem se interessa por culinária pode ainda marcar aulas de cozinha e aprender algumas coisas com os Chefs do resort.

 

Outro bónus é o transporte gratuito até à cidade de Hoi An (onde o resort tem também um restaurante que podemos frequentar).

 

Opções hoteleiras de luxo para quem visita o Vietname não faltam mas sinceramente, não posso deixar de recomendar o Fusion Maia - é um lugar verdadeiramente relaxante, onde tudo está voltado para dar aos hóspedes a melhor experiência possível.

 

IMG_3810.JPG

 

Tchau!

Travellight

UM BRINDE A 2018

shampanskoe-bokaly-noch-elka-new-year-2018-chasy-novyi-god-1.jpg

 

À meia-noite de 01 de Janeiro, o dia muda de Domingo para Segunda, uma transição normal e habitualmente sem importância nenhuma, a não ser a chatice do fim de semana estar mais perto de acabar. Porém para aqueles que como nós seguem o calendário Gregoriano isso não  é bem assim.

 

Algures num passado distante foi decidido que esse momento termina o Ano Velho e começa o Novo Ano.

 

É um segundo revestido de um simbolismo muito especial se tivermos em conta toda a energia e recursos que geralmente investimos na sua celebração. É o momento em que paramos, olhamos para trás, fazemos balanços e estabelecemos um novo conjunto de resoluções.

 

Porquê fazemos tudo isso?

 

Em tempos li um artigo que dizia que essa necessidade resultava de algo muito enraizado em nós, a nossa motivação para sobreviver. E se pensar bem, isso faz todo o sentido.

 

Esta celebração (a par do nosso aniversário) proporciona-nos a chance de celebrar mais 365 dias vividos, de erguer os nossos copos em brinde e dizer “mais um ano, e ainda aqui estamos!”

 

E as resoluções de Ano Novo? Nada mais são que um exemplo do desejo humano universal de controlar aquilo que está por vir. Para nós é difícil aceitar que o futuro é algo incerto e imprevisível. Daí planeamos comer melhor, fazer dieta, mais exercício físico, parar de fumar, passar mais tempo com aqueles que amamos, poupar mais, viajar…

 

Tudo aquilo que achamos que nos vai ajudar a (sobre)viver mais tempo nesta Terra.

 

Os rituais de boa sorte são outro bom exemplo. Cada país e cultura tem os seus. Em Portugal comemos 12 passas e pedimos 12 desejos, em Espanha comem uvas, os Holandeses comem rosquinhas porque para eles o circulo é um símbolo de sucesso, no Rio de Janeiro vestem-se de branco e entregam flores ao mar para dar sorte … enfim, fazemos o que podemos para sentir que vamos ficar mais seguros e prosperar na vida. É fascinante!

 

Os U2 tem uma canção intitulada“New Year’s Day” em que dizem “ nada muda no dia de Ano Novo” e eles até podem ter razão, mas a verdade é que mesmo que muitos objectivos e resoluções fiquem pelo caminho e não se concretizem ao longo do ano, ainda assim eu acho positivo fazer o balanço e traçar metas para que o nosso futuro seja melhor. Pode ser um mecanismo de sobrevivência mas comigo tem resultado bem.

 

As minhas prioridades e alguns dos objectivos pessoais que pus na lista de Ano Novo do último ano (e que a equipa do Sapo, que desde já agradeço, teve para minha surpresa, a bondade de destacar no topo do meu blog) concretizaram-se e Deus sabe que depois de mudar de vida eu bem precisava de sentir alguma segurança (imaginária ou não), por isso venham de lá essas passas, os nossos desejos e o champanhe e vamos todos brindar a 2018!

 

Que este seja o melhor ano das nossas vidas! (até aqui é claro!) 😀


Tchau!
Travellight