Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

The Travellight World

Inspiração, informação e Dicas de Viagem

FOTOS COM HISTÓRIA E POESIA I CISNE

34790035.jpg

Esta foto foi tirada numa manhã bem fria no Palácio Nymphenburg, em Munique, Alemanha.


A neve que tinha caído na noite anterior transformou este belo cenário num autêntico postal de Inverno.

 

Cisne

Pedro Homem de Mello, in "Adeus"

 

Amei-te? Sim. Doidamente!
Amei-te com esse amor
Que traz vida e foi doente...

 

À beira de ti, as horas
Não eram horas: paravam.
E, longe de ti, o tempo
Era tempo, infelizmente...

 

Ai! esse amor que traz vida,
Cor, saúde... e foi doente!

 

Porém, voltavas e, então,
Os cardos davam camélias,
Os alecrins, açucenas,
As aves, brancos lilases,
E as ruas, todas morenas,
Eram tapetes de flores
Onde havia musgo, apenas...

 

E, enquanto subia a Lua,
Nas asas do vento brando,
O meu sangue ia passando
Da minha mão para a tua!

Por que te amei?


                           — Ninguém sabe


A causa daquele amor
Que traz vida e foi doente.

 

Talvez viesse da terra,
Quando a terra lembra a carne.
Talvez viesse da carne
Quando a carne lembra a alma!
Talvez viesse da noite
Quando a noite lembra o dia.

 

— Talvez viesse de mim.
E da minha poesia...

 

BURJ AL ARAB I O HOTEL 7 ESTRELAS

Olá amigos viajantes!

 

Uma vez por outra perco a cabeça e marco uma noite num daqueles hotéis com preços proibitivos e digo a mim mesma  “é uma vez na vida , só uma vez na vida. Se pudermos usar o dinheiro para viver coisas únicas, desde que seja com peso e medida, que mal faz?” e lá me convenço...

 

Uma dessas vezes foi no Dubai, onde resolvi passar uma noite no Burj Al Arab, conhecido por ser um Hotel 7 estrelas.

 

img_4592.jpg

 

Desde que o hotel inaugurou que eu tinha o sonho de passar lá uma noite, só para ver o que tinha de tão especial.

 

O preço afastou-me várias vezes, mas num momento da minha vida em que estava particularmente orgulhosa de mim e das minhas conquistas resolvi “oferecer-me” esta prenda (se eu não gostar de mim quem gostará? 😜)

 

Estas experiências às vezes correm bem, às vezes correm mal, às vezes venho feliz outras arrependo-me amargamente.

 

Desta experiência vim com um sentimento misto…

 

img_5988.jpg

 

Uma estadia no Burj al Arab é algo que se pretende especial, e não há duvida que o Hotel e os seus funcionários se esforçam para isso.

 

Desde o momento em que chegas até ao momento que partes, tudo é feito para que te sintas importante e especial. Dão-nos a entender que o nosso conforto é a sua primeira e única prioridade. Recebem-nos na porta, cumprimentam-nos pelo nosso nome, oferecem algo de comer (no caso foi tâmaras), uma bebida, enfim… é bastante agradável mas nada que um bom hotel 5 estrelas (inclusive em Portugal) não faça.

 

Porquê então é este hotel considerado um hotel 7 estrelas?

 

Transformado em símbolo do Dubai logo após a sua construção, o luxuoso Burj Al Arab considera-se acima dos outros hotéis - eu digo considera-se porque na verdade a sua classificação oficial é de 5 estrelas (acho que oficialmente não existe classificação superior a esta). Mas o Burj considera-se superior porque ultrapassa os limites do que os outros estabelecimentos oferecem aos hóspedes, nomeadamente: suites espaçosas (todos os quartos do hotel são suites de dois pisos), interiores em folha de ouro, um heliporto e mordomos designados para cada andar.

img_5989.jpg

 

fullsizeoutput_1035.jpeg

337f43_6dec863a31cd4a9f92d8bf8bb6642d69.jpg

 

O Burj Al Arab foi criado para representar o auge da cultura árabe de forma majestosa e atrair os membros mais ricos e conhecidos da sociedade.


Roger Federer jogou ténis no heliporto, Tiger Woods deu umas tacadas por lá e top models do momento como Gigi Hadid e Kendall Jenner, parece que também já escolheram este local para comemorar uma passagem de ano.

 

Todos estes factos parecem cimentar a fama de Hotel exclusivo.

 

Mas como é de facto este hotel?

 

A arquitectura exterior é discreta e elegante - a sua forma de vela pretende representar o património náutico do país. Mas o seu interior, meus amigos, é outro mundo.

 

Assim que atravessamos a porta e entramos no lobby deparamos-nos com um show de cores, fontes e luzes. Tudo é  dourado, tudo é colorido, tudo é monumental!

fullsizeoutput_1036.jpeg

img_5985.jpg

img_5986.jpg


Depois os quartos… Entrei na suite e fiquei sem saber o que pensar. Para quem gosta mais de um estilo moderno e minimalista, todo este “exagero” parece quase de mau gosto, é como uma overdose de cor e riqueza.

fullsizeoutput_103d.jpeg

 

fullsizeoutput_103e.jpeg 

fullsizeoutput_103c.jpeg

Tinha lido sobre o local e visto fotografias - não posso dizer que foi propriamente uma surpresa - mas ao vivo, tudo me pareceu muito, mas muito mais excessivo e exagerado.

 

iPads banhados a ouro em cada suite, 17 tipos de almofadas que podem ser seleccionados a partir de um menu, um computador macbook, um closet gigante, cores garridas, tapetes e mobiliário luxuoso - não há nada de modesto no Burj Al Arab Dubai - eu arriscaria a dizer, que não há nada de bom gosto… mas claro que isso depende da estética de cada um e gostos não se discutem.

 

Para mim é demais. Falta-lhe a elegância, gosto e o requinte da moderação. Do ponto de vista arquitectónico o edifício é lindo mas depois a decoração barroca, as superfícies douradas excessivas, trompe l'oeil desnecessários, fontes coloridas, elevadores brilhantes, etc, etc, etc… meu Deus, parece Las Vegas, ou a casa do Donald Trump (já viram fotografias da casa dele? 😣).

 

Bom mas nem tudo foi mau para mim, o hotel tem sem dúvida muita coisa a seu favor. Se dissesse que não aproveitei a estadia ao máximo estaria a mentir. O serviço ao cliente é excepcional, o SPA e os tratamentos são maravilhosos e a zona exterior de praia /piscina é fantástica.

fullsizeoutput_102d.jpeg

 

fullsizeoutput_102f.jpeg

 

img_5132.jpg

 

fullsizeoutput_1032.jpeg

Os restaurantes, são tal como o resto do hotel, grandiosos e extravagantes, a comida é decente mas nada de memorável. O Burj possui um bar e nove restaurantes no total, cada um mais elaborado do que o outro.

 

O restaurante Al Mahara, construido em torno de um aquário gigante, é especializado em frutos do mar.

img_5595.jpg

img_5596.jpg

 

A beira-mar o Bab Al Yam é o que tem o ambiente mais relaxado. Chinelos e crianças são bem vindos .

 

O restaurante Al Muntaha no topo tem vista para o heliporto, e o Sky View bar tem vista particularmente impressionante para a cidade do Dubai

img_5594.jpg

  

No átrio do hotel o Sahn Eddar serve o pequeno almoço (buffet) e um delicioso chá da tarde.

img_5597.jpg

 

Aos outros restaurantes não fui por isso não posso falar.

 

O balanço que faço desta estadia é que, pesando os prós e os contras, podia perfeitamente ter dispensado esta “loucura”, mas enfim... só se vive uma vez não é?😜


Se um dia quiserem cometer uma extravagância podem ficar aqui só para ver como é, pois realmente o serviço e o atendimento ao cliente é excepcional, mas se só tem curiosidade de conhecer o local, podem reservar um dos restaurantes ou o bar e assim podem aceder ao interior do hotel sem terem de gastar uma exorbitância com a hospedagem. Há opções bem melhores e bastante mais baratas no Dubai.

fullsizeoutput_1039.jpeg

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

  

Tchau!
Travellight

PAELLA ESPANHOLA

paella-na-mesa-e1402073215578.jpg

Se há um prato que me recorda Espanha esse prato é a paella!

 

Este prato tradicional feito à base de arroz é um dos mais apreciados e representativos da cozinha espanhola. 

 

A receita surgiu e foi desenvolvida nos séculos XV e XVI, na região de Valência, onde há muitos arrozais e grande produção de verduras frescas (daí ser conhecido por arroz à Valenciana em Portugal).

 

O prato tem raízes populares, tendo sido criado pelos camponeses que saíam para o campo e levavam o básico para a sua refeição: arroz, azeite, sal e a paellera ou paella, uma panela redonda, ampla e rasa onde juntavam ingredientes da caça e legumes da estação.

 

Com a difusão da receita pelo litoral, foram acrescentados os frutos do mar, tornando a paella num prato misto, com ingredientes da terra e do mar.

 

Segue em baixo uma receita tradicional Espanhola de Paella para quem quiser fazer em casa 😀

 

Ingredientes:

Para 6 pessoas


* ½ chávena (chá) de azeite extra virgem

* 1 cebola

* 1 chávena (chá) de ervilhas

* 1 colher (sopa) de açafrão em pó

* 1 pimento vermelho picado

* 3 chávenas (chá) de arroz

* 3 dentes de alho

* 300 g de camarões

* 300 g de camarões grandes

* 300 g de lulas cortada em anéis

* 300 g de mexilhão com concha

* 300 g de polvo em pedaços

* 4 chávenas (chá) de água a ferver

* sal a gosto


Preparação:


Cozinhe o mexilhão na água a ferver, durante 10 minutos ou até as conchas se abrirem. Retire os mexilhões cujas conchas permanecerem fechadas. Escorra o caldo e reserve.

Aqueça o azeite e refogue a cebola picada e o alho amassado.

Acrescente o pimento, a ervilha, o polvo e o arroz, deixando fritar durante 2 minutos.

Junte o caldo do mexilhão, o açafrão e o sal e leve a cozer, em lume brando, durante 10 minutos. Caso seja necessário, adicione um pouco mais de água.

Adicione a lula e os camarões médios, deixando cozinhar 5 minutos.

Acrescente os camarões grandes e o mexilhão, tape e deixe cozinhar mais 5 minutos.

Retire a paella do calor e sirva.

 

Bom apetite!

VIAJAR EM CLASSE ECONÓMICA PODE SER MELHOR QUE VIAJAR EM EXECUTIVA

101167522-new-airline-seats_r.1910x1000.jpg

 

De acordo com o website planecrashinfo.com voar é muito seguro. As chances de morrer num voo são de 1 em 4,7 milhões. Nada mal hem?

 

Melhor ainda, estudos recentes apontam para que essa chance pode diminuir se nos sentarmos nos lugares traseiros da classe económica, do lado da janela, com o cinto de segurança posto e na fila de uma saída de emergência.

 

Embora alguns afirmem que os assentos ao pé da asa de um avião são melhores (porque o avião é "mais forte" lá), a opinião popular, apoiada por vários estudos, tem que, no caso de um acidente, a traseira de um avião é o lugar mais seguro para se estar.

 

Parece senso comum certo? o avião quando se despenha caí sempre de nariz, eu pelo menos não me lembro de nenhum acidente em que um avião tenha caído para trás 😜

 

Em todo o caso, num teste feito recentemente para um documentário de televisão do Reino Unido ficou demonstrado que depois de bater no chão, a frente do avião e as primeiras 11 fileiras de assentos - normalmente reservadas para passageiros de primeira classe, de classe executiva ou de economia premium - ficaram destruídas, levando os especialistas a concluir que nenhum dos passageiros de primeira classe teria sobrevivido enquanto 78% dos outros passageiros teria. A chance de sobrevivência aumentava mais à medida que se avançava para a traseira da aeronave.

fullsizeoutput_102a.jpeg

 

 
Embora a análise de um único acidente não seja decisiva, estas descobertas estão também apoiadas num estudo da Popular Mechanics, realizado em 2007. A revista analisou todos os acidentes desde 1971 e descobriu que os assentos traseiros eram de facto os mais seguros - As taxas de sobrevivência foram de 69 por cento em oposição a 56 por cento ao pé da asa e 49 por cento para aqueles na frente do avião.

 

Também se concluiu que os lugares posicionados a mais de 6 filas de uma saída de emergência tem menos hipóteses num acidente e que o uso de cinto é decisivo para o aumento das chances de sobrevivência. O lugar da janela é melhor porque permite evitar lesões causadas pela queda de bagagens ou carrinhos de catering fora de controlo.

 

Hoje em dia a maioria das companhias aéreas permite que os clientes escolham os seus lugares com antecedência por isso já sabem, na próxima vez que forem marcar um lugar no avião não custa nada ter toda esta informação em conta… como diz o ditado, mais vale prevenir que remediar 😊

 

large_airplane_seating_chart.jpg

 

 

BUDAPESTE I A PÉROLA DO DANÚBIO

Olá amigos viajantes!

 

Na Europa há uma cidade que costumava ser duas - Buda e Peste, por isso se querem um destino 2 em 1 que tal visitar Budapeste? 😜

fullsizeoutput_1021.jpeg

A capital da Hungria é um belo destino de Inverno. Quando o frio e a neve envolvem a cidade parece que os seus grandiosos e históricos cafés e banhos termais ganham vida. Eu pelo menos dei várias vezes graças a Deus por poder entrar num agradável café e pedir um chá quentinho ou um chocolate quente para recuperar a circulação dos dedos das mãos e as cores da face. 😬

fullsizeoutput_1027.jpeg

Ok, Budapeste pode não ser Paris, mas ainda assim é um lugar que tem muito charme, é elegante e promete romance (esta do “promete romance” talvez dependa da companhia, mas enfim, para mim que fui muito feliz aqui, é uma cidade muito romântica 😉)

 

Não é difícil orientarmos-nos nesta bonita cidade. O rio Danúbio está no seu centro e várias pontes ligam Buda a Peste.

fullsizeoutput_1019.jpeg

 

Buda tem colinas frondosas, fontes termais naturais e um palácio que oferece vistas deslumbrantes para o parlamento Húngaro - um imponente e belíssimo edifício gótico.

 

fullsizeoutput_1018.jpeg

 

Em Peste fica a cidade oriental (unificada com Buda em 1873) onde encontramos o bairro judeu.

IMGP0989.JPG

 

Cada ponte oferece uma vista única sobre o rio e sobre os edifícios nas margens. Toda esta área está listada como Património Mundial da UNESCO e é o postal perfeito da cidade.

 

Ao caminhar pelas ruas de Budapeste encontramos impressionantes exemplos de arquitectura, incluindo muitos edifícios de estilo Art Nouveau. Eu passei o tempo a olhar para cima, para baixo e em redor porque havia sempre fachadas maravilhosas e detalhes de design para descobrir.

 

img_2344.jpg

 

Esta cidade vibrante tem uma oferta cultural diversificada, festivais sazonais e museus interessantes e, definitivamente, não é lugar para fazer dietas.

 

Comida boa é o que não falta por estes lados. No Inverno há até um festival gastronómico original chamado Festival do Mangalica, um festival de carne suína, que este ano tem lugar de 10 a 12 de Fevereiro,  dedicado a uma raça local especial - os porcos peludos Mangalica.

img_2342.jpg

 

Já tinham ouvido falar nisso? Eu confesso que até ir à Hungria não fazia ideia de que existiam porcos peludos e mesmo lá pensei que estavam a gozar comigo quando me disseram, mas depois descobri que era mesmo verdade, parece um cruzamento entre um porco e uma ovelha, é surreal!

 😆dscf13892-96807.jpg


A Hungria é também conhecida pelos seus deliciosos bolos e doces. Garanto-vos que se apreciam um docinho não vão ficar decepcionados.

 

 

Há muitas "cukrászda" (pastelarias) por onde escolher, das mais luxuosas e requintadas às mais pequenas e tradicionais. Eu apreciei muito um doce chamado krémes, mas também havia maravilhosos strudels de maça, de cerejas, de queijo ou sementes de papoila.

 

img_2341.jpg

 

img_2340.jpg

 

Uma pastelaria / café que recomendo visitar é o Café New York do Hotel Boscolo um café húngaro tradicional inaugurado em 1894. É lindíssimo e imponente, decorado num estilo renascentista  e com uma tentadora oferta de bolos, tortas e outros doces.

 

img_2339.jpg

 

Destaco agora o meu top 10 de atracções a não perder em Budapeste:


1- Castle Hill - Esta colina cheia de história assenta numa rede extensa de cavernas esculpidas por fontes termais.

Aqui encontramos pontos turísticos como o Palácio Real, o Portão de Viena e a Igreja Matthias de estilo neo-gótico.
Encontramos também uma variedade de museus, incluindo o Museu de História Militar e a Galeria Nacional Húngara (instalada no Palácio Real).

O Buda Castle - um belo edifício histórico oferece uma vista deslumbrante de Budapeste. A título de curiosidade deixo aqui a informação que este foi o lugar onde Katy Perry filmou o vídeo "Firework"

 

A Casa de Vinhos Húngaros é outra das atracções de Castle Hill. Os visitantes podem descobrir aqui as 22 regiões vinícolas da Hungria e fazer degustação de vinhos.

fullsizeoutput_101f.jpeg

 

2- Chain Bridge - construída pelo escocês Adam Clark e terminada em 1849, é a mais bonita das pontes de Budapeste e um óptimo local para fotografar.

img_2338.jpg

 

3- Banhos Termais Széchenyi - Os mais bonitos banhos públicos de Budapeste.

Uma das características que definem Budapeste é que foi construída sobre cerca de 100 nascentes termais que hoje   estão na base dos spas de renome da cidade.

fullsizeoutput_1029.jpeg

 

 

4- O Great Market Hall - Este mercado é um paraíso para os amantes da comida. Carnes, peixes, enchidos, vinhos, frutas, queijos, legumes - e, claro a páprica. Esta especiaria pode ser comprada aqui em todos os tipos de formas, incluindo seca, esmagada, fresca ou em conserva. Sabiam que o nome páprica deriva da palavra húngara para pimenta?
O maior consumidor e produtor da Europa e do mundo é a Hungria e foi a cozinha húngara que fez famosa a páprica na região da Europa central, e é também na Hungria que se produz uma das melhores pápricas do mundo que vai do doce ao picante. 

img_2336.jpg

 

5- Szimpla Kert - O primeiro “ruin bar” (bar em ruínas) de Budapeste - inaugurado num prédio abandonado - é cheio de velharias e tem muitos recantos acolhedores. Para todos os lugares que olhamos existe um detalhe diferente. Vale a pena entrar nem que seja só pela decoração.

img_2335.jpg

 

6- Basílica de Santo Estêvão - Construida em 1905 para comemorar o primeiro rei cristão da Hungria

 

7- Ópera Estatal Húngara - Edificio neo-renascentista construído em 1884. Tem bonitas esculturas e frescos.

 

8- Parlamento Húngaro - O edifício mais emblemático de Budapeste oferece visitas guiadas (apesar de eu achar que ver o exterior já é suficiente).

fullsizeoutput_101b.jpeg

 

9- Para quem gosta de fazer caminhadas a cidade tem lugares como a Ilha Margret, posicionada no meio do Danúbio, e Buda Hills, com bonitos trilhos por onde podemos passear.

 

fullsizeoutput_101e.jpeg

 

10- Sapatos no Danúbio - Uma lembrança sombria dos horrores cometidos contra o povo judeu na Segunda Guerra Mundial.  "Shoes on the Danube Bank" relembra as vidas perdidas de muitos inocentes que foram baleados nas margens do Danúbio.

 

img_2334.jpg 

 

DICA: O Budapeste Card (16,00 € por 24 horas) permite fazer viagens ilimitadas em transportes públicos e dá desconto nas entradas de museus e banhos termais. 

 

Espero que tenham gostado de me acompanhar por mais uma capital Europeia 😃

IMGP0945.JPG

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

O PARQUE VIGELAND

Olá amigos viajantes!

 

Eu sou uma verdadeira apaixonada por escultura principalmente por escultura que retrata as emoções humanas, como devem ter percebido pelo meu post sobre o museu Rodin, por isso o Parque Vigeland, em Oslo, na Noruega fascina-me.

IMG_2152.JPG


Considerado o maior parque de esculturas do mundo criado por um único artista - Gustav Vigeland - este parque é uma das atracções turísticas mais populares da Noruega.

 

Aberto aos visitantes durante todo o ano, o parque, construido entre 1939 e 1949, tem mais de 200 esculturas em bronze, granito e ferro forjado.

fullsizeoutput_f5f.jpeg

IMG_2126.JPG

IMG_2142.JPG

 

As figuras esculpidas captam as relações humanas e a sua essência.

São estudos sublimes do corpo humano em toda a sua simplicidade gloriosa - homem, mulher, criança, jovem e velho.

 

IMG_2219.jpg

 

IMG_2224.jpg

IMG_2228.jpg

IMG_2229.jpg

 

Em toda a colecção as figuras humanas estão nuas, em poses e situações variadas - das mais quotidianas às mais surreais - desde um casal a abraçar-se ou uma criança a fazer uma birra até a um homem lutando (inexplicavelmente) contra um conjunto de bebés.

 

Todas as esculturas transmitem movimento, sensibilidade e emoções. Transmitem carinho, amor, raiva, irritação... são fortes, mexem connosco.

fullsizeoutput_f60.jpeg

IMG_2225.jpg

 

IMG_2222.jpg 

As esculturas estão divididas em 5 grupos: o Portão Principal, a Ponte, a Fonte, o Monólito e a Roda da Vida

fullsizeoutput_f62.jpeg


A Fonte, por exemplo, é um dos mais notáveis trabalhos que podemos observar no parque.

 

É uma estrutura magnífica cercada por 20 estátuas, cada uma representando um estágio diferente da vida humana, da infância à morte.

 

IMG_2220.jpg

 

Mas o monólito, Situado num planalto elevado acima do parque, é talvez a figura central de toda a instalação. Como o nome sugere, a escultura é um monólito, esculpido numa enorme coluna de granito de 46 metros de altura e retrata 121 figuras subindo e lutando entre si para chegar ao topo.

IMG_2122.JPG

IMG_2127.JPG 

Gustav Vigeland, foi um dos mais célebres escultores da Noruega, nasceu em 1869 e visitou várias vezes o estúdio de Rodin em Paris, notando-se claramente a influencia do grande mestre na sua obra.. Todas as peças presentes no parque foram modeladas em barro pelo próprio Vigeland, e são preservadas até hoje no museu do parque.

 

Num dia de sol imensas famílias vem aqui passear com os filhos e muitas creches trazem os bebés aqui para dar uma voltinha, é muito engraçado ver os carrinhos cheios de bebés a espreitar as esculturas 😄

IMG_2105.JPG

 

Este parque é, quanto a mim, um dos mais belos passeios que podemos fazer em Oslo 

fullsizeoutput_f64.jpeg

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight

MOUSSAKA GREGA

moussaka_2000.jpg

 

Peçam a alguém para identificar um prato Grego e aposto que o icónico Moussaka é aquele que vem imediatamente à cabeça.


Este prato delicioso, feito à base de beringela, tem as suas origens no  Médio Oriente e no Mediterrâneo mas popularizou-se na Grécia.

 

Para quem quiser experimentar fica aqui a receita 😄


Ingredientes (6 pessoas):

 

Carne

* 500 g de carne picada (de cordeiro, novilho ou porco)

* 1 cebola

* 3 dentes de alho

* 2 colheres (sopa) de azeite

* 1 colher (chá) de e orégãos

* 1 lata de tomate pelado

* 3 colheres (sopa) de polpa de tomate

* 1 pitada de canela em pó

* Sal q.b.

* Pimenta acabada de moer q.b

 

Beringelas

* 3 beringelas grandes

* 1 dl de azeite

* Sal e pimenta q.b.

* Orégãos para polvilhar

* Papel de alumínio

* 4 batatas

* Óleo para fritar

* Papel de cozinha


Molho bechamel

* 50 g de manteiga

* 50 g de farinha

* 6 dl de leite quente

* 2 gemas

* 1 ovo inteiro

* 1 pitada de noz moscada

* Sal e pimenta q.b.

 

Preparação:

Aprox. 2 horas

 

Ligue o forno a 180ºC. Lave as beringelas, corte-as em fatias no sentido do comprimento, pincele-as com azeite e coloque- as num tabuleiro forrado com papel de alumínio. Tempere com sal, pimenta e orégãos, cubra com papel de alumínio e leve ao forno durante 25 minutos. Retire e reserve.


Descasque a cebola e os alhos, pique tudo finamente e deite para um tacho juntamente com o azeite. Leve ao lume até a cebola ficar macia, acrescente a carne e mexa bem até ficar solta. Adicione o tomate picado com o molho, a polpa de tomate, a canela e os orégãos. Tempere com sal e pimenta, mexa e deixe cozinhar tapado durante 15 minutos.


Descasque as batatas, corte-as em rodelas, lave-as, deixe escorrer e frite-as em óleo quente. Depois de prontas retire-as e deixe-as escorrer em papel absorvente.


Prepare o molho: Leve ao lume um tacho com a manteiga até derreter. Junte a farinha e acrescente o leite quente aos poucos, mexendo sempre, até obter uma mistura cremosa.

 

Adicione a noz-moscada, o sal e a pimenta, mexa bem, retire do lume e deixe arrefecer um pouco. Misture as gemas com o ovo e adicione ao molho, em fio, mexendo sempre.

 

Ligue o forno a 180ºC. Num prato de forno previamente untado com azeite coloque camadas alternadas de beringela, rodelas de batata e carne, sendo que a última camada deve ser de beringela.

 

 

Cubra tudo com o molho bechamel e leve ao forno durante 25 minutos até ficar dourado. Podem também polvilhar a Moussaka com queijo ralado emental, mozarela ou outro a gosto.

GOA I A INDIA QUE JÁ FOI PORTUGUESA

Olá amigos viajantes!

 

Existe um pequeno pedaço da Índia onde as ruas têm nomes em Português e as famílias têm sobrenomes familiares.

 

Onde a geração mais velha ainda fala a língua de Camões e a bela arquitectura colonial confirma os laços com a antiga metrópole.

 

Esse lugar é Goa.

fullsizeoutput_fce.jpeg

Goa tem muitas facetas. Não é apenas história, não é só a herança Portuguesa, a cultura ou as praias, a comida e as festas.

 

É na verdade tudo isso e muito mais, é uma mistura interessante entre o Ocidente e o Oriente.

  

É claro que eu sou suspeita para falar visto ter uma forte ligação afectiva a este local - é a terra dos meus pais - mas na minha opinião, Goa é um lugar único.

 

Devido à colonização Portuguesa, que a isolou do resto da Índia durante 450 anos, Goa é diferente do resto do país, mas quando juntamos as igrejas brancas e os azulejos Portugueses aos templos coloridos, o peixe fresco ao caril e o  clima quente e praias tropicais a épicos pores do sol só podemos sorrir e aproveitar as boas vibrações😊

 

fullsizeoutput_fdf.jpeg

 

fullsizeoutput_fd0.jpeg

 

img_1983.jpg

 

Uma visita a Velha cidade (Old Goa), por exemplo, permite-nos vislumbrar um pouco da história do povo Goês.

 

A região, que já foi capital do estado, reúne catedrais, museus e construções coloniais, sendo reconhecida como Património da Humanidade pela UNESCO.

 

fullsizeoutput_fcf.jpeg

 

 

A Catedral da Sé (a maior de toda a Ásia), a Igreja de Bom Jesus, onde estão os restos mortais de São Francisco Xavier, e o Museu Arqueológico, com uma estátua em bronze de Camões com “Os Lusíadas” nas mãos, são os pontos mais visitados na parte antiga. 

img_1974.jpg

 

Infelizmente, a presença Portuguesa não se limitou à bela arquitectura e às boas lembranças. Entre os séculos  XVI e XVIII, a Inquisição perseguiu e puniu cruelmente os hindus.

 

Rituais não-cristãos eram proibidos e os condenados eram torturados e queimados na fogueira.

São Francisco Xavier converteu sozinho mais de 30 mil nativos, que tiveram de abandonar  os seus hábitos religiosos.

 

fullsizeoutput_fd2.jpeg

fullsizeoutput_fd4.jpeg

 

fullsizeoutput_fd5.jpeg

fullsizeoutput_fdb.jpeg

fullsizeoutput_fdc.jpeg

 

fullsizeoutput_fd3.jpeg

fullsizeoutput_fdd.jpeg

fullsizeoutput_fde.jpeg

 

fullsizeoutput_fe2.jpeg

 

Goa é também um paraíso para os amantes da praia. Muitas delas, como a praia de Galgibaga ainda estão completamente intocadas pelo turismo. 

 

img_1979.jpg

   Praia de Galgibaga

img_1978.jpg

  Praia de Patnem

img_1977.jpg

   Praia Cola 

img_1976.jpg

   Praia de Palolem

 

 E depois há o inesquecível por do sol...

fullsizeoutput_fd6.jpegfullsizeoutput_fda.jpeg

Mas Goa tem muito mais para ver e descobrir. Mais tarde hei-de vos contar 😄

fullsizeoutput_fe9.jpeg.

Por agora espero que tenham gostado deste pequeno passeio!

fullsizeoutput_fe0.jpeg

Tchau!

Travellight

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AS ILHAS VIRGENS AMERICANAS VÃO "PAGAR" US$ 300 PARA QUEM AS QUISER VISITAR!

As Ilhas Virgens Americanas estão a comemorar o seu 100º ano como território dos EUA. O centenário será a 31 de Março de 2017, e as ilhas estão a oferecer um crédito de 300 dólares para quem as quiser visitar este ano.

 

Durante o ano de 2017, o visitante pode obter um voucher no valor de US$ 300 se reservar um dos hoteis participantes na campanha promocional por pelo menos 3 noites.


Quem visitar em Março ganha ainda uma lembrança comemorativa especial.

 

As reservas devem ser feitas no site oficial usando o código CP1 até ao dia 01 de Outubro de 2017 e a viagem pode ser marcada de 02 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2017.

 

Atenção que o crédito de 300 dólares não é exactamente dinheiro. Este valor é para ser usado em excursões e actividades várias nas ilhas.

 

Se as Ilhas Virgens Americanas estão na vossa lista de viagens de sonho a realizar e se gostam de fazer passeios históricos e culturais, então esta é a altura ideal para ir.

 

No entanto, se gostavam de visitar as ilhas mas preferem passar as férias inteiras na praia, então provavelmente não serão capazes de tirar o máximo proveito deste crédito.

 

Ainda assim, esta é uma oferta boa se estão seriamente a pensar fazer férias nas Caraíbas e não sabem que ilha escolher, até porque muitos dos hotéis estão com preços promocionais óptimos.

Os hotéis participantes por ilha são os seguintes:

         

        ST. CROIX

  • The Buccaneer
  • Caravelle Hotel & Casino
  • Chenay Bay Beach Resort
  • Club Comanche Hotel
  • Divi Carina Bay Resort & Casino
  • Holger Danske Hotel
  • Mt. Victory Camp
  • Renaissance Carambola Beach Resort
  • The Palms at Pelican Cove
  • Tamarind Reef Resort
  • Sand Castle on the Beach

ST. CROIX.jpg

 

         ST. JOHN

  • Caneel Bay Resort
  • Coconut Coast Villas
  • Concordia Eco-Resort
  • Star Villas
  • The Westin St. John Resort

ST. JOHN.jpg

 

       ST. THOMAS

  • At Home in the Tropics
  • Bellavista Bed & Breakfast
  • Bolongo Bay Beach Resort
  • Frenchman's Reef Marriott Resort
  • Galleon House
  • The Green Iguana Hotel
  • Lindbergh Bay Hotel & Villas
  • Secret Harbour Beach Resort
  • Two Sandals Bed & Breakfast
  • VI Campgrounds
  • Windward Passage Hotel

ST. THOMAS.jpg

 

Fica a sugestão! 😀

 

TOLEDO I A CIDADE IMPERIAL ESPANHOLA

Olá amigos viajantes!

 

Se há uma cidade Espanhola que merece uma visita essa cidade é sem dúvida Toledo - afinal esta é a lendária região de Dom Quixote!

 

Orgulhosamente situada no topo de uma colina com vista para o “nosso” Rio Tejo e Património Mundial da UNESCO, Toledo tem uma aparência nobre e imponente.

 

IMG_1125.jpg

Esta cidade que já foi capital de todo o Império Espanhol e remonta à época romana, continua a manter uma mística que atrai todos os dias centenas de visitantes. A maioria vinda de Madrid, que fica apenas a 30 minutos de comboio.

 

Há um famoso ditado espanhol que diz: “Até que tenhas visto Toledo, não viste Espanha” - eu acredito neste dizer 😊

 

É difícil não nos encantarmos por Toledo, pela sua história e lendas enquanto passeamos por ruas estreitas com praças animadas e admiramos a arquitectura original resultante da co-existência de três culturas. Esta antiga cidade foi no início da Idade Média um importante centro cultural para muçulmanos, judeus e cristãos. 

 

_MGP5475.jpg

IMG_8112.jpg_MGP5398.jpg

IMG_8113.jpg

IMG_8114.jpg

_MGP5435.jpg

 

Toledo é também a cidade onde viveu e pintou o grande El Greco.

 

A sua obra pode ser vista um pouco por todo lado - na sacristia da Catedral de Toledo, na Capela de São José, no convento de Santo Domingo, na Igreja de São Tomé...

 

Todos estes lugares conservam as telas originais do pintor, criando assim uma exposição única no mundo para os apreciadores da sua arte.

 

IMG_8115.jpg 

 

E depois há a comida…a deliciosa gastronomia típica da região de Castilha-La Mancha, que tem forte influência árabe e onde destacam-se os doces, especialmente o mazapan, um doce típico feito de amêndoas e mel (semelhante ao maçapão Algarvio) ou pratos como a beringela assada coberta com queijo de cabra e mel e polvilhada com pistácios.

 

IMG_8117.jpg

IMG_8118.jpg

 

Há muito que ver e fazer em Toledo mas fica aqui o meu top 10 de atracções:

 

1- Mosteiro de San Juan De Los Reyes - Edifício gótico belíssimo com tectos altos trabalhados e um pátio ajardinado. 

_MGP5450.jpg

_MGP5455.jpg

_MGP5471.jpg

 

2- A Igreja de São Tomé - onde se encontra "O enterro do Conde Orgaz"  obra fundamental de El Greco

 

3- Sinagoga de Santa María La Blanca - localizado no pitoresco bairro judeu da cidade, a sinagoga, convertida em igreja, é um belo espaço para visitar e fotografar

IMG_8119.jpg

 

4- A igreja de Los Jesuitas - É o segundo maior edifício religioso da cidade, depois da catedral principal, e as suas torres tem uma vista extraordinária sobre Toledo.

IMG_8121.jpg

 

5- A Catedral - É considerada a principal obra em estilo gótico de Espanha. O rei de Portugal D. Sancho II está sepultado na Catedral de Toledo.

IMG_8122.jpg

6- El Alcazar- Este imponente palácio fortificado hoje em dia alberga um museu e é um óptimo lugar para tirar fotografias panorâmicas da cidade.

 

IMG_8125.jpg

7- Plaza Zocodóver: uma das principais praças da cidade, tem muitas esplanadas e animação e às vezes até tem música ao vivo.

 

IMG_8123.jpg

 

8 - Mirador del Valle: A melhor vista da cidade.

IMG_8124.jpg

 

9 - Puerta Vieja de Bisagra - É a única parte que restou das muralhas mouras do século IX. Este monumento é também conhecido como a Puerta Vieja de Alfonso VI porque o rei fez a sua entrada em Toledo em 1085 através deste portão.

IMG_1123.jpg

 

10- Os Moinhos de Consuegra - Para os fans de D. Quixote, não posso deixar de sugerir uma visita a Consuegra, um pouco mais a sul de Toledo.

IMG_1121.jpg


Foram os moinhos daqui que inspiraram Miguel de Cervantes a escrever a cena em que Don Quixote luta contra 40 gigantes imaginários, investindo contra os moinhos de vento como se de criaturas reais se tratassem.

 

_MGP5442.jpg

Sigam as minhas aventuras mais recentes no Instagram e no Facebook

 

Tchau!

Travellight